8 de julho de 2015

Deck Profile - Counter Main Phase


Testando formatos e ideias.

 Eae pessoal, blzinha? Antes de mais nada, o vídeo:


Sintam-se à vontade para aumentar o tamanho da tela ou assistir ao vídeo no Youtube, o Blogger é meio chato em relação a vídeos.


 Esse vídeo é de minha autoria e nele tem alguns duelos que eu separei com o deck e também a decklist no final. 

 Por que diabos eu fiz esse vídeo? Nem eu sei, aproveitando que eu estou de férias eu precisava urgentemente voltar a ativa no blog e por ter mais tempo que o comum eu resolvi experimentar um novo formato para expôr o conteúdo e depois de alguns replays divertidos no YGOPro eu pensei em levar eles pra Nexus e ao mesmo tempo tentar mexer em um dos meus bichos de sete cabeças: a criação de vídeos. 

 Obviamente o vídeo possui diversos problemas técnicos, por isso eu gostaria que vocês apontassem esses erros ou dar dicas de como melhorar ou como tornar o trabalho mais fácil de se realizar. Eu não pretendo criar um canal, mas caso acontecer de eu conseguir tempo e empolgação para isso, porque não sair um pouco da fórmula convencional.

A aberração...

 Antes de encerrar o post, eu preciso explicar o que essa bagunça toda se trata: a ideia desse deck veio justamente quando foi revelada a carta Great Horn of Heavens e a interação dela com a Main Phase, nisso eu já lembrei de duas outras cartas: Lightning Rod Lord e Terminal World. Elas seriam as cartas principais do deck. E pra encaixar tudo junto eu acabei optando pela engine de Counter Trap Fairy, com alguns Gellenduos no meio. (ao mesmo tempo ele tem um bom ATK e um bom efeito para me proteger enquanto eu busco as jogadas certas) Não é o deck mais extraordinário ou apelão do mundo (não se enganem com o vídeo, eu perdi várias vezes com o deck), mas me tirou boas risadas e deu pra bolar esse vídeo também.

 Ao ler os efeitos (e o nome) já deve saber do que se trata a jogada principal: atrapalhar a Main Phase do oponente o máximo possível. Great Horn of Heaven e Lightning Rod tem poder pra isso, mas não o suficiente, sem a Terminal World o combo não vai sair do lugar (uma vez que o oponente tem muitas maneiras de contornar os problemas). Só que isso não impede de você usar as cartas sozinhas e ainda obter um bom resultado, o segredo é reconhecer até onde você consegue chegar e principalmente até onde o oponente consegue dançar conforme o seu ritmo. E muito cuidado com missplays, no vídeo eu cometi um monte e os meus oponentes também! Terminal World tem um efeito muito bizarro, no começo, esquecer de setar na hora certa é normal... eu acho...

 O resto do deck é muito simples de pegar, a engine de Counter Trap funciona melhor se você tiver a Artemis e para proteger os seus monstros, além das Traps, tem o Honest e a Snow Rabbit & Ghost Ogre. O deck não está em seu 100% (eu montei ele ontem e fiz poucas mudanças), por isso, sintam-se livres para alterar qualquer coisa. Porém a carta que eu não consigo ver fora do deck é o Utopia the Lightning, esse deck já não tem tanta presença de campo, perder o melhor batedor de qualquer deck com acesso a Rank 4 é fatal.

 Podem me xingar o quanto quiserem, mas eu estou orgulhoso tanto de ter conseguido utilizar as ferramentas de vídeo (que são quase tão malucas quanto o Photoshop) tanto por ter montado esse deck que com certeza vai criar vários inimigos em sua trajetória. No vídeo da pra ver o poder da Great Horn of Heaven, mas não dá pra tirar conclusões exatas do impacto que ela vai ter no jogo. (não usando um "deck" como esse) Se quiserem comentar sobre a carta, mais uma vez, sintam-se à vontade.

 Espero que gostem do vídeo, tenham uma boa semana e falous!

Comentários
0 Comentários

0 Comentários: