18 de outubro de 2014

Here Comes a New Card #59: Superheavy Koujin Susano-O


Que os deuses nos guiem nessa jornada.

 Eae pessoal, blzinha? Chegou o momento de eu me assumir como fanboy de Superheavy Samurai, me segurei um tempão para comentar sobre o deck porque até então ele era falho e bem incompleto. Agora o deck recebeu mais suportes e definiu de vez o seu estilo de jogo, isso não o tornou um deck perfeito, ainda falta muito, mas de longe é o deck que mais me chamou a atenção na era Arc-V.

 No post passado eu percebi que conseguia escrever rápido sobre uma carta que eu não gostava, a argumentação vinha na minha cabeça só de pensar na carta, vou ver se o oposto é possível com a carta de hoje. (na verdade é possível, eu fiz isso no post dos DDD) Prometo me segurar e não exagerar no post, quando você realmente gosta de algo isso é simples. Sem muito papo, vamos falar do grande sincro que surge para ajudar os Superheavys:

Superheavy Koujin Susano-O
Nível 10 / EARTH / 2400 / 3800
Machine / Synchro / Efeito
1 Machine-Type Tuner + 1 or more non-Tuner "Superheavy Samurai" monsters
(This card is always treated as a "Superheavy Samurai" card.)
This card can attack while it is in face-up Defense Position. If it does, apply its DEF for damage calculation. Once per turn, during either player's turn, if you have no Spell/Trap Cards in your Graveyard: You can target 1 Spell/Trap Card in your opponent's Graveyard; Set that target on your side of the field, and if you do, banish it when it leaves the field.





Koujin, a cruel divindade.

 Susano-O é baseado na divindade japonesa de mesmo nome, esta que é conhecida como deus dos mares e das tempestades. Como a maioria das civilizações antigas, os japoneses consideravam fenômenos naturais como se fossem uma obra de uma criatura sobre humana, um deus. Esses deuses foram conhecidos como Koujins (荒神, que também pode ser lido como Aragami), que em tradução livre seria o mesmo que 'Deus Rude' para nós, rude no sentido de, por ser um fenômeno natural, causar muitos estragos.

 A palavra Koujin também pode se referir a uma outra divindade, mas não é o caso do Susano-O, o que pode ser aproveitado mais pra frente com futuros suportes cobrindo mais partes da rica cultura japonesa.

 Susano-O é utilizado por Gogenzaka Noboru no anime do Yu-Gi-Oh Arc-V fazendo parte indiretamente do arquétipo usado pelo personagem, os Superheavy Samurais. Susano-O quebra o recorde de pontos de DEF do arquétipo com seus 3800 e ainda é o único monstro com um bom ATK dentre o grupo.


O melhor ataque é a defesa.

 Superheavy Samurai não inova em nada no jogo, mas esse é um dos seus charmes. Ele pega uma ideia esquecida e faz um grupo de cartas girar em torno dela, é claro que eu estou falando do efeito de atacar em modo de defesa que teve origem com o Total Defense Shogun e mais pra frente recebeu a ajuda do Elemental HERO Rampart Blaster, mas porque a ideia não foi pra frente até então? Simplesmente pela falta de investimento nela, na época o jogo era muito lento e raros monstros faziam o serviço sozinho (dá pra comparar as melhores cartas de hoje com as melhores antigas, as diferenças são nítidas), eles eram muito dependentes ou serviam apenas para bater devido ao seu alto ATK. A partir do finalzinho da era GX que começaram a investir em acelerar o jogo, mas os monstros que atacam em modo de defesa ficaram para traz e só agora eles voltam pro jogo. Eu não vejo essa espera de forma ruim, eu até gostei que eles entraram numa era onde o jogo está mais rápido do que nunca, sem essa velocidade duvido muito que eles fossem sobreviver em outras épocas do jogo.

 O deck gira totalmente em volta do Superheavy Samurai Big Benkei, ele é quem permite seus monstros a atacarem em modo de defesa e aplicar a DEF ao invés do ATK nessas ocasiões, e que por sinal, são altas demais. O próprio Benkei tem 3500 e os outros membros raramente tem menos que 1800. O deck ainda possui monstros que funcionam como monstros Union com finalidades completamente diferentes entre si: uns aumentam a DEF, outros dão efeitos extras e alguns deles protegem seus Superheavy Samurais.

