7 de outubro de 2014

Here Comes a New Card #55: Beast-Eyes Pendulum Dragon


A grande evolução dos Pêndulos aparentemente são Fusões. Estranho...

 Eae pessoal, blzinha? A carta que eu escolhi para comentar hoje já foi revelada a quase um mês atrás, ela (nos parâmetros atuais do jogo) não vai fazer absolutamente nada sobre o Meta, porém ela levanta possibilidades para o futuro da nova mecânica: os Pêndulos. Eles ainda não estouraram como uma mecânica espalhável por qualquer deck, ela possui muitos pontos negativos que desmotivam o pessoal a apostar nela, mas em algum momento isso vai acontecer e a primeira aposta da Konami para isso são as fusões. 

 Entretanto, o que realmente me incomoda nas ultimas jogadas da Konami é o jeito que ela busca promover as mecânicas, ela está atropelando o sentido e as peculiaridades de cada uma delas. Este ponto eu vou discutir amplamente no post também. Fora tudo isso, claro, vou abordar o que a carta de hoje tem a oferecer fazendo olhares minuciosos sobre seus status perante o jogo. Sendo assim, hora de domar a fera:

Beast-Eyes Pendulum Dragon
Nível 8 / EARTH / 3000 ATK / 2000 DEF
Dragão / Fusão / Efeito
1 DARK Dragon-Type monster + 1 Beast-Type monster.
Must be Fusion Sumonned, or Special Summoned (from your Extra Deck) by Tributing the above cards you control (you do not use "Polymerization"), and cannot be Special Summoned by other ways. If this card destroys a monster by battle: inflict damage to your opponent equal to the original ATK of the Beast-Type Fusion Material Monster used to Special Summon this card.



O entretenimento da Fusão de Contato.

 Beast-Eyes é um monstro utilizado pelo protagonista do Yu-Gi-Oh! Arc-V, Yuya Sakaki, e que representa a evolução do monstro ás do garoto, Odd-Eyes Pendulum Dragon. Os materiais de fusão do Beast-Eyes podem ser tanto os próprios Pendulum Dragon quanto os Performapal, os monstros que Yuya adora e são seus companheiros para todos os duelos. Isso é interessante porque dá uma segunda utilidade pros Performapal além de auxiliar o Odd-Eyes a fazer mais dano.

 A arte do bichano é uma obra a parte: os detalhes do corpo dele parecendo ossos e a pelagem azul escura dão uma aparência bem intimidadora ao monstro. Porém o que chama a atenção são os seus olhos, ora porque não seriam eles? Mesmo não sendo um Odd-Eyes, o Beast-Eyes possui olhos de cores diferentes (amarelo e verde) e ele ainda possui um terceiro olho gigante em sua testa. Durante o meu post do Odd-Eyes eu discursei sobre o fato da cor de seus olhos serem as mesmas da Yubel do Yu-Gi-Oh! GX, agora quem faz referência a companheira de Jaden Yuki é o Beast-Eyes devido ao terceiro olho, as semelhanças são claras.

 Outro material de teorias é a forma de invocação do Beast-Eyes, um upgrade da criativa Fusão de Contato, protagonizada competitivamente pelos Gladiator Beast e de forma divertida pelos Neo-Spacians, estes que foram usados por Jaden Yuki no Yu-Gi-Oh! GX assim como a Yubel. Da mesma maneira que isto pode ser interpretado como uma homenagem a mecânica da Fusão de Contato, também pode ser interpretada como um desrespeito a mecânica da Fusão. Discorrerei sobre isso no próximo tópico.



A Fusão que mais parece um Sincro.

 Hora de eu soltar as rédeas e cair com tudo na critica. Para começar, uma ambientação: a mecânica das Fusões foi introduzida no jogo desde os seus primórdios, ela era ao mesmo tempo interessante, divertida e adicionava uma saída do monótomo estilo de jogo da época. Ela consiste em fundir dois ou mais monstros com uma carta especial para formar uma criatura mais poderosa, o detalhe que separa o momento atual daquela época é que as Fusões antigamente possuíam materiais específicos. Esse pequeno detalhe acarreta em 3 coisas: • faz mais sentido para a definição da mecânica. • torna decks com Fusões de materiais específicos mais dependentes. • atualmente monstros específicos e o ato de usar uma carta especial são os únicos pontos que separam as Fusões dos Sincros e dos Xyzs.

 Obviamente os monstros de Fusão sem materiais específicos são mais consistentes em relação aos demais, mas de que adianta impulsionar uma mecânica sendo que no fundo está tornando-na igual a todas as outras por aí? Fusão sem material específico é quase o mesmo que Sincro sem necessitar de Reguladores (Tuners) ou Xyz sem necessitar de monstros com níveis similares. O exemplo das Fusões atuais mostram um tipo negativo de desconstrução de mecânica, em que destrói o que fez delas queridas pelo público. Pior que isso no caso do Beast-Eyes, a Fusão de Contato só piora mais para ele. Acho que seria mais fácil imprimir a carta dele com o fundo branco tipico dos Sincros, porque do jeito que está parece um desrespeito com as Fusões, como se dissessem "não tem mais jeito para a sua mecânica, vocês vão ser mais do mesmo a partir de agora.". Compartilho da mesma opinião para o Gladiator Beast Nerokius, mas ao menos nele os monstros voltam pro baralho.

