9 de maio de 2015

Yu-Gi-Oh! Zexal: Realmente a pior série de Yu-Gi-Oh!?


Marcado como a pior série de Yu-Gi-Oh! por boa parte das pessoas, Yu-Gi-Oh! Zexal traz consigo muito mais que críticas e reclamações:



Fala pessoal, tudo bem? Quem já me conhece pela página no facebook, sabe que eu curto todos os Yu-Gi-Oh!'s, e sempre digo que todos têm seus prós e contras. Por esse mesmo fato, eu sempre vivo tentando criar humor com uma idéia contrária do que a maioria do pessoal pensa: Superestimando o mal falado. Seja uma série ou um personagem. Claro que em alguns casos, é pura ironia. Mas dessa vez, estou a falar sério. Para você que não assistiu todos os Yu-Gi-Oh's e já ouviu falarem mal, ou você mesmo que já assistiu e não gostou, espero que ao lerem o nome "Zexal" não desistam de ler, e acompanhem-me em mais um post. Vamos lá:


Ínicio: Séries anteriores.

Yugi, Yusei e Judai, protagonistas aclamados pelo público.

Antes da sua exibição, Yu-Gi-Oh! Zexal (2011) teve 3 antecessores: Yu-Gi-Oh! Duel Monsters (2000), Yu-Gi-Oh! Gx (2004) e Yu-Gi-Oh! 5d's (2007) respectivamente. Essas 3 séries tiveram grande aceitação pelos fãs brasileiros. Yu-Gi-Oh! Duel Monsters e Yu-Gi-Oh! Gx foram exibidos pela antiga TV Globinho, e isso foi o fator que contríbuiu para que essas duas séries fossem as mais reconhecidas de todas. Com a ascensão da Internet e um ótimo enredo, Yu-Gi-Oh 5d's passou a ser acompanhado com mais frequência por um número maior de fãs, consequentemente aumentando (e muito) sua popularidade. Quem não lembra da nostálgica música de entrada de Yu-Gi-Oh! Duel Monsters? Ou da divertida música de entrada do Gx? Tanto a história, quanto seus protagonistas foram surpreendentes:
  • Mutou Yugi (Yugi Mutou): Com um tema mais sombrio, a história do clássico Yu-Gi-Oh! é ótima. Com tantos desafios e problemas caso se perdesse um duelo (reino das sombras e alma em cartas), o protagonista que é um menino baixinho e tímido, vira um Faraó confiante e destemido. Mutou Yugi é um ícone quando se fala em Yu-Gi-Oh!.
  • Yuki Judai (Jaden Yuki): A história do Yu-Gi-Oh! Gx teve suas cenas mais coloridas, porém, teve momentos que conseguiu manter o ritmo sombrio do primeiro Yu-Gi-Oh!. Yuki Judai é um garoto divertido, mas diante de tantas dificuldades, começou a perceber que duelo nem sempre é brincadeira. Sua personalidade e tema de deck são adorados por muitas pessoas.
  • Fudo Yusei (Yusei Fudo): Trazendo já consigo uma nova forma de duelar, e uma nova invocação, Yu-Gi-Oh! 5d's é considerado por muitos o melhor da série. Fudo Yusei é um gênio do duelo, e juntamente com sua personalidade, trouxe pra si diversos fãs. 5d's foi também o ANTECESSOR DE Yu-Gi-Oh! Zexal. Caso queria saber um pouco mais, leia Yu-Gi-Oh! 5d's - O primeiro episódio perfeito
Tudo bem. Aonde você quer chegar? Fez eu vir até aqui só pra fazer ler o que eu já sei? Não. Continue:

Yu-Gi-Oh! Zexal e Tsukumo Yuma. Um espelho das séries anteriores?

Kaito, Yuma e Shark, os principais de Zexal.


