18 de fevereiro de 2017

Analisando a Link Summon


Open your eyes.

 Eae pessoal, blzinha? O titulo do post está simplista para não ser desagradável, mas aqui eu não vou falar só da nova mecânica revelada, mas sim de tudo que foi mostrado hoje e que vai ser aplicado no jogo futuramente. Hoje foi um dia bombástico, muita coisa nova, muita coisa diferente e muito potencial apresentado nas novas ideias bizarras da Konami. 

 Já expondo aqui que eu estou otimista e 100% a favor das novas mudanças, ainda com algumas coisinhas que eu teria feito diferente, e eu espero convencer vocês também de que elas foram uma das melhores coisas que podiam acontecer no jogo em um bom tempo. Ah, antes que eu me esqueça, eu não vou explicar como funciona as regras, vai ser só um bate papo sobre o que eu achei e no que pode dar, por isso não deixe de conferi-las nesse Link, kakaka!

OBS: sugiro que leiam sobre o que as cartas fazem antes de ler o post. Pelo menos os 5 Link Monsters.


Diferente, mas nostálgico. 

 O primeiro ponto a botar em evidência é o Campo de Duelo que sofreu mudanças drásticas mesmo que ainda pareça bem familiar. Vamos tirar elas do caminho pra falar do que realmente importa, as Zonas Pendulo agora ocupam 2 espaços da sua Zona de Magia e Armadilha: por mais que pareça confuso como isso funciona é bem simples de se entender, se naquela zona especial estiver um Monstro Pendulo, tal zona é tratada como uma Zona Pendulo, caso contrário ela é uma Zona de Magia e Armadilha. Essa regra devia ter sido feita desde o começo da mecânica, decks pêndulo tem basicamente 7 slots de cartas mágicas funcionais, nem todos os decks usavam todas elas, mas não havia risco de se embananar e ferrar as suas jogadas, você não precisava pensar pra agir. A nova regra agora implica que o jogador de pêndulo tenha que ser organizado com seus recursos (palavra chave sobre os Link Monsters, aguardem) e com o posicionamento de cartas. (palavra chave do novo campo, aguardem) Não é algo que vá destruir a mecânica, mas é um tipo de obstáculo que ela devia ter enfrentado desde o começo.

 Por outro lado, o campo não perdeu 4 zonas de cartas a toa, ele ganhou 2 novas e mudou a nomenclatura de uma das linhas: as duas novas zonas são as Zonas de Monstros Extra, uma para você e uma pro oponente, com o twist de, elas não são reservadas, o jogador que puder invocar em uma delas toma o controle daquele lado, direita ou esquerda. Nessas zonas só podem ser invocados monstros vindos do Extra Deck (Fusão, Synchro, Xyz e os Links) e é a principio a única zona que esses monstros podem ser invocados, uma vez que, as tradicionais Zona de Monstros agora é a Zona de Monstros Main, onde somente monstros do Main Deck podem ser invocados. É nessa regra que o bicho pega.


Gotta Go Fast!!

 Não é surpresa pra ninguém que o Yu-Gi-Oh! atual é um jogo de quem grita "Truco!!" mais alto, o meta game está tão rápido que o jogo é decidido na hora que os jogadores abrem as mãos iniciais e se o jogador em segundo tem como gritar mais alto que o primeiro. Ainda tem como o duelo dar uma alongada, mas é sempre chuva no molhado. O que está rápido no jogo é o Main Deck, é dele que os jogadores puxam a mão inicial, o Extra Deck é o arsenal principal que o Main  tenta alcançar, quanto mais vantagem gerada, mais monstros do Extra eu posso invocar e mais forte a minha muralha se torna. O problema é que agora tem uma taxa a ser paga antes de trazer esse arsenal todo pro campo. Só existe 1 Zona pra monstros do Extra Deck, mas ela pode ser expandida com os Monstros Link, mas o custo disso é quase o dobro do que seria feito sem essa regra.

 Pra muitos de vocês isso parece como dar uma pisada no freio e voltar o jogo as épocas primordiais do duelo de tartarugas que todo mundo diz gostar, quando na verdade, ela não fez nada disso. A palavra chave não é Velocidade e sim Recurso: Zoodiacs ainda conseguem fazer as vantagens explosivas com 1 carta, mas o problema é que pra ele ir além disso, ele vai ter que ir contra um obstáculo gastando um pouco mais de recurso. Tem muito deck 4fun rápido pra caramba, com consistência invejável, mas se ele não for capaz de estabelecer um campo forte, ele só foi veloz nada mais. No Yu-Gi-Oh! de hoje campo forte é sinônimo de Extra Deck, lá que estão as cartas que ficam desbalanceadas por causa da velocidade do Main, mas agora o mesmo Extra Deck vai pedir mais recursos pra você acessá-lo e isso balanceia de volta as cartas. Bahamut e Toadally Awesome com 1 carta não mais, você tem que arar o terreno pra poder invocar mais de 1 monstro do Extra, trate de fazer o serviço direito!

