11 de março de 2017

Mecânicas Temáticas #2: Zoodiac


Em suas marcas... Já!!!

 Eae pessoal, blzinha? No final de 2015 eu publiquei um texto comentando sobre a parte artística das cartas de Yu-Gi-Oh, desde então eu sempre quis expandir e comentar sobre outros decks e outras cartas com essa abordagem. Acho que agora eu tenho o que preciso pra isso e falarei sobre os Zoodiac no post de hoje. Não somente um deck meta o zodíaco é também um ótimo contador de história, inspirados no Conto do Zodíaco Chinês os efeitos e as artes das cartas nos fazem imergir nela de uma forma bem interessante.

 Um breve resumo do começo da história: O Imperador de Jade estava celebrando o seu aniversário, porém, ele notou que até então não havia uma forma de contar os anos, não sabendo assim qual a sua idade. E para resolver esse problema ele teve uma ideia; ele anunciou uma corrida entre todos os animais, com um prêmio para os 12 primeiros a vencerem. A corrida era de uma margem até a outra do rio e os 12 vencedores teriam um ano representado com o seu nome, uma grande honra para qualquer animal. E nisso é dada a largada!

 Existem várias versões dessa história, mas a base dela é a mesma e a moral da história também (que é bem besta por sinal, além de 'explicar' os animais do zodíaco), então podemos ter eventuais problemas na hora de falar de carta por carta, mas eles não vão ser grandes. O resto da história, as cartas vão contar para vocês:


Rumo ao primeiro lugar.

 Antes de começar a listar as cartas por ordem de chegada, uma breve explicação do porquê da temática escolhida pros Zoodiacs. O deck possui 6 monstros de Main Deck e 6 monstros Xyz (desses, 6 sendo machos, 6 sendo fêmeas), os monstros de Main Deck possuem efeitos que atribuem aos Xyz quando estão como Matéria Xyz e os Xyz por sua vez tem a incrível habilidade de serem invocados usando apenas 1 Matéria. Por parte dos monstros de Main esse efeito extra aplica-se mais a história na fábula, característica e personalidade da carta, mas para os Xyz eles representam muito bem uma corrida: Toda vez que você invoca um Xyz em cima de um outro Zoodiac é como se ele tivesse sido ultrapassado, e isso acontece frequentemente dentro da estratégia do deck, a corrida é intensa, toda hora alguém é ultrapassado! E graças a habilidade de um certo alguém (que eu vou comentar logo em seguida) é muito comum haver um spam de monstros no campo, como se todos eles estivessem disputando mesmo o primeiro lugar. Geralmente quem vence a corrida do Card Game é a Drident e o Hammerkong, mas na fábula foi esse certo alguém...


1º Lugar: Zoodiac Ratpier (Rata)

 A campeã da corrida, a carinha dela já diz o quão malandra essa rata é: no começo da corrida, vendo que não iriam conseguir atravessar o rio jamais, a Ratpier e o Gato pediram ao senhor Broadbull uma carona para conseguirem uma boa colocação, o coração bondoso do Boi não negou a ajuda e os carregou até a linha de chegada em suas costas. Ao chegarem próximo da outra margem, a Rata saltou das costas do Boi e saiu correndo para conquistar assim o primeiro lugar!

 Broadbull ficou furioso por ter sido trapaceado e ficado com o segundo lugar, mas ficou feliz com a ótima colocação ao mesmo tempo. Depois de muito tempo chegou o terceiro colocado, mas espera... e o Gato que estava junto com a Ratpier nas costas do Broadbull? Então... a Rata derrubou o Gato no rio que acabou voltando ao começo da corrida!!

 Essa é a moral besta da história que eu havia falado no começo do post, essa fábula além de explicar a ordem do zodíaco chinês também 'explica' o porque dessa rivalidade tão forte entre gatos e ratos, obviamente não é nenhum experimento cientifico que mostra o que ocorre no cérebro desses animais, mas é uma explicação bem inusitada e divertida.

 É muito fácil ver onde tudo isso se encaixa no efeito da carta, o primeiro deles, ao ser invocada a Ratpier envia um Zoodiac do deck ao cemitério, uma clara alusão ao fato de ter derrubado o Gato no rio. (quem sabe algum dia a Konami não faz o Zoodiac Gato, ou talvez um arquétipo rival composto por gatos, seria divertido) O segundo efeito é ainda mais legal, caso ela esteja em baixo de um Monstro Xyz, removendo uma Matéria Xyz ela invoca uma outra cópia do deck, essa 'outra cópia' seria a mesma Rata só que usando as costas do Boi (Matéria Xyz) para chegar em primeiro lugar (se invocar). Genial, não?