A princípio, um telespectador que acabou de sair da séria antecessora de Yu-Gi-Oh! Zexal, o Yu-Gi-Oh! 5d's, acaba se deparando com algo totalmente diferente: Um cenário mais colorido, com personagens de design mais "infantis". A Konami é uma empresa capitalista, e para si, quanto mais novos jogadores surgirem, melhor. Zexal foi a porta para que esses novos jogadores entrassem. Prova disso é que nas primeiras temporadas das série, no final de cada episódio, haviam perguntas simples, relacionadas com as regras do CardGame. Mas por que um design mais infantil? Por que não usar como base uma enredo mais adulto, com uma história mais séria, igual foi o 5'ds que foi um sucesso? A resposta para essa pergunta é simples: Renovação. O foco do Zexal no começo era trazer novos duelistas mirins, e ao mesmo tempo fazer com que os antigos duelistas se adaptassem à nova invocação da época, que eram os Xyz. Atingir diretamente as crianças já é uma tática antiga. Quando tratamos de qualquer relação de consumo que envolva crianças como consumidores, estas serão consideradas hipossuficientes e mais vulneráveis que um adulto/adolescente ao poder da persuasão.
  • Tsukumo Yuma (Yuma Tsukumo): Nosso protagonista é um garoto de 13 anos, que realmente possui uma voz diferente (meio irritante pra quem ouve pela primeira vez), atrapalhado e um verdadeiro perdedor. Porém, é o típico personagem que mesmo levando chumbo, sempre se levanta. Até agora, foi o único protagonista que no começo, não sabia duelar direito. Achei isso magnífico, o anime criou uma situação real, que todo mundo já passou. Ou vai dizer que você já começou sendo bom? Com a ajuda de Astral, e passando por muitas situações difíceis, seu desenvolvimento dentro da série foi algo incrível. Por ser apenas um garoto, e ser ingênuo em muitas situações, sua amizade talvez seja a maior dentre os 3 protagonistas anteriores. Mesmo sendo enganado por "amigos", ele nunca deixou de querer ajudá-los. A série em alguns momentos tenta forçar situações engraçadas (algumas cenas realmente são engraçadas), porém, esse é o estilo da maioria dos animes infantis, sempre tentando trazer humor ao público.

Antes de Yuma, o protagonista era Fudo Yusei. Quem viu ele em ação, sabe que dispensa comentários. Um verdadeiro gênio. Sua personalidade era séria, entretanto, ele se importava muito com os amigos. Yusei conseguia fazer com que todos ficassem impressionados com seus duelos, com o modo que ele chegava a vitória. Sempre calmo e frio, fazia o melhor para resolver seus problemas. Com o seu sucesso, e o fim de 5d's, foi anunciado um novo Yu-Gi-Oh!: Yu-Gi-Oh! Zexal. Muitos se perguntavam: Como será a nova série? Será que terá um enredo sério, como o DM e o 5d's? O protagonista será como o Yusei? Ah, não. O protagonista tem que ser igual o Yusei e o Yugi. Boom! A nova série foi anunciada, e... TSUKUMO YUMA? Um moleque com um design infantil? Irritante? Não sabe duelar direito? Ah, eu quero um novo Yusei. Isso foi um dos motivos que muitos nem começarem a ver a série. Outros tentaram assistir, mas, ao perceberem que o foco não era mais adulto (isso na 1 temporada) e o protagonista era diferente, simplesmente desistiram. 

O que devemos saber é que, cada protagonista tem sua personalidade. Querer que um seja como o outro, é totalmente sem sentido. Temos que aprender a abrir a mente para o novo, e se desprender (não esquecer) um pouco das antigas coisas. Yu-Gi-Oh! Duel Monsters com o tema Egito foi bom? Foi. Yu-Gi-Oh! Gx com a Academia e o mundo dos espíritos foi bom? Foi. Yu-Gi-Oh! 5d's com os Synchros e duelos em motos foi bom? Foi. Apesar de um pouco diferente aos olhos de muitos, Zexal conseguiu se encontrar, e melhorar cada vez mais. Querer que ele seja o mesmo, um espelho das séries anteriores é sem sentido também. 