 No meu post sobre pontos de ATK eu comentei o efeito de o jogo ser tão rápido e tão forte ao mesmo tempo e como isso tem reduzido o tempo geral de um duelo, com essa regra 8000 de LP é muito mais justo. Só que isso não é uma segurança total, a Konami sempre desvirtua suas mecânicas até elas ficarem só o bagaço, e pode parecer que não, mas Link começou bem mais forte que muita mecânica já criada. Vou comentar deles a seguir.

 O lado ruim da moeda é que Link é uma mecânica que praticamente apaga a história do jogo, é quase como se não fosse mais Yu-Gi-Oh! E isso tem seu lado bom, a Era Pêndulo foi a coisa mais sem graça possível: não só por cartas com efeitos repetidos, monstros floaters ao quadrado (Pêndulo já é floater por natureza, ai vem Pêndulos com efeitos floater, ah não...), mas o principal era "eu estou jogando o mesmo jogo faz anos.". Veio Synchro, veio Xyz, veio Pendulo, mas o que mudava era a cor das cartas que eu usava, o jogo ficou estagnado por um bom período de tempo, não que ele não tenha gerado bons momentos, mas nesses ultimos meses eu mal tinha jogado, as cartas novas não animavam, eu só acompanhava por acompanhar. Agora o jogo vai mudar por bem ou por mal, e devia ser assim toda vez que uma mecânica nova entrar, eles mudarem o jogo um bocado para a experiência de cada época sentir-se única sem perder a essência do jogo, claro. E eu lhes garanto, não perdeu!


Link Summon, Link Monsters, Link Markers e Organização.


 A nova mecânica já vem quebrando todos os tabus do jogo e exigindo regras bem específicas: eles não tem Level/Rank, não tem DEF, são azuis pra nos confundir com Ritual e tem... setas? 

 O conceito da mecânica é muito interessante, cada jogador tem uma fonte de energia Extra, onde somente naquela Zona podemos invocar monstros providos do Extra Deck, só que para não ficar monótono existem os Monstros Link que repassam essa energia transformando Zona de Monstros Main em zonas com possibilidade de invocação Extra. As Link Markers indicam as zonas de influência e também criam uma nova correlação entre cartas: estar Linkado. 

 Somente nessas zonas de influencia que podemos expandir o arsenal do Extra Deck, mas o custo pra isso não é nada barato e muitas vezes não é do jeito que nós queremos já que as Markers tem até 8 posições diferentes. o Link do monstro determina quantos Markers ele tem e também determina quantos materiais serão necessários, mas não é necessariamente isso que deixa a carta boa. O card design de Links são intrigantes, mas fácil de se entender, o fator mais importante é pra onde as Markers apontam. Vou pegar o exemplo de uma carta ruim: Gaiasaber, the Video Knight, um monstro de Link 3 (3 monstros de efeito ou 2 monstros de efeito sendo 1 deles Link 2) vai lhe exigir 3 recursos pra invocar, tem um ataque horrível pra uma carta que precisou de outras 3 pra fazer, não tem efeito e as Markers são confusas (Direita, Baixo e Esquerda). Isso quer dizer que:

 se eu colocar ele na Zona de Monstros Extra principal, ele só passa influência pra 1 Zona de Monstro Main (3 recursos) OU se eu colocar ele numa Zona de Monstro Main já Linkada ele passa influência pra mais 2 outras zonas (4 ou mais recursos)

 Se lhe sobrar ainda recursos pra fazer as 2 invocações do Extra Deck que você queria parabéns, seu Maxx C foi muito bom e seu deck é nível Zoodiac. Se não, você perdeu 3~4 cartas pra não fazer nada! Viram na prática o que eu comentei no tópico anterior, não importa o quão rápido o jogo for, se não valer a pena cometer esses recursos vai ser uma velocidade em vão, sem força e sem pressão. Ah, outro ponto interessante, esses monstros Link são interativos, seu oponente pode destruir eles, as Zonas Linkadas não ficam pra sempre, deixando o jogo bem mais dinâmico. A guerra pelos Links!!

Agora um bom card design com Missus Radiant: Link 2, com um efeito ok, mas aplicável, requer materiais específicos mas não impossíveis, mas o principal é, como dito antes, as Markers: 2 setas pro seu campo quando colocado na Zona Extra Principal .(diferente do Gaia, esse daqui não tem 2 utilidades que se contradizem, ele tem uma única e é muito boa nela) 2 recursos e faz a mesma coisa que o Gaia e tem efeito e é floater. Dá pra se comparar a nova mecânica a um jogo de Dominó, só que diferente desse, usar o minimo de peças é o objetivo.

