9 de abril de 2016

Pactos Obscuros e Proibidos - Análise sobre os D/D/D



Esse artigo é de autoria de um de nossos cdc's do Facebook, #YuYui (Gabriel Ulbrich). Créditos totais a ele.

Pois bem, nesse artigo irei comentar um pouco a respeito das novas cartas do arquétipo, o possível motivo de suas criações e a posição do deck de D/D em relação à mecânica de Pendulum. 

Já de inicio deixarei claro de que muitas das coisas apresentadas aqui são apenas especulações e análises pessoais realizadas por mim. Sem mais delongas...


Forbidden Dark Contract with the Swamp King
Spell Continuous

Once per turn: You can Special Summon 1 "D/D/D" monster from your hand in Defense Position, but its effects are negated. Once per turn: You can Fusion Summon 1 Fiend-Type Fusion Monster from your Extra Deck, using monsters from your hand or field as Fusion Materials, including a monster Special Summoned by this effect. Once per turn, during your Standby Phase: Take 2000 damage.








A princípio essa carta aparenta ser uma "evolução" dos Dark Contract (do Dark Contract with the Swamp King para ser mais preciso), e isso se deve ao fato da carta não ser apenas um Dark Contract, mas sim um Forbidden Dark Contract. Outro motivo aparente é o fator da carta causar 2000 de dano ao invés de apenas 1000 – como é o caso de todos os outros Dark Contract.

Após temos isso em mente, uma dúvida irá surgir:

"Se essa carta pode ser mesmo considerada uma 'evolução' da Dark Contract with the Swamp King, por que de certa forma seu efeito é bem mais limitado? Afinal, você não poderá utilizar monstros do seu cemitério para realizar a Fusion summon."

Se olharmos de uma maneira diferente, chegaremos à conclusão de que na verdade essa carta se trata de uma Dark Contract with the Swamp King com um objetivo um pouco diferente. Qual seria ele? Para responder isso entraremos em alguns pontos específicos sobre o arquétipo.


A Pendulum Zone não é o palco principal dos astrônomos

D/D é um arquétipo que possui quase todos os métodos de invocação (com exceção de Ritual), porém o arquétipo utiliza majoritariamente apenas as três invocações principais: Synchro, Xyz e Fusion.

Ao que tudo indica a Konami atualmente está se focando em um método de invocação que não é tão utilizado assim no deck. Isso mesmo, Pendulum. Isso fica bem claro se observarmos atentamente as últimas ações da empresa em relação ao arquétipo (vide Pendulum Domination e algumas cartas recentemente anunciadas).

Nesse instante você irá olhar para esse texto e dizer:
Oras, mas o arquétipo não é formado majoritariamente por Pendulum Monsters?”

Sim, porém tais Pendulum Monsters se sobressaem sendo utilizados em combos mais vantajosos que o próprio arquétipo proporciona. Citarei um exemplo:

D/D Savant Kepler
DARK - Level 1 – Fiend-type – Pendulum Monster – Effect Monster – Scale 10

Pendulum Effect: You cannot Pendulum Summon monsters, except "D/D" monsters. This effect cannot be negated. Once per turn, during your Standby Phase: Reduce this card's Pendulum Scale by 2 (min. 1), then destroy all monsters you control with a Level greater than or equal to this card's Pendulum Scale, except "D/D" monsters.

Monster Effect: If this card is Normal or Special Summoned: You can activate 1 of these effects. You can only use this effect of "D/D Savant Kepler" once per turn. ● Target 1 other "D/D" card you control; return it to the hand. ● Add 1 "Dark Contract" card from your Deck to your hand.


Está aí um monstro que você praticamente nunca irá optar por colocá-lo na Pendulum Zone (exceto em casos muito específicos), afinal, além de ter uma scale que decresce todos os turnos, o ponto forte do mesmo está justamente no seu monster effect de buscar um Dark Contract, o que possibilita inúmeros combos.

Citarei alguns exemplos:

Realize a summon do Kepler (seja por normal ou special summon) e utilize seu efeito para buscar a Dark Contract With The Gate. Em seguida utilize a Dark Contract With The Gate para buscar a D/D Lâmia. Se você já realizou sua Normal Summon, ative o efeito da Lâmia no qual a permite se invocar ao destruir a Dark Contract With The Gate.