2º Lugar: Broadbull (Boi)

 Eu já falei praticamente tudo dele ao falar da Ratpier, um Boi de coração bondoso, gentil e um excelente nadador que é trapaceado ficando com o segundo lugar, mas não se engane com as qualidades dele, ele pode ficar extremamente furioso.

 Uma coisa que eu não citei antes é que os Xyzs possuem outro efeito em comum, todos eles ganham ATK e DEF igual a soma desses status dos monstros que estão anexados a ele como Matéria Xyz, aí nós temos 2 jeitos de interpretar: ou o ATK e DEF ou a quantidade de Matérias Xyz que definem a posição dele na corrida. Essa resposta vai ficar aparente com o terceiro colocado.

 Quanto ao efeito dele, é muito obvio também, removendo uma Matéria Xyz ele busca um Zoodiac (Beast-Warrior) do deck pra mão, como se ele estivesse carregando alguém em suas costas, bondoso do jeito que é nunca recusando uma ajuda.


3º Lugar: Tigermortar (Tigreza)

 A Tigreza é um animal rápido, muito habilidoso e esforçado, não surpreendendo o Imperador ao conquistar o merecido terceiro lugar. Na fábula pouco se fala da Tigermortar, apenas sobre seu talento nato. Ainda é possível traçar alguma comparação com o efeito dela no Card Game: ela pode trocar a Matéria Xyz de um Zoodiac que você controle, por um Zoodiac do cemitério, um efeito bem versátil representando as habilidades do animal de ter sempre alguma forma de superar seus obstáculos.

 O segundo colocado, o Broadbull precisa de 2 Matérias Xyz para ser invocado do meio convencional, a Tigermortar precisa de 3. Em teoria, quanto mais Matérias, mais ATK e DEF esse monstro vai possuir, porém a colocação na corrida implica o contrário disso, quanto menos Matérias mais rápido é invocar o monstro (e o próprio deck geralmente se invoca usando 1 Matéria apenas). Nessa corrida não importa o quão forte o Zoodiac for, mas sim o quão rápido e versátil.


4º Lugar: Bunnyblast (Coelha)

 Seguida da Tigreza veio a Coelha, outro animal rápido e esforçado, porém esta sim surpreendeu o Imperador de Jade: Coelhos não são bons nadadores, então como ela conseguiu chegar tão rápido? A Bunnyblast respondeu que atravessou o rio pulando sobre as pedras e navegando em um tronco de árvore. O Imperador ficou impressionado e lhe concedeu o quarto lugar.

 Os efeitos da Bunnyblast são bem mais amplos, é um pouco forçado traçar paralelos com a história, mas ainda é possível: ao ser destruída ela adiciona um Zoodiac do cemitério para a mão, em alusão ao quinto colocado que eu vou comentar a seguir. E enquanto estiver anexado como uma Matéria Xyz ela pode negar efeitos que deem alvo nesse Xyz. Pode ser que seja o fato de nem mesmo o rio ter impedido a travessia da Coelha? Talvez, esse eu realmente não tenho certeza, pode ter sido somente um efeito amplo pro arquétipo ficar melhor mesmo.


5º Lugar: Drident (Dragoa)

 O Imperador lembrou de um competidor que já devia ter chegado no final da corrida, a Dragoa. Um animal que pode tanto voar como nadar era seu favorito a vencer a corrida. Ao lembrar disso, ela finalmente chegou, em quinto lugar. O Imperador logo perguntou o porque da demora, e a Drident respondeu que chegou atrasada e no meio da corrida viu uma esforçada Coelha atravessando o rio em um tronco de árvore que não conseguiu não ajudar e com seu grande poder criou ventos para mover o tronco mais rapidamente.

 O efeito da Drident é muito simples, em qualquer mitologia os Dragões são seres reconhecidos pelo seu poder, e isso foi traduzido pro Card Game com um efeito de destruição de cartas, obviamente. Mas o que mais deixa isso interessante é, na fábula ela usou esse poder pra ajudar uma outra competidora, e o efeito da Bunnyblast (assim como alguns outros Zoodiacs) ativa justamente ao ser destruida, o combo mais forte de Zoodiac atualmente envolve usar o efeito da Drident em um dos seus monstros para gerar mais vantagem de campo, encaixando perfeitamente com o seu uso na história.


6º Lugar: Whiptail (Cobra)

 Os animais esperavam na linha de chegada para ver quais seriam os próximos a vencer a corrida, nisso eles viram o Cavalo nadando com todas as suas forças, quando ele chegou na terra firme, ele viu o Whiptail passando por debaixo de suas patas e tomou um grande susto. Com isso a Cobra se tornará a sexta colocada na corrida, e o Cavalo em sétimo.