 Engraçado a Konami revelar justo uma counterpart do Milus Radiant, um monstro EARTH, quando essa mecânica a principio ferra o deck mais badalado do formato, Zoodiacs. Pelo contrário, ela ajuda: 

Ratpier > Wildbow (na única Zona Extra possível no momento) > Tigress > detacha Wildbow pra invocar outro Ratpier > Broadbull sobre a Tigress > ativa ambos os efeitos buscando um Beast-Warrior e invocando o ultimo Ratpier > Lyca sobre Broadbull > efeito trazendo o Ratpier do cemitério.

 Resumo até aqui: 1 Ratpier = 1 Lyca + 3 Ratpier. Sabem o que isso implica, né? Continuando...

Envia a Lyca e o Ratpier invocado por ela pro cemitério (deixando a Zona Extra livre) e invocando Missus Radiant > 2 Zonas Extras liberadas. Daqui é com vocês, ainda tem 2 ratos no campo, bom proveito. Essa é a maneira correta de se aproveitar da nova mecânica e pra isso não é preciso ser rápido, mas ter recursos e gerar vantagem é o lema do Zodiaco. E é nisso que eu me pergunto sobre o futuro, muitas das mecânicas novas revelam seu primeiro potencial com cartas velhas: Tour Guide foi lançada na Era Synchro e é uma sinergista melhor com Xyz, Zephyros já foi um aliado em Pepe, poxa até Breaker the Magical Warrior apareceu em Pepe na falta do Pendulum Sorcerer. A mecânica de Links é muito genérica e isso abre muito mais portas para cartas antigas e sem sinergia com as outras mecanicas brilharem. Gerar vantagem de monstros em campo de forma fácil e sem compromisso é a forma de abusar dos Links, e o Yu-Gi-Oh! tem muita carta assim, quem sabe House Duston não vira a carta chave para monstros Link 5, hihihi...

 Agora a primeira carta que torna essa mecânica interativa com você, o jogador. A Konami não fez 2 zonas diferentes a toa, você pode escolher em qual delas colocar o seu monstro, esquerda ou direita, a que for lhe favorecer mais. Markers para o seu lado do campo sem pre vai ser algo a se priorizar, mas quando a carta tem Markers pro lado do oponente você precisa começar a pensar em como usa-la: por enquanto Decode Talker (o Junk Warrior da geração) é o primeiro e único com Marker pro lado do oponente, mas isso é uma forma de balancear o card design. Os seus 2 efeitos são bem fortes, um deles o tornando uma máquina de matar e a outra protegendo bem suas zonas de influência. Igualmente ao Missus ele te dá 2 Zonas Extra, o que é muito bom pra um monstro que vai ficar na Zona Extra Principal, (de novo, ele tem um propósito e faz isso bem, o Gaia não) só que o oponente ganha uma também pra poder ser justo enfrentar esse monstro.

Porém se o duelo já tiver prosseguido e as duas zonas ainda estiverem livres e o oponente tem um monstro em frente da zona da direita, mas na esquerda não, em qual delas você invocaria o Decode? Aqui que entra a organização e posicionamento. Enfim, depois de anos e anos, até que enfim posicionamento de carta importa no jogo! Você obviamente colocaria na zona da direita, porque a Marker que vai pro oponente já está ocupada aumentando o ATK do Decode para causar um dano maior. Colocar o Decode só pra evitar do oponente usar uma Zona que já está ocupada pode funcionar dependendo de qual monstro ele colocou nela: se eu tiver 2 nível 4, um deles na zona de influencia do Decode, eu ainda posso fazer o meu Xyz usando ambos, mas se o oponente tiver um monstro que não pode ser usado como material de nada, ele fica travado. Lógico que se o seu oponente tiver conhecimento dos Links ele vai saber onde colocar seus monstros e isso que torna o jogo mais divertido e quanto mais Links com setas pra os lugares mais zuados, mais dificil fica prever qual seu oponente usa e como jogar em volta. 

 E no Code of the Duelist já vem cartas que brincam com mudar posicionamento, que já é algo bem velho, mas que pode se tornar relevante nos futuros formatos. Na falta de rulings sobre o assunto eu não vou me aprofundar nesse tópico, muitas cartas antigas vão entrar em contradição com as regras novas, melhor esperar o pronunciamento oficial.


Se eu fosse fazer um Here Comes a New Card...