Devemos lembrar que no começo do CardGame,  jogo já fazia um sucesso enorme com apenas poucas opções de jogadas: Tribute Summon, Ritual Summon, e Fusion Summon. Porém, o jogo teve que inovar com as novas invocações, para um que a empresa pudesse sair da mesmisse e gerar um lucro. Podemos associar isso com o Zexal.


Influência de outros animes: Pokémon e Digimon.
Pokemon e Digimon: Os clássicos sempre são considerados os melhores pela maioria.

Quem nunca assistiu Pokemon e Digimon na TV Globinho? Era muito divertido, eu não lembro de muita coisa, mas sempre acompanhava. Como esses dois animes, Yu-Gi-Oh! Duel Monster (E Gx) também foi exibido na TV Globinho. O que os 3 têm em comum? É que apenas suas primeiras séries foram exibidas, e elas foram as portas para que as pessoas conhecessem esses animes. Tirando o fato que quando chegava em um ponto da história, ela resetava e começava tudo de novo, fazendo que todos pudessem conhece-las. O fato é que, muitos só assistiram as primeiras séries desses animes, e pararam por aí. Quando se fala em Yu-Gi-Oh!, Pokemon e Digimon, o que vem na cabeça dessas pessoas são os protagonistas clássicos: Yugi, Ash e Tai. No entanto, todos esses animes continuaram, criando novas séries, personagens, história. Muitos fãs de Digimon e Pokemon, não continuaram acompanhando, e ao verem as nova séries de seus respectivos animes clássicos, odiaram (nem todos). Se queixaram de monstros e personagens mais infantis, e "nada a ver". Com isso, acabaram associando esses fatos aos novos Yu-Gi-Oh!'s, como o Zexal, mesmo sem nunca terem assistido. 


Enredo da história: Sempre infantil?
Imperadores Barians: Trouxeram mais emoção na segunda parte do anime, Zexal II.

A primeira temporada da série é composta por elementos novos: Nova invocação, novos personagens, novo ambiente. Tudo isso ligado ao fato que teremos que nos acostumar com isso. Isso é natural. Tudo que é novo, tudo que se diferencia das nossas expectativas, causa um impacto muito grande, uma estranheza. No começo, vemos Yuma tentando encontrar a si mesmo; Uma chave; Uma porta; Um poder desconhecido dentro dela. O que isso tudo tem a ver? 

Logo no primeiro episódio, Yuma se encontra com Astral, seu novo companheiro, exatamente como Yugi e o Faraó Atem. A diferença é que Yuma é cabeça dura, e mesmo Astral tentando o ajudar nos duelos, ele fica fazendo escândalo. Talvez isso seja o fato que muitos já comecem a odiá-lo. Mas calma, lembre-se que ele é um pirralho de 13 anos. E muitos pirralhos de 13 anos têm essa personalidade. 

Logo na primeira temporada, os dois entram em um campeonato, e Yuma com o sonho de vencê-lo, passa a cooperar com Astral. Astral é um entidade, exatamente como Yubel. Tentando recuperar sua memória e passado, ele está tentando juntar as 100 cartas Numbers. E o campeonato é um oportunidade perfeita para ele recolher tais cartas. A partir daí, vemos como Yuma, um pirralho e 13 anos, começar a enfrentar muitos problemas, e passa a perceber que o mundo não gira em torno da sua infantilidade, começando a evoluir. Perceberam semelhanças com séries anteriores? Yuma e Astral - Yugi e Faraó Atem/ Judai e Yubel. Yuma, um garoto atrapalhado, cabeça dura e brincalhão, que se passa a se comportar melhorar durante a série - Yuki Judai, um garoto atrapalhado, brincalhão, que evolui e muda sua personalidade. 