 Por fim, como já dito durante o anime do Yu-Gi-Oh Arc-V o deck do Gogenzaka é um deck Monster Mash (ou Full Monster), um estilo de deck que só deu resultado uma vez no jogo todo do Yu-Gi-Oh com o Gallis FTK. Essa informação pode ser tanto empolgante quanto decepcionante e é aqui que o post começa de vez: Será que os Superheavy vão conseguir sobreviver sem cartas mágicas ou armadilhas?


A melhor defesa é a defesa.

  Aqui chegamos num ponto delicado do jogo: é de senso comum que um deck que consiga usar magias e armadilhas se sairá melhor do que um que joga sem, isto considerando que ambos os decks possuam os mesmos monstros. (só para evitar alguma exceção) Magias e armadilhas são dois dos principais pilares decisivos do jogo, elas aceleram suas jogadas enquanto atrasam a do oponente e ainda não tem uma regra que limite sua utilização no turno. Um deck com apenas monstros pode ser perfeitamente interpretado como um deck antiquado, atrasado. (e aqui está o segundo charme dos Superheavy Samurai) Porém, entretanto, todavia, o arquétipo não impede o jogador de escolher, o que é positivo pro jogo e que deveriam repensar em relação a certos decks algumas restrições imbecis. Para alguém ter que escolher entre algo é preciso levantar a sensação de dúvida, outro charme dos Superheavy, pois eles fazem isto sem atrapalhar a consistência nem nada: apenas os monstros que estão na coleção Secrets of Eternity tem esse tipo de efeito em que caso você não possua cartas mágicas ou armadilhas no cemitério eles podem ativar um efeito extra que está muito longe de ser ruim. Eles mostram que vale a pena rodar o deck sem usar magias ou armadilhas e então ele coloca o jogador em check dando a ele opções igualmente boas, fazendo ele pensar e escolher. Algo que muitos decks hoje em dia não fazem, infelizmente.

 A resposta para a pergunta que eu fiz no final do tópico anterior é um sonoro "sim!", Susano-O é mais do que evidência para isso. O primeiro efeito dele é bem simples e permite com que ele ataque em modo de defesa usando 3800 pontos no calculo de dano. Monstruoso! Mas o que importa para nós agora é o segundo efeito que permite usar cartas mágicas e armadilhas do cemitério do oponente, isso sim é monstruoso, o Yu-Gi-Oh já teve cartas que usavam efeitos nesse estilo mas elas eram reprimidas com condições e custos altíssimos, Susano-O faz isso de graça e sem frete. Isso inverte toda aquela história de que decks sem magias ou armadilhas não podem gerar vantagem, esse efeito faz com que você siga o mesmo ritmo que o oponente: tudo o que ele pode, você também pode. Além de ser uma saída divertida contra Shaddoll.

 Ao mesmo tempo que a ideia é boa ela levanta contradições. O ponto aqui é ver até onde vale a pena esse efeito. A primeira parte negativa nisso tudo é que o seu oponente dá as cartas, ele pode contornar o efeito do Susano-O facilmente, sendo assim quem vai ditar o ritmo do jogo é ele, não você e mesmo que ele tenha que passar por cima do Susano-O, essa não é uma tarefa tão complicada. O segundo problema é que se ele buscar cartas no turno do oponente ele não vai poder usa-las, tanto cartas armadilhas como magias de ativação rápida não podem ser ativadas no turno em que são setadas. Esse detalhe nem chega a ser um problema direito, uma vez que você está roubando a carta do oponente, por isso é sempre bom tentar prever o que o oponente irá fazer e pegar uma carta que vá te ajudar a contornar isso no próximo turno. Por fim, chamar o Susano-O não é a coisa mais fácil do mundo, a condição de usar monstros Superheavy como o material não-regulador (não-tuner) é aceitável, mas só torna as coisas mais difíceis já que os monstros Superheavy não tem grande potencial em encher o campo, seria necessário a ajuda de terceiros para isso, o que não é bem um problema, porém atrasa todo o processo colocando em risco a jogada.