 Eu ainda não comentei das ultimas 2 cartas Link reveladas, e para não ter que redigir outro post eu já vou fazer um HCNC duplo sobre elas, nada muito aprofundado, até porque não tem o suficiente revelado, mas o que eu considero ser o futuro da mecânica. Vamos a elas:

 Link Spider - O que eu vejo como o verdadeiro futuro da mecânica é isso: Links baixos. O verdadeiro efeito dominó de encher o campo gastando o minimo de recurso possível e quem sabe gerando vantagem no caminho. Link Spider é o melhor começo pra isso, você troca 1 Vanilla por ela e ela devolve esse Vanilla pro campo com o seu efeito, você transformou 1 recurso em 2, já dá pra ir pro próximo Link! É o mesmo efeito dos Accel Synchros, monstros Synchros que são invocados usando 2 outros Synchros, a mecânica invoca a própria mecânica. Isso é muito forte. 

Mas invocar 2 Spider não é o suficiente, se você adicionar mais cartas a equação os campos possíveis aumentam. Vou mostrar outro exemplo:

 Rescue Rabbit > 2 Bittron (o novo vanilla Cyber-Type) > Link Spider em um deles (lembre-se de deixar a Zona Linkada à Spider livre) > efeito da Spider renasce o Bittron > usa os 2 Bittron pra invocar a Honeybot. [OBS: isso também é possível com 1 Draconet]

Aqui você já possui um Link 1 e um Link 2 e 2 Zonas Extras (ambas protegidas pelo efeito da Honeybot) usando 1 carta (que gera 2 recursos), o correto seria você possuir apenas um monstro Link 2 ou dois Link 1, mas com o efeito da Spider você expande o combo. Monstros de Links baixos provavelmente vão ter efeitos que facilitem a vinda de Links maiores e também a quantidade de Zonas Extras e dessa forma a mecânica vai evoluir. Ah, e é dessa forma que você faz o Decode Talker com apenas 1 carta, provavelmente é assim que vai acontecer no anime... Dá pra fazer o Gaia também, mas você tem certeza?

 Honeybot - o efeito dela é o que mais me chama atenção, enquanto o Decode usa os monstros Linkados como custo, ela atribui a eles um efeito. E pra um começo de mecânica, um efeito muito bom por sinal. E pra valorizar ainda mais o card design dela, ela não é um monstro pra se invocar na Zona Extra Principal, ela foi feita pra justamente expandir a zona de influencia e de quebra protegendo ela. (sem usar nada como custo) A Konami se superou com essa mecânica, ler cada carta faz você entender a decisão nos efeitos, nas Markers, no Link da carta, nos materiais e como diferenciar o que tem potencial do que não tem. Isso porque eu nem comentei das outras cartas não-Links que foram reveladas, tem muita coisa boa e o Starter Deck tá com cara de Structure de tão bem bolado que é.

--------------------------------------------------------

 Por mais diferente que o jogo se torne, eu apoio totalmente a ideia, já era hora de um ar fresco no Yu-Gi-Oh! Quanto tempo vai demorar até a mecânica desvirtuar e virar a festa que era antes eu não sei, acho que nem precisa de muito. (Link 1 e Link 2, kakaka) Muitos decks se tornaram ijogáveis nessa história toda, talvez a Konami devia criar o formato antigo do jogo como um formato secundário, não esquece-lo completamente, mesmo que não seja oficial tem jogadores que farão isso pra jogar com os decks que gostam num formato em que os valorizem. Espero que eles também aproveitem dessa nova era do jogo algum dia.

 No mais, ansioso para poder testar a nova mecânica, ver os efeitos que ela vai trazer pro jogo na prática e principalmente para ver como a Konami vai aborda-la para que não seja aquela coisa chata e monótona com os Pendulos. Daqui pra frente eu vou ter mais tempo livre novamente, talvez eu poste mais vezes no blog. Obrigado a todos que tenham lido até aqui, tenham uma boa semana e falous!


Comentários
3 Comentários

3 Comentários:

GameBR05 disse:
18 de fevereiro de 2017 08:17
Este comentário foi removido pelo autor.
Joao Lucas disse:
18 de fevereiro de 2017 09:38

Muito bom o post Subo, gostei. Muita gente tá dando hate na Summon antes mesmo dela se propagar no jogo, falando que ygo morreu. Aposto que são os mesmos que lá pra frente vão "idolatrá-la". Vamos esperar as coisas clarearem primeiro pra dar uma opinião mais forte sobre a Link Summon e ver como ela realmente vai funcionar no jogo.

Thiago Gonçalves Santana disse:
7 de junho de 2017 20:08

Estes Monstros Link com setas horizontais servirão de extensão para se fazer mais zonas de monstros extras, exemplo:

Eu invoco o Decode Talker que têm três setas, duas diagonais e uma vertical (cima = campo do oponente), nas diagonais eu invoco os Monstros Link com setas horizontais (esquerda e direita) com isso eu poderei criar várias zonas de monstro extras, pelo menos foi isso o que eu entendi sobre as Invocações Link, eu só não sei e é possível ter controle da Zona de Monstro Extra que ficará para o lado do oponente.