A segunda temporada do anime, Yu-Gi-Oh! Zexal II, é o clímax da história. Surgem os Imperadores Barians. Os Barians também precisam recolher as cartas Numbers, para salvarem seu mundo, e nisso, um conflito surge com Astral. Quem está certo? Mesmo os Barians usando qualquer método sujo para recolher as cartas, será mesmo que eles estão errados em quererem salvar seu mundo? Esse conflito de idéias é muito impactante. Outro ponto interessante, é que durante uma parte da série, Astral se separa de Yuma. Será que Yuma consegue resolver os problemas sozinho agora, mesmo sem aquele que sempre esteve com ele, o ajudando nos duelos? É aí que vemos se ele evoluiu ou não. Realmente, Yu-Gi-Oh! Zexal passa da água pro vinho.


Yu-Gi-Oh! Zexal: Inovações e contribuições.

Invocação Xyz em cima de monstros Xyz e Rank-Up: A marca da série.

Yu-Gi-Oh! Zexal trouxe 2 inovações para o CardGame: As Rank-Up, que são cartas mágicas que "evoluem" os monstros Xyz. Na segunda temporada do anime, ela foi umas das principais cartas usadas, tanto por vilões, quanto por mocinhos. A outra inovação, foi a possibilidade de invocação Xyz em cima de um monstros Xyz já em campo. Tudo isso foi um Up muito grande pros jogadores. As famosas Rank-Up do anime, estão sendo esquecidas com o tempo, apenas alguns decks específicos as usam. Porém, elas podem trazem alguns monstros "Chaos" assustadores, e não deixam de ser um opção forte no 4fun. Já a possibilidade de usar um monstro Xyz com um já existente em campo é magnífica. É uma forma rápida caso você use todos os Xyz materiais do seu monstro, para trazer um outro, com a possibilidade de usar seu efeito mais uma vez. Decks como Utopia, Hieratic e Galaxy se aproveitam muito dessa efeito. 

Yu-Gi-Oh! Zexal abriu a porta para muitas possibilidades, e devemos lembrar que inovação é sempre importante, e nem sempre é sinônimo de coisa ruim. Temos que aprender a analisar melhor as coisas antes de sair descendo o pau, consequentemente levando muitas outras pessoas que nunca assistiram, a terem a mesma opinião que você. Agora deixo a pergunta no ar: Yu-Gi-Oh! Zexal é realmente a pior série de YuGi-Oh!?

Então é isso meus queridos, espero que tenham gostado. Lembrando que esse post não tem o intuito de mudar a opinião de quem já assistiu e não gostou, pois opinião é opinião. Porém, espero que tenham entendido a mensagem que eu quis passar. Tem algum amigo que critica Zexal sem ter visto? Não só Zexal, mas todas as outras séries novas que sofrem preconceito. Comentem, compartilhem e monstrem pros amigos. Até mais!

Comentários
21 Comentários

21 Comentários:

TheSkyleri disse:
9 de maio de 2015 22:05

Post muito bom, zexal so se perdeu um pouco na historia como por exemplo (SPOILER) (SPOILER) quando vector esta unindo o mundo barian com o humano juntamente com don thousand, nenhum barian desconfia nem mesmo nasch que seria o imperador

KiNg3X disse:
9 de maio de 2015 23:36

Ótimo post. Fazia um bom tempo que eu não comentava aqui. Posso dizer que não consegui assistir ZEXAL por dois motivos:
1. Yuma. Pra mim ele foi um personagem bem irritante, pelo menos no começo, com aqueles gritinhos chatos e aquela frase que ele sempre dizia.
2. Músicas de fundo nos duelos. Meu Deu do céu, aquilo era chato demais. Você via os duelos do 5D's com aquelas músicas eletropunk ou eletroWhatever, que seja e, porra... Era muito foda, fazia você ficar ligado no duelo. No ARC-V eles até melhoraram isso, e muito, pois estou curtindo quase todas as músicas de lá. Talvez seja por causa do diretor que é o mesmo do 5D's, vai saber.