  As cobras sempre são vistas como animais traiçoeiros e sorrateiros e isso é o que de fato acontece na fábula, mas o jeito que eles traduziram isso pro arquétipo é o que deixa isso genial: Whiptail é o único Zoodiac que pode se anexar como Matéria Xyz livremente, como se ele estivesse passando por de baixo do animal Xyz assim como na história. E o outro efeito complementa esse primeiro, o Whiptail ataca qualquer monstro que batalhar com o animal que eles está em baixo o imobilizando com seu veneno. (banindo ele de jogo) Seria muito mais legal se ele conseguisse se invocar direto da Matéria Xyz (como se ele tivesse saído de baixo do animal) o que tornaria a carta muito melhor do que ela é hoje, talvez seja esse o motivo de não terem colocado esse efeito.


7º Lugar: Thoroughblade (Cavalo)

  Também há muito pouco para se falar do Cavalo, um animal esforçado e honesto. A Cobra conseguiu a sexta colocação por puro esforço assim como ele, ele não se sentiu injustiçado com o resultado.

 Thoroughblade é o Zoodiac com mais pontos de ATK, assim como dos animais de Main Deck o Cavalo é o mais fisicamente forte deles. Ao ser invocado, você pode descartar um Zoodiac para comprar uma carta, fazendo uma certa alusão dele ter sido ultrapassado logo na linha de chegada, mas ao mesmo tempo recebendo o prêmio pelo Imperador. O seu segundo efeito permite que o Xyz com ele anexado tenha o poder de causar dano perfurante ao atacar um monstro em DEF, justificando a força do animal para atravessar o rio, perfurando as águas com todo seu esforço.


8º, 9º e 10º Lugar: Ramram (Bode), Hammerkong (Macaco) e Kataroost (Galo)


 Depois da chegada do Thoroughblade os animais viram uma cena emocionante: o Ramram, o Hammerkong e a Kataroost estavam chegando em uma jangada juntos. (Kataroost havia encontrado a jangada e pediu ajuda aos dois animais para remar até a outra margem) O Imperador ficou muito impressionado com a atitude dos animais e lhes deram o oitavo, nono e décimo lugar (Bode, Macaco e Galo)

 Não tem como falar deles separadamente: Ramram possui o efeito de ao ser destruído invocar outro Zoodiac do seu cemitério enquanto a Kataroost embaralha um no deck. Ambos são efeitos altruístas assim como eles são representados na história, o Hammerkong não é diferente, enquanto ele possuir Matérias Xyz ele impede qualquer efeito que alveje Zoodiacs que você controle, exceto ele. Não que os animais em si sejam dessa forma, mas esses efeitos vão de encontro com a fábula e o estilo de jogo de Zoodiac como um todo.


11º Lugar: Lyca (Cachorra)

 Passado mais um tempo o Imperador começou a se perguntar se a corrida era um fardo muito dificil para os demais animais e começou a se preocupar caso não atinja os 12 vencedores, mas nesse momento veio a Lyca. O Imperador perguntou o porquê da demora e ela respondeu que a água era tão limpa e fresca que não resistiu a brincar nela por um tempão. O Imperador se sentiu aliviado por haver animais se divertindo e a entregou o décimo primeiro lugar.

 O efeito da Lyca é um pouco mais amplo também, ela invoca um Zoodiac do cemitério, mas impede que ele seja usado como Matéria Xyz até o final do turno e nega seus efeitos: cachorros são animais contagiantes, não tem como negar, ainda mais depois de ver um se divertindo. E eu acho que é esse ponto que eles queriam chegar com o efeito dela, ela atrai um animal para brincar com ela, mas isso faz com que ele deixe de disputar a corrida. (não podendo ser ultrapassado nem usando suas habilidades) Mas quando a diversão acaba (End Phase) eles voltam a competir por uma boa colocação.


12º Lugar: Boarbow (Javali)

 Faltava apenas uma vaga, e os animais começaram a discutir sobre quem poderia ser o ultimo vencedor, logo depois eles viram chegando a margem do rio o lento e gordo Javali, mas que não desistiu de seu objetivo em nenhum momento e conseguiu o décimo segundo lugar. Com isso a corrida estava finalmente encerrada e estes 12 animais se tornaram os signos representantes dos anos a partir de então. Nisso o Boi se lembra do Gato que também estava em suas costas, mas sobre isso é melhor não contarmos a ninguém...