Pronto, com apenas uma carta (Kepler) você abriu uma possibilidade para dois tipos de invocação: 

Você poderá utilizar a Lâmia e Kepler para realizar a Synchro Summon de um Formula Synchro, por exemplo, resultando em um synchro tuner em campo e um +1 na mão.

Ou você poderá utilizar a Lâmia e Kepler para realizar a Xyz Summon de uma Sylvan Princessprite, por exemplo. Com seu efeito você poderá escavar uma carta do topo de seu deck; Se for uma spell/trap - Dark Contracts, por exemplo - você poderá adicioná-la à sua mão, caso contrário envie-a para o cemitério. Se nesse caso o monstro enviado for uma Necro Slime, você ainda conseguirá realizar uma fusion summon utilizando um dos materiais retirados para a ativação do efeito da Princessprite e a própria Necro Slime.

"Se o Kepler te possibilita fazer inúmeras jogadas, qual a vantagem de colocá-lo na Pendulum Zone?"

Isso mesmo, nenhuma. O que pode ocorrer são situações específicas onde você possui um ou dois D/D/D Oblivion King Abyss Ragnarok no extra deck, por exemplo, e nesse caso a Pendulum summon irá te dar a possibilidade de ter dois monstros de Level 8 em campo e um possível D/D/D que o Ragnarok irá trazer do cemitério. Mas mesmo assim você ainda terá a opção de invocar o Kepler, buscar a Gate e buscar mais alguma carta que poderá resultar em outro combo (isso se você não tiver seu efeito negado por uma Effect Veiler, é claro).

ARC-V One-Shot
Percebendo isso, algumas cartas foram criadas justamente para suportar a Pendulum Summon no arquétipo, sendo D/D Proud Ogre, D/D Proud Chevalier e até mesmo os recentes D/D Savant Newton, D/D Savant Copernicus e Dark Contract With Yamimakai alguns exemplos disso.
Porém no caso dos mais recentes, mesmo tendo scales fixas, seus monster effects são bem mais vantajosos que os Pendulum Effects, então de certa forma entramos no mesmo ponto do Kepler.   


Tudo têm seu preço

É evidente o fato de que a Pendulum é uma invocação muito forte, e assim como os outros métodos de invocação, a mesma possui um preço. Um dos grandes problemas da mecânica de Pendulum é justamente esse, onde você toma -2 em sua mão para poder invocar quaisquer monstros de sua mão e/ou extra deck (desde que obedeçam a scales, é claro). Apesar disso, justamente por ser uma mecânica muito forte, ela precisa ser cara, porém quando isso acontece à mesma entra em ‘desuso’.
Em contrapartida, quando a mecânica de Pendulum de torna relativamente ‘barata’ (vide Performapal Monkeyboard), o jogo entra em colapso. O exemplo disso está aí à disposição de todos, basta observarmos os resultados dos últimos YCS para percebermos o quão esmagadora era a diferença entre os decks em relação à essa mecânica.

Assim podemos concluir que o segredo para manter as coisas em harmonia é a existência de algumas restrições na mecânica, sejam elas as limitações do que as próprias cartas podem invocar ou seu custo bruto. 

Por exemplo, o Qliphort Scout fazia praticamente o mesmo que o Performapal Monkeyboard, senão até melhor, porém era restringido por condições que lhe permitiam invocar apenas cartas do mesmo arquétipo, e de certa forma é uma restrição ”justa” para uma carta que faz a mecânica de Pendulum sair praticamente ‘de graça’.

Evidentemente D/D nunca iria ganhar um Pendulum desse tipo, pois mesmo contendo restrições do que pode ou não invocar, o arquétipo já possui a Dark Contract with the Gate – uma buscadora.


De volta ao pacto proibido

Entendido isso, agora voltaremos ao ponto inicial para refletirmos a respeito do objetivo da Forbidden Dark Contract with the Swamp King.