Talvez, se não fosse por esses motivos, eu teria visto Zexal inteiro, pois só vi até o primeiro arco.

hugo cesar disse:
9 de maio de 2015 23:47
Este comentário foi removido pelo autor.
hugo cesar disse:
9 de maio de 2015 23:51

Gostei muito do zexal, no começo não tinha muita graça mesmo mas com a chegada dos barians especialmente o vector a historia decolou de vez, melhor que o 5ds não é mas serie teve seus acertos e não foram poucos.

Vilão: Vector sem a menor sombra de duvida foi o melhor vilão yugioh já teve serio o cara era pura maldade um verdadeiro psicopata , enganou, matou,torturou fez yuma e astral brigarem, fez o kaito brigar com pai, matou os próprios pais, assassinou um monte de gente cometeu suicido, voltou dos mortos, traiu a todos, e se alegrava com o sofrimento dos outros e muito mais coisas que agora não lembro, um vilão em tanto pra uma serie dirigida para o publico infantil? . Antes dele vilão no yugioh só servia pra encher lingüiça Pegasus não passava de uma mistura de viúvo chorão com empresário safado e quem não se decepcionou com z-one de 5ds um vilão super clichê?

Comedia: nesse quesito a serie deu um banho em 5ds impossível não se divertir com algumas das zueiras dos personagens. Num dos episódios Yuma deu um belo de um chute no saco de Gauche, noutro epi shark vê Tetusuo(não sei com escreve) de cosplay de Gogo-Golem e reclama da peça de teatro que a Irmã participa ela irritada joga o sapato que usava na cabeça do shark, no mesmo episodio Astral zomba do fato de Yuma estar fantasiado de temtempo the percussion djinn e Anna Kaboom zomba desta mesma fantasia.

Originalidade: alem de mostrar uma nova invocação xyz cuja sua maior vantagem é não depender de cartas especificas como as anteriores(eu mesmo sou um usuário assíduo de xyz)nos mostrou um protagonista que alem de não ser super inteligente como yusei e yami yugi, duelava muito mal e pela primeira vez sofria derrotas constantes mas com o tempo e muito treino foi melhorando.
Bom meu artigo acaba por aqui e espero que gostem Hugo Cesar.


Yuri disse:
10 de maio de 2015 00:44

Também gostei do zexal, porém tbm acho que se perdeu um pouco na história.
A família de Tron e o próprio poderiam ter tido melhor desempenho contra os Barians, o IV por exemplo, se não tivesse duelado com o chefão poderia ter ganho de algum outro.
Todos foram bons. Meus Preferidos são Gx, Zexal e Arc V, no entanto não consigo dizer qual gostei mais.

Gabriel Fideli disse:
10 de maio de 2015 01:41

Nunca gostei e nunca vou gostar pior protagonista DE LONGE duelos muito forçados sem estrategia nenhuma basicamente algo mais op colocado turno a turno sem contar a historia que começou uma bosta e terminou uma LOUCURA do zorra total e praça e nossa junta enfim ainda bem que acabou essa porcaria agora ainda tenho que aguentar ela UM POUCO no arch v o/ enfim zexal ja foi e nao fez falta o/

daniel black disse:
10 de maio de 2015 16:12

Nem vou dizer que no Próximo Episódio do ARC-V o Chaser vai usar cartas daquele policial que enfrentou o Yusei, com um novo Tuner, eu acho e dois novos Goyo. Opps, já disse. :)

Matt disse:
10 de maio de 2015 22:05

Pleno 2015 e eu ainda estou me perguntando como acham q 5D'S foi a melhor série :')

subonito disse:
11 de maio de 2015 00:42

Não sou um dos maiores fãs do Zexal, mas eu respeito a série (até onde eu consigo). E diferente do que muitos falaram, eu gosto bem mais do começo da história do que toda a viagem que fizeram depois (o ponto que a história começou a cair pra mim foi o Torneio de Heartland), Yu-Gi-Oh é um jogo capitalista e até agora o anime nunca incentivou a colecionar cartas, Zexal com a "caça aos Numbers" foi o primeiro a investir nisso e deu resultado, conheço algumas pessoas que querem terminar a coleção dos tão lendários 107 Numbers e suas evoluções.