 A resposta que eu chego depois dessa análise é que o que faz o Susano-O ser o monstro que é, é por causa do primeiro efeito. O segundo efeito é somente um extra que pode vir a funcionar e eu já havia realizado isso antes mesmo de começar o post. Achei necessário fazer toda essa análise crítica porque é muito fácil se surpreender com algo e depois entender que não é tudo isso. Esse é o hype, uma nuvem de poeira que nos impede de ver o que realmente está na nossa frente. Agora é hora de falar do efeito que eu deixei em segundo plano nesse tópico todo e que é o que mais importa na carta de hoje.


A honra do samurai, a fúria do Deus.

Existe uma boa quantidade de cartas que atraem o público por uma razão, tal razão que é antiquada, mas ainda define muita coisa no jogo. Yu-Gi-Oh sempre foi um jogo onde quem acaba com os pontos de vida primeiro ganha, então criaturas com maior poder de fogo sempre se destacaram, não seria diferente com Susano-O e tantos outros monstros com força bruta acima do comum. Considerando que o Susano-O pode ser invocado com certa facilidade sua DEF (lê-se ATK) de 3800 é muita coisa, isso considerando seu efeito a mais, algo que o Big Benkei não tem e por isso é uma carta mais "justinha".

 Não é raro ver a carta ao lado aparecendo em duelos por aí, Leo é uma carta muito boa justamente por ter um ótimo ATK e de quebra se protege sozinho, esse tipo de carta consegue decidir um jogo e não é todo deck que consegue contornar com sucesso. Tome como outro exemplo o Apoqliphort Killer. Mas o Susano-O não se protege, se o fizesse a carta seria estrondosamente poderosa, mas aí é que entram os outros Superheavy Samurais: começando pela Soulfire Suit, a melhor carta de proteção do deck tendo um efeito muito parecido com a Necloth Gungnir, descartando a carta ela protege um monstro Superheavy Samurai que você controla de qualquer destruição até o fim do turno, o problema dela é que fora isso a carta é completamente dispensável. Mas por outro lado temos o Nagareboshi que pode se banir do cemitério e negar um efeito que alveje um monstro Superheavy que você controle, este por sua vez que faz um trabalho importante pro baralho, podendo chamar o Big Benkei com mais facilidade pro campo.

 Mesmo que as defesas pareçam poucas ou pouco confiáveis, o arquétipo ainda permite que você use cartas mágicas e armadilhas para o serviço e como já dito o que importa no Susano-O não é o seu segundo efeito. Forbidden Lance é a carta mais apropriada para isto, ela não só impede que seu monstro seja afetado por outras magias ou armadilhas como também não impede o poder de fogo do Susano-O. (ou mesmo do Big Benkei, a alma do baralho)

 Pode parecer que o deck dos Superheavy seja agressivo, mas está longe disso, o deck deles funciona melhor caso você busque controlar o jogo usando um monstro grande como escudo e fazendo o oponente tentar retirá-lo de campo. O grande problema que o deck sofria antes do Secrets of Evolution era a dificuldade em puxar o Big Benkei pro campo para começar a controlar o jogo, agora isso ficou bem mais fácil. O deck está crescendo pouco a pouco e ganhando monstros com mais força e que ajudam principalmente o Big Benkei, isso é o suficiente para no futuro ele se tornar um deck levemente competitivo.


Quebrando a balança.

 Pra esse post preparei 2 Decklists e vou discorrer sobre cada uma brevemente e explicar certas escolhas. A primeira decklist é o obrigatório Monster Mash, já que o arquétipo clama por um deck desses, vamos dar a ele o seu pedido. Um deck desse tipo é bastante diferente de um deck que roda magias ou armadilhas, nem que sejam poucas cópias, aqui você tem que segurar o jogo com o que possui no momento, certos decks Monster Mash para contornar o problema adotam um estilo de jogo mais agressivo para acabar com o jogo rápido e não depender de sorte (já que os recursos acabam mais rápido), outros decks optam por Hand Traps para ao mesmo tempo que os seus recursos vão embora o oponente não possa reagir (comumente Maxx "C" e Veiler são o suficiente) e ainda tem  alguns que controlam o campo com um monstro forte, assim não precisando gastar tanta carta para se impor no jogo. Superheavy supre a terceira opção e a adição de Hand Trap só vem a acrescentar pro baralho, o deck pode muito bem jogar com apenas monstros. E eles tem sorte por serem do Tipo-Máquina, o que só facilita o processo graças aos Geargias que ajudam a concluir jogadas e ainda 'segurar o campo' de certa forma. Apenas o Hogarai é pouco pro baralho, nesse caso também optei por duas cópias de T.G. Striker. O truque desse baralho é jamais perder o ritmo, se isso acontecer é difícil se recuperar no duelo. Jogue com calma e use o seu momento para pressionar o oponente com um único monstro e segura-lo em seu campo.