 O efeito do Boarbow é interessante e errado ao mesmo tempo, o primeiro deles é atacar diretamente, mas isso se encaixa a arma que ele usa (Arco) e não sua história ou o animal em si. O seu segundo efeito é a celebração do final da corrida, caso ele tenha 12 Matérias Xyz (Sim, 12! Tá errado, porque ele é o décimo segundo, devia ser só 11) e cause um dano por batalha (linha de chegada), ele envia todas as cartas do campo e mão do oponente pro cemitério (mais nenhuma carta pode competir pois a corrida acabou) e ele muda pra posição de DEF. (depois de tanto esforço é sempre bom um cochilo) Nesse caso o efeito de 'ultrapassar' os monstros é usado do modo contrário, pelo fato do Boarbow ter sido invocado por último, é como se ele fosse o último a chegar. Também vale citar que ele é o único a pedir 5 materiais Xyz, justamente por ter chegado em último. Se você quer montar Zoodiac por causa desse efeito maldito, gimmick e errado, esquece. Por melhor que o deck seja isso nunca vai acontecer.


Longe da Fábula, a história é outra.

 Os Zoodiacs foram apenas inspirados na História do Zodíaco Chinês, mas contam uma outra dentro de seu próprio arquétipo, continuando as intermináveis guerras que o Duel Terminal começou. O interessante aqui é a relação entre os Zoodiacs: o deck possui 4 cartas de suporte não-monstros e nelas temos um pouco das aventuras, das personalidades e do dia a dia deles, e muitas delas batem com as afirmações do Horóscopo Chinês, principalmente em relação a afeição e desgosto entre pessoas desses signos. Um exemplo, na arte da Zoodiac Xiangke, bem ao fundo da imagem temos a Tigermortar pulando para abraçar a Drident (eles tem essa personalidade bem clichezão de anime mesmo, cada um com seu estereótipo e par romantico), mas a Drident não está nem um pouco confortável com o 'assédio', demonstrada pela reação dela na arte. No horóscopo diz que esses 2 signos tem sim uma certa atração, mas que ela não é tão direta. Outro exemplo é a Ratpier saltando do machado do Broadbull para atacar o True King (na arte da Zoodiac Combo e que foi uma puta sacada levando em conta a fábula), no horóscopo ambos os signos são muito compatíveis, ambos mostrando confiança um ao outro.

 Horóscopo não é nada científico e pode ser uma grande mentira (bem provável que seja, enfim...), mas é muito legal que o(s) criador(es) das cartas levaram ele em consideração pra aplicar cada personalidade em cada bicho. Claro que também não vão ser todos de acordo, mas é o suficiente para nos vender que eles são um time que possui seus desencontros também.



Mais Detalhezinhos

 Eu não vou me estender muito aqui, até porque tem muita coisa pra falar que é basicamente detalhes na arte das cartas e nem todas são relevantes. Mas eu vou citar algumas que me chamaram a atenção, a começar por todos os Zoodiacs tem uma arma gigante que são empunhadas por uma manopla igualmente gigante: nessas armas sempre tem a escultura de um ou mais animais do signo representado (o melhor exemplo para enxergar isso é o da Ratpier, alguns exemplos mais obscuros são o da Dridente, onde a ponta do Tridente é uma analogia a boca de um Dragão, ou o chicote do Whiptail, que é claramente uma Cobra) e algumas das personagens usam ataduras no corpo, mais notável a Tigermortar que usa atadura no braço que empunha a manopla gigante (deve ser doloroso usar esses trecos para batalha) e a Drident que usa nas pernas.

 Eu ouvi de um amigo meu que a artwork da Zoodiac Combo pode ser uma referência a capa do jogo Chrono Trigger do Super Nintendo, os Zoodiacs lembram mesmo uma party de jogo de RPG. Vou deixar as imagens abaixo:



-----------------------------------------------------------------------------

 Enquanto o meu post de 2015 foi mais para mostrar a tradução de conceitos (Susto, Esportes, Power Rangers e Kaijus) pro Yu-Gi-Oh, esse daqui foi uma tradução de uma fábula pro jogo e que funciona perfeitamente bem também. Eu sempre tive uma certa simpatia com Zoodiac pelo fato do deck ser extremamente absurdo com o que pode fazer usando 1 carta (Ratpier é o novo Plushfire sim, os mesmos erros nas duas cartas) e depois de ver esse cuidado, carinho e estudo colocado na criação das cartas eu fico ainda mais feliz com ele. Espero ter amenizado um pouco do ódio que a maioria dos leitores sentem pelo deck (eu já joguei com e contra, eu posso não concordar, mas eu sei como se sentem) e espero poder continuar a fazer essa "série" de posts falando sobre o design artístico e conceitual das cartas.

 Muito obrigado a todos que leram até aqui, tenham uma boa semana e falous!

Comentários
1 Comentários

1 Comentários:

Ronaldo Silva disse:
17 de março de 2017 09:04

Muito bom. Nextory 2.0