No começo então a história era sobre o Astral e como ele mudaria o Yuma e de repente surge um sub plot de um moleque mascarado e seus filhos que querem vingança contra um pai maluco que quer usar o filho mais novo pra dominar um universo alternativo e aí aparece o Torneio de Heartland, ah, como eu odeio aquele torneio: nele temos uma inversão de papéis, a caça aos Numbers fica em segundo plano (consequentemente o Astral fica em segundo plano) para colocar uma trama clichê de bem contra o mal no plano principal. Dá pra notar isso também pelo fato de o Astral não mais pegar o "Number do Dia" e checar as suas memórias, se não era pra ser útil pra história não coloca isso nela desde o começo, né? Como telespectador eu me senti enganado. "Então esse maluco azul aí não tem importância pro plot, beleza" Ao menos o Yuma cresce como personagem, um dos pontos que foram estabelecidos desde o começo da história foi cumprido.

Eu acabei desistindo de Zexal na metade do Zexal II, o problema dessa vez foi a enrolação (na parte dos Numbers Falsos, no episódio do maluco das lulas, para ser mais exato). Pelo menos dessa vez a trama principal foi estabelecida desde o começo ("temos que vencer o exército Barian") e o Astral voltou a ter um minimo de importância. Os personagens também não me atraiam muito: Yuma só fica interessante nos últimos episódios, os amigos do Yuma tirando a Kotori (que tem um conflito próprio legalzinho) eram só pra marcar presença mesmo, Gilag e Alit, mesmo estando numa guerra, foram uma piada por um bom tempo (e quando eles agem de acordo com a situação eles estão sendo controlados). E vão me bater mais se eu falar que eu não gosto do Vector, ele inteiro pra mim foi uma forçação de barra: como diabos ele não é o Final Boss? Eu não tava nem aí pro Don Thousand, ele não fez nem metade que o Vector fez e no fim o Vector era só um Minion, eu entendo o que ele significa pra evolução pessoal do Yuma, mas como personagem ele não passa de uma ferramenta estereotipada pacas (psicopata que gosta de ver os outros caindo em desespero, consegue ser mais clichê que isso?). Mizar, Kaito, Shark e Astral eram os que me mantinham assistindo o anime e eles apareciam poucas vezes muitas delas sendo ofuscados pelo Yuma e/ou Vector (preciso repetir que eu não gosto deles?), vai ver não era pra mim o Zexal II, mas eu não consegui continuar e só voltei pra ver o duelo Astral vs Yuma que foi muito bom e que cumpre o que eu falei antes.

Meu problema com Zexal é que a história foi me traindo aos poucos e por ser um treco mais infantil eu não vi mais o que esperar da trama. E por mais que eu ame o Duel Monsters eu tenho que dizer: pior que ele nenhuma série do Yu-Gi-Oh será. O Kazuki escrevia muito mal, nossa senhora ;=;. No fim, quando se trata de "pior" ou "melhor" tudo não passa de subjetividades, ou seja, existe pior ou melhor PRA VOCÊ. Não tem essa de melhor ou pior UNIVERSAL, só falei isso por causa desse moleque aí que falou que não acredita que achem o 5D's o melhor, pois trate de acreditar, existe todo tipo de pessoa que busca coisas diferentes para formar a sua opinião e seus gostos.

No mais, belo texto gostei pra caramba do post!

