6 de dezembro de 2014

Carta da Semana #139: The Monarchs Stormforth

Quem disse que você tem que usar um monstro seu para tributo?

The Monarchs Stormforth
Spell Quick-Play
Once during this turn, if you would Tribute a monster(s) for a Tribute Summon, you can Tribute 1 monster your opponent controls as if you controlled it. You can only activate 1 "The Monarchs Stormforth" per turn. During the turn you activate this card, you cannot Special Summon monsters from the Extra Deck.









Fala pessoal, tudo bem? Como o CyberBlu não está presente, hoje estarei apresentando a Carta da Semana em seu lugar. E se reclamarem, semana que vem eu volto de novo. Bricandeira, espero que gostem. Vamos lá!


The Monarchs Stormforth é uma carta recente, que chegou através do booster pack Duelist Alliance. Esse mesmo booster introduziu ao jogo os Monstros Pendulum, algumas cartas do ARC-V, e suportes para diversos outros decks. E os Monarchs não ficaram de fora. Todos perceberam que ultimamente, a Konami quer equilibrar a força dos 5 principais tipos de invocações (Fusão, Synchro, Xyz, Pendulum e Ritual). Para não deixar o tão antigo Tribute Summon para trás, The Monarch Stormforth e algumas outras cartas foram criadas. No entanto, não são apenas os Monarchs que se beneficiam com essa Spell. Para decks que possuem uma média de monstros entre level 5~6, essa carta virou uma Staple.


No formato atual, deu pra notar 4 tipos de decks: Os que não possuem pretensão alguma (Evilswarm, Mermail, BlackWing, Batteryman), os anti-metas, os metas, e os recém-lançados que possuem ascensão para ser meta. The Monarchs Stormforth pode se encaixar em quase todos eles. Sempre me perguntei, e agora, te convido à refletir comigo: A Konami apenas vai desenvolvendo os efeitos das cartas e só depois ela vê os combos e estragos que a carta pode causar, ou tudo é pura estratégia? Lá no começo do cardgame, eu ficaria com a opção 1. Agora é a opção 2. Os U.A é um exemplo de deck em ascensão para ser meta. Por alguma razão, ou apenas coincidência, a maioria dos monstros é level 5. Perfeito para o Stormforth entrar em cena. Já com os Batteryman, essa mágica caiu nas graças. Por um leve período de tempo, o que mais se encontrava era build de Batteryman com ela, ou players no DN jogando com eles. Tudo isso graças a seu poder de invocar o Batteryman Charger rapidamente, iniciando um combo devastador.

Carinhosamente apelidado como "Não deixe seu oponente jogar" deck.

Como exemplo de Anti-meta, o mais famoso é da família dos Vanity's + Majesty's. Com uma pitada de Monarch, fica pior ainda. Notamos que, a Stormforth é indispensável nesse deck. Tudo isso pela capacidade de botar fácilmente em campo dois monstros considerados pesadelos para o META. Majesty's Fiend e Vanity's Fiend. Outro fator importante nessa mágica, é que seu custo de não poder invocar nada do extra deck no turno da ativação, pode ser considerado 0. Isso é simples: Nos decks que ela se encaixa bem, você não precisa usar seu extra deck. Ou melhor, você não usa seu extra no mesmo turno. Monarch, U.A, Batteryman, Jinzo, Vanity's etc, sua intenção é sempre a mesma. Se livrar do monstro do oponente e deixar um monstro que abirá novas jogadas para especial summon da mão ou deck (Batteryman), ou apenas deixar um monstro para infernizar as jogadas do oponente (Jinzo, Vanity's Fiend). Nada mais, nada menos. O custo que a Konami colocou na carta foi um "migué" para não deixá-la muito absurda, juntamente com o padrão de custo das outras carta para Monarch.



Talvez essa seja a parte mais prazerosa de quem gosta de usar essa mágica: Tributar os monstros do oponente no lugar. Lembrando que, The Monarchs Stormforth não dá target. Ou seja, efeitos que negam/impedem target(s) de cartas não a desbancam. Na maioria dos decks superiores, o que mais existe é cartas que te atrapalham ou te impeçam de fazer algo. El Shaddoll Winda que o diga. Nos livrarmos dessas cartas no momento certo é crucial. Dependendo do ponto que a partida está, você usar um monstro "chave" do oponente para um tributo, e colocar um outro que trave sua jogada, é meio caminho para a vitória. Só que temos um impasse: Atualmente, 80% dos decks que possuem uma média alta de monstros com level entre 5~6, que são os mais populares (Monarch, Anti-meta, U.A), possuem a Stormforth no Main Deck. Se você está em uma partida contra seu oponente, e ele ver que você está de Monarch, por exemplo, pode ter certeza que ele saberá que virá uma Stormforth, e provavelmente vai montar um campo para lidar com isso. Saber usar essa mágica no momento certo, e usar o monstro certo como tributo, é que lhe dará uma ampla vantagem para a vitória.

Então é isso meus queridos, espero que tenham gostado. Não foi um post longo, como o Blu geralmente faz, mas espero que minha visão sobre essa carta tenha chegado até vocês. Até a próxima!

Comentários
6 Comentários

6 Comentários:

Marlone Santana disse:
6 de dezembro de 2014 15:05

Lembra da carta que o garoto jogava no TANG DUEL? o Maju?
É bem delicioso vc tributar a Construct do oponente invocando um bicho por normal summon com 5600 atk...

Hahah!

Pena q essa carta ajuda os Qliphot na hora de tributa-los.

Ótima escolha para a carta da semana. Abraços!

ABCD disse:
6 de dezembro de 2014 16:13

Já vi players de Qliphot a usar essa carta em demasia, sempre pegando Construct ou aquele Nekroz.

Cyberblu disse:
7 de dezembro de 2014 11:44

Qliphot fazem a festa, mas o mais impressionante é que tem jogador usando ela em decks Shaddoll/B.A. com duas cópias do Raiza no Main, isso ajuda porque em momentos que o oponente controla Shadow-Imprisoning Mirror pode ser surpreendido (colocando a Mirror no topo do deck). O mesmo vale para o Majesty's Fiend.

Ótimo post JL, e obrigado por cubrir essa semana para mim, pela primeira vez na vida eu vou trabalhar em dezembro e não vou ter tempo ;(

Joao Lucas disse:
7 de dezembro de 2014 14:11

Qliphort fazem a festa mesmo com ela. Ela caiu como uma luva em bastante deck. Valeu a todos.

Hell disse:
8 de dezembro de 2014 10:44

blu, onde vc participa de torneios em floripa?

incognito disse:
8 de dezembro de 2014 14:50

Que silêncio que tá aqui kkkk, que falta faz o episódio hein