Seu primeiro efeito nos permite invocar um D/D/D direto da mão – com efeitos negados e em posição de defesa. Logo em seguida poderemos realizar uma Fusion Summon utilizando obrigatoriamente o monstro invocado juntamente com outro monstro em sua mão ou campo.

"Mas qual seria a vantagem em primeiro invocarmos o monstro para apenas depois utilizarmos o mesmo para a Fusion Summon?"

Não está claro? Se utilizássemos um Pendulum Monster direto da mão como um material para a fusão, o mesmo iria para o cemitério e não poderíamos mais invocá-lo através uma Pendulum Summon. Claro, existem cartas que conseguem contornar facilmente esse risco (Dark Contract with Yamimakai, D/D Savant Newton e D/D Lilith, com o intuito de retornar o monstro novamente à mão).  


Seria Thomas Edson uma possível solução?

Pouco antes de anunciarem a Forbidden Dark Contract with the Swamp King, a Konami havia anunciado um dos dois Pendulum Monsters utilizados por Akaba Reiji/Declan no episódio de número 99 de Yu-Gi-Oh! ARC-V.  

D/D Savant Thomas
DARK – Level 8 - Fiend-Type –Pendulum Monster – Effect Monster – Scale 6

Pendulum Effect: During your Main Phase: You can add 1 face-up "D/D" Pendulum Monster from your Extra Deck to your hand. You can only use this effect of "D/D Savant Thomas" once per turn.

Monster Effect: You can target 1 "D/D" card in your Pendulum Zone; any battle damage your opponent takes becomes halved for the rest of this turn, also destroy that card, and if you do, Special Summon 1 Level 8 "D/D/D" monster from your Deck in Defense Position, but its effects are negated this turn. You can only use this effect of "D/D Savant Thomas" once per turn.


Só de observarmos seu Pendulum Effect, percebemos que Thomas e a Forbidden Dark Contract with the Swamp King possuem uma forte interação. Tal efeito irá lhe permitir recuperar do extra deck o D/D/D utilizado na Fusion Summon. Além disso, podemos expandir mais nossos horizontes e observarmos sua interação com os astrônomos. 

Por ser um monstro de nível 1, na grande maioria das vezes quando o D/D Savant Kepler vai para o extra deck, o mesmo fica preso por lá até o fim da partida. E é nesse momento que Thomas entra em cena para resgatar e nos permitir reaproveitar nosso querido astrônomo (o mesmo vale para os outros astrônomos e Pendulum Monsters também). Além disso, seu efeito auxilia um pouco a mecânica de Pendulum.

Em minha opinião, um dos pontos negativos da carta é justamente sua scale de número 6. É correto afirmar que o arquétipo trabalha bastante com bosses (D/D/D) de níveis altos no main deck (7 e 8), porém eu esperava algo mais ‘abrangente’, como nos astrônomos anteriores – que normalmente seguem um padrão de scale 1 e 10.  

Seu efeito de monstro é deveras interessante também, nos permite fazer o boss D/D/D Duo-Dawn King Kali-Yuga com pouco mais de facilidade. Podemos também facilmente invocá-lo da mão ao utilizar o efeito de cemitério da D/D Swiral Slime, ou invocá-lo direto da Pendulum Zone através do Odd-Eyes Meteorburst Dragon, assim aproveitando seus dois efeitos (Pendulum e Monster).

D/D ainda precisa caminhar um pouquinho mais caso queira manter o total equilíbrio entre as quatro formas de invocação, porém é inegável o fato de que o deck está evoluindo cada vez mais, basta observarmos o fato de alguns Synchros estarem entrando no extra deck do arquétipo, coisa que não era muito comum anteriormente.

  
Então é isso pessoal. Se gostaram, não deixem de comentar, isso é muito importante. Agradeço ao YuYui pelo post, ficou muito bom. Curtam, compartilhem, mostrem pros amigos, e até a próxima!

Comentários
1 Comentários

1 Comentários:

lucast disse:
27 de abril de 2016 09:48

A Nexus possui um grupo de redatores/as muito bom. Que excelentes artigos que nós estamos tendo recentemente. Continuem com o grande trabalho de vocês, gente.