Decklist: Revolução Industrial.

Main Deck
Extra/Side Deck
Monsters [40]:
[3] Superheavy Samurai Big Benkei
[3] Superheavy Samurai Blue Brawler
[3] Superheavy Samurai Ten B-N
[3] Superheavy Samurai Iwatoshi
[2] Superheavy Samurai Kageboshi
[2] Superheavy Samurai Hogarai
[3] Geargiarmor
[3] Geargiarsenal
[3] Geargiaccelerator
[3] Tinplate Goldfish
[3] Giant Rat
[2] T.G. Striker
[2] Effect Veiler
[3] Maxx "C"
[1] Ancient Gear Box
[1] Redox, Dragon Ruler of Boulders

Spells [0]:

Traps [0]:
Extra Deck [15]:
[2] Superheavy Koujin Susano-O
[1] Leo, Keeper of the Sacred Tree
[1] Goyo Guardian
[1] Naturia Barkion
[1] Powered Inzektron
[2] Gear Gigant X
[1] Number 101: Silent Honor ARK
[1] Number 103: Ragnazero
[1] Evilswarm Exciton Knight
[1] Number 50: Blackship of Corn
[1] Dark Rebellion Xyz Dragon
[1] Cairngorgon, Antiluminescent Knight
[1] Castel, the Skyblaster Musketeer

Autor: Subonito
OBS: a sensação de dizer que o deck não possui magias ou armadilhas é ótima.


 A segunda decklist é um Superheavy normal, com magias e armadilhas e repetindo: não é nenhuma heresia usar essas cartas. A grande mudança desse deck pra versão antiga é que agora não tem motivos para não deixar o Big Benkei na mão, Kageboshi está aí para resolver o problema, e o Horagai sempre que possível ajudando a invocar o Susano-O, mesmo que sem roubar cartas do oponente. Giant Rat ainda se vê necessário no baralho, na verdade não é "necessário" mas sim "funciona muito bem", enquanto for possível chamar o Big Benkei do baralho com uma carta ele vai continuar sendo útil no baralho. Como já citado anteriormente, Forbidden Lance está no baralho para aumentar a supremacia dos seus monstros no campo, assim como a trinca de Upstart não lhe atrapalham já que os monstros principais do baralho tem um ATK muito bruto. Por fim temos a Phantom Spring of Dragon Souls, uma carta muito boa para por o Big Benkei de novo no campo, além de colocá-lo já em defesa, (caso você ativa-se uma Call of the Haunted durante uma chain o Big Benkei perderia seu timing e não poderia mudar para defesa pelo seu próprio efeito) é preferível o uso dela do que do Redox sempre que possível.

Decklist: O Deck deste Servo.

Main DeckExtra/Side Deck
Monsters [20]:
[3] Superheavy Samurai Big Benkei
[3] Superheavy Samurai Blue Brawler
[3] Superheavy Samurai Ten B-N
[3] Superheavy Samurai Kageboshi
[2] Superheavy Samurai Hogarai
[3] Giant Rat

Spells [10]:
[3] Mystical Space Typhoon
[3] Forbidden Lance
[3] Upstart Goblin
[1] Soul Charge

Traps [10]:
[3] Breakthrough Skill
[2] Dimensional Prison
[2] Phantom Spring of Dragon Souls
[1] Solemn Warning
[1] Bottomless Trap Hole
[1] Compulsory Evacuation Device
Extra Deck [15]:
[2] Superheavy Koujin Susano-O
[1] Leo, Keeper of the Sacred Tree
[1] Goyo Guardian
[1] Naturia Barkion
[1] Powered Inzektron
[1] Gear Gigant X
[1] Number 101: Silent Honor ARK
[1] Number 103: Ragnazero
[1] Evilswarm Exciton Knight
[1] Number 50: Blackship of Corn
[1] Dark Rebellion Xyz Dragon
[1] Cairngorgon, Antiluminescent Knight
[1] Castel, the Skyblaster Musketeer
[1] Gagaga Cowboy

Autor: Subonito


-----------------------------------------------------------------------------

 Caramba, eu fiz o post em um dia, maldita Konami, pare de lançar carta toda semana. Brincadeiras a parte, a culpa é minha e do meu amor pelos Superheavy Samurai, tudo que é naturalmente bom contém uma pitadinha de maldade, infelizmente. Só que eu achei que o post ficou meio estranho, vai ver é a mudança bruta do competitivo (Necloth) pros tiers inferiores (Superheavy) ou talvez no pouco tempo em que eu fiz ele, enfim, no final quem dá o veredito nessas coisas não sou eu.