Joao Lucas disse:
11 de maio de 2015 11:11

Obrigado todo mundo pelo elogio :')
Não digo que ZEXAL é o melhor, mas também não é tão ruim a ponto de ser considerado o pior assim, como todos falam. Realmente tem algumas cenas chatinhas, mas que no fim voce acaba se acostumando com o jeito do Yuma e gostando da série.

Kymer-Sama disse:
11 de maio de 2015 14:07

Pior que o Duel monsters não é. E eu parei de ver quando começou o torneio (especificamente na parte do cachorro) mano, o plot principal dos Numbers foi legal, mas tipo, DO NADA sumiu. Ficou o torneiozinho tosco lá.
Ainda não tentei ver o resto, um dia eu verei.

Todd disse:
11 de maio de 2015 17:06

ZeXal na minha opinião, é sim a pior fase de Yu-Gi-Oh! Motivos não faltam: O protagonista é um chorão sem carisma, a "Téa" genérica da série (Kotori) é mais chorona ainda, sendo extremamente irritante na maioria das vezes em que aparece, os personagens são plágios mal feitos de personagens de DM: Shark é o valentão que tem uma irmã doente e se torna amigo do protagonista - Joey, Kaito é o cara rico com o irmão menor que vive em apuros, usa um dragão isto de olhos daquilo de 300 de ATK e 2500 de DEF - Kaiba, Yuma é o garoto ingênuo que vive com a avó (avô, no caso do Yugi), tem uma relíquia que usa como colar e nesta, reside um espírito que o ajuda nos duelos e situações difíceis - Yugi, Vector é um vilão que começa se fazendo de bonzinho e depois vira a casaca - Marik (Detalhe que ele imita as caras e bocas do Yami Marik o tempo todo)
O enredo é infantil e mal feito, eu chego a rir quando usam a expressão "Assassinos Barian" no anime, uma vez que ninguém morre lá, apenas viram purpurina e surgem novamente x episódios depois.
Sinceramente, não entendo como uma pessoa é capaz de querer dizer que o plágio mal feito é superior à obra original do mestre Kazuki Takahashi, não tenho escolha a não ser qualificar como -burrice- uma visão turva e limitada do original e da cópia.
Por fim, em ZeXal tudo é colorido demais, os monstros são infantilizados e todo mundo vira amiguinho e vomitam arco-íris ao final das tretas. Lembrando novamente: Minha opinião :)

Joao Lucas disse:
11 de maio de 2015 17:13

@Todd, respeito sua OPINIÃO. Porém, parece que você não leu uma linha do texto e já veio criticar o Zexal. Garanto que se você ler, todas as coisas que você ACHA que são ruins no Zexal, serão respondidas.

Todd disse:
11 de maio de 2015 17:24

João, Claro que eu li, amigão, mas eu cordialmente tenho que discordar de suas "defesas" apresentadas, portanto, nada do que li de fato mudou ou "respondeu" de maneira plana todas as coisas que eu SEI que são ruins em ZeXal.

Joao Lucas disse:
11 de maio de 2015 18:34

Bom, então também devo dizer que eu cordialmente tenho que discordar das suas críticas, haha. Primeiro, se for pra pensar em YuGiOh no geral, todos, ou a maioria são plágio do DM. Não existe essa de apontar o dedo na cara de Zexal e falar que tal personagem é igual esse, que é um cópia. Olhe para as séries anteriores de Zexal, que verás vários personagens que são iguais aos personagens de DM. "O Enredo é infantil e mal feito". Bom, se você leu meu texto, viu o porquê disso. Dar risada e falar que não tem sentido o anime dizer "Assassinos Barians" porque os personagens "morrem" e voltam, é sem sentido. Ora pois, não aconteceu isso em GX? Em 5d's? Qual a diferença com Zexal? Você apontou criticas em Zexal, que também acontecem em outras séries, ou seja, sem fundamento. Outro argumento batido: Você diz que os monstros são "infantilizados". Essa não é a situação do nosso CardGame atualmente? Os monstros também não estão "infantilizados"? Se voce acha isso ruim, aposto que nao deve jogar né? O que importa são os efeitos, a artowrk da carta também conta, é claro, faz com o que o duelista goste do deck um pouco mais e possa se indentificar com ele, mas não é o mais importante. É muito fácil apontar coisas ruins numa série. Se quiser, posso escrever um post apontando erros desde o DM, até o ARC-V. O díficil é apontar coisas ruins na série que façam sentido. De resto, é só uma simples opinião. Abraços