 Agora o leque de opções para futuros posts aumentou e muito, não sei bem o que escolher mas já tenho candidatos em mente, qualquer sugestão é bem vinda. (menos Infernoid, tenho outros planos para eles) Sendo assim, este servo se despede de vossas senhorias e vai descansar, tenham uma boa semana.

Comentários
5 Comentários

5 Comentários:

Adson disse:
18 de outubro de 2014 18:25

Muito bom, o interessante nele é que nao tem cara de ser usado por um personagem principal, esse archtype tem cara daqueles que aparecem totalmente fodas com efeitos e mecanicas interessantes, mas são esquecidos pq o usuário é um "figurante"(como muitas cartas esquecidas nos animes).
Esse deck ainda vai dar muito o que falar, inverte a idéia de como um deck é feito, vai chegar num momento que um puro SHS monster mash será mais op e consistente que tier 2.

Emerson Martins de Deus disse:
18 de outubro de 2014 19:56

Porra subo, depois me conta essa macumba de botar o dedo no turbo e o post ficar perfeito, estou começando a desconfiar que a konami confidenciou esses spoilers para você antes e.e

---

Superheavy Samurai é um deck muito interessante, a mais ou menos um mês antes desse post, eu já estava testando eles, e pensei "porra, mas isso é legal demais '-'", eu cheguei a testar as cartas OCG do Challengers, ficou legal colocar Math e Foolish no deck só para combar com aquela armadura que da dano igual a diferença da defesa original(aí combava aquele que zera a defesa com ela :v), esses novos eu não testei, e logo pergunto, isso aí já tem no pro? Faz só dois dias mais ou menos que revelaram O.o. Ainda bem que baixei meu pro hoje...

Seus posts são sempre bem completinhos eu gosto disso, eu acho que vou testar a sua build Full Monster, porque achei mais interessante(talvez por ser algo bem inovador nos dias de hoje e.e).

Sobre a carta que é o assunto principal do post, eu gostei bastante, defesa colossal, eu atribuiria eles serem invulneráveis a Mirror Force como qualidade, mas ninguém mais usa Mirror Force :/
Sendo enfeite ou não, acho que vale a pena ter a chance de usar o segundo efeito do Koujin, por isso vou tentar focar no full monster, o único problema como citado, é que isso traz prejuízos, mas não custa tentar, Superheavy para mim pode ser o Blackwing dessa geração(ai se isso acontece-se mesmo :v).

Eric Luiz disse:
18 de outubro de 2014 20:54

cara muito bom seu post
Tbm adorei a ideia da konami lançar um personagem do anime com deck full monster.
Mas é possivel utilizar algumas spell no deck e poder ativar segundo efeito do susano.Dá para vc ativar uma raigeki pra limpar o campo do seu oponente e depois banir ela e fazer special summon o spell Striker ou então ativar a ROTA e add um t.g ou o próprio Spell Striker e banir a própria ROTA. Se tiver um tuner na mão ainda faz um synchro LV5 sem gastar normal ainda ou então faz susano e fica com spell striker em campo e com graveyard sem spell/trap

outra carta é breakthrough skill ativa no turno do seu oponente depois bane ela no seu turno e se possível faz o susano ativa seu segundo efeito.

Na minha opinião tanto breakthrough skill como o spell striker pode ser usado num deck Superheavy Samurai quase "full monster".outra coisa gostei da imagem bateu uma Nostalgia
do Battousai O Retalhador ^^

Guilherme Lerry dos Santos disse:
18 de outubro de 2014 23:37

Senti falta de Inferno Reckless Summon pra socar o campo de Benkeis nervosos.

Odd Eyes Dragon disse:
19 de outubro de 2014 15:40

Bom post, o efeito desse monstro aí é bem diferente, o que faz ser broken, mas vamos ver no que da