Todd disse:
11 de maio de 2015 20:01

Já ficou mais que claro que temos opiniões praticamente opostas sobre o assunto. Eu poderia rebater seus argumentos como você rebateu os meus, aí novamente você os rebateria e ficaríamos nessa por um tempo, o que seria desgastante para ambas as partes, creio. Vou ser sincero com você, "tenho preguiça" de discutir sobre isso, pois já foi tópico de diversas conversas que participei anteriormente e é chato falar de uma mesma coisa o tempo todo. Tenho uma opinião formada sobre ZeXal e você também, bom, nada de errado nisso, se todos nós pensássemos igual, morreríamos de tédio.
Uma coisa, minhas críticas não são sem fundamento, eu apenas escrevi a ponta do "iceberg" em meu primeiro comentário, praticamente falei só por cima do assunto, já que, como mencionei anteriormente, não gosto de perder tempo com isso... Eu poderia dissertar sobre cada motivo que me fazem considerar ZeXal inferior às outras séries, mas não sou redator, não tenho paciência e acho desnecessário... Tendo explicado superficialmente minha opinião, finalizo aqui o assunto -de minha parte-, abração!

Kimer disse:
11 de maio de 2015 22:36

Sim, pra mim Zexal é a pior série. Mas não quer dizer que seja ruim. Muito pelo contrário. Embora eu tenha achado a primeira fase ruim pra caramba, na segunda as coisas melhoram muito. O duelo entre o IV e o Nasch foi um dos melhores de todos os tempos, na minha opinião.
Mas a temática mais infantil da série não me agradou, talvez por eu estar em uma idade mais adulta. O Yuma é irritante do começo ao fim, com aquele jeito de criança teimosa que aparecia principalmente no começo. E a trilha sonora eu não achei que casou bem com a série, só uma música dela me agradou.

ABCD disse:
12 de maio de 2015 09:54

Neguim reclama do Arc-V porque o Yuya chora pela Yuzu e ama o Zexal, mas esquece que o Yuma chora por qualquer merda que ocorre.
Uma coisa que me fez detestar o Zexal é o protagonismo do protagonista. Só ele que duela... todo santo episódio tem ele duelando e poucas vezes os outros. Isso porque o Yuma é um bosta de personagem em todos os aspectos. O Astral é o que salvava o episódio. Eu assistia por conta do Astral e Shark.. o resto dos amigos do principal são um toddy. No Arc-V/5Ds/DM/GX os secundários tem sua quota no duelo. Direto eles estão duelando. Se a gente pegar o Zexal, o Yuma duela quase 5 episodios consecutivo.... Se o personagem tivesse carisma daria pra relevar, mas nem isso. Em relação ao enredo, ele fica bom depois da metade da 2 temporada.

Vinicius disse:
16 de maio de 2015 22:04

Não só gosto de Zexal como acho a melhor temporada de Yu-Gi-Oh!

¯\_(ツ)_/¯

pablo39 disse:
3 de junho de 2015 18:16

seus malucos o melhor yugioh e zexal!!!!!!

Nan Pendragon disse:
14 de dezembro de 2015 17:35

1 - 5D's
2 - Arc-V
3 - Duel Monster
4 - ZeXal 2
5 - GX
6 - ZeXal