 O que eu vejo nisso tudo é a saída fácil e tosca da Konami para deixar os monstros Fusões competitivos, aposto que se qualquer deck com Fusões de material específico tivesse uma Shaddoll Fusion em mãos eles já teriam meio caminho andado até o patamar competitivo sem precisar dessa palhaçada toda. Espero que a empresa reveja muito bem essas ações e volte a respeitar o jeitinho especial de cada tipo de invocação, senão teremos um deck de cartas coloridas, mas olhando bem, serão todas iguais.

Com estes:
 
Você pode fazer estes (além do Beast-Eyes):
Acho que tem algo errado aqui...



 O lema dos Performapal é o entretenimento. E entretenimento é o que o Beast-Eyes tem a oferecer. Muito se discute sobre o potencial de cartas no jogo, mas acho que a argumentação mais errônea é aquela que rejeita aquilo que não tem potencial para o Meta. Antes de ver até onde a carta pode chegar temos que buscar pelo possível "porque" a carta foi criada, se essa carta entrar nos quesitos da pergunta, ela cumpriu seu dever no jogo, caso encerrado.

 Eu já pensei no jogo dessa maneira, jogando lotes e lotes de cartas e suas intenções no lixo por aceitar somente aquilo que ficaria minimamente consistente. Obviamente existem cartas cujo objetivo é datado (seja pela banlista ou pelo tempo), mas mesmo assim podemos encontrar uma segunda chance para as mesmas. Por que eu estou todo sentimental assim? Oras, é preciso por as cartas na mesa para se jogar com elas: Beast-Eyes tem sim seus (muitos) defeitos dependendo do contexto com que você analisa a carta, mas ela cumpre o papel que veio fazer no jogo, auxiliar a mecânica pêndulo. Mas ai vocês me perguntam "como isso ajuda se nem ao menos competitivo ele é?", mas não é somente do competitivo que vive o jogo, e essa mentalidade 4fun ainda gera lucros pra Konami, ou vocês acham que o pessoal ainda compra Crystal Beast porque ele destrói tudo no Meta.

 Odd-Eyes, o garoto propaganda, já divulgou o Pêndulo e os seus básicos, agora é a vez de Beast-Eyes e Rune-Eyes de levar o básico ao nível intermediário. E da melhor maneira possível, diga se de passagem, mostrando o que nos espera num futuro próximo e já colocando em prática um teste de aptidão desses monstros no jogo competitivo, se der certo, mais deles vêm ai, se der errado, plano S de Sincro (talvez). E graças aos jogadores 4fun essa é uma jogada com 100% de lucro. 

 Pra pré-venda da ideia eles começaram muito bem: Beast-Eyes possui fácil assimilação em muitos decks e pode ser um monstro importante na partida, monstros com alto ATK geralmente tem esse detalhe, eles impõe pressão, eles são o alvo principal do oponente (e o seu também se você quiser protege-lo). Como vocês acham que Qliphort ganhou fama? Eles colocam muitos bichos assim em campo de uma vez só, a pressão de enfrentar algo assim aumenta proporcionalmente ao balançar do pêndulo. O efeito de burn do Beast é algo a acrescentar, pode ser, também, muito irrelevante e você vá usá-lo apenas pelo poder de fogo de fácil invocação, mas ainda está ali caso precisar.

 Numa leitura mais atenta no texto da carta revela que ele ainda pode ser invocado por Fusão normal, além da Fusão de Contato, outro acréscimo pra carta que só tem a ganhar a medida que o jogo vai evoluindo. Beast-Eyes é o tipo de carta que evidências falam melhor que argumentação, por isso, prosseguimos para a próxima sessão.


Trocando Ideias.

Já aproveitando, vou mesclar a parte de decklist junto do tópico, para não só deixar o texto menor como poupar trabalho em transitar pelo post para checar as informações. Começo essa parte com a decklist mais consistente das que testei para o dragão, uma variante que mescla Rescue Rabbit, Dragard e a dupla Wyverbuster e Collapserpent. O que realmente deixa o deck superior as outras versões que eu testei é o fato de que toda carta tem um anjo da guarda, se ele cair, um segundo ou terceiro usa deste outro monstro e não deixa o ritmo de jogo desacelerar. A estratégia principal de invocar o Beast-Eyes é com o Dragard, que invoca qualquer Monstro Normal do cemitério cujo ATK seja 1000 ou menos (Wilmee e Sleeping Lion), acho que vocês já entenderam que eu não dou a mínima pro efeito de burn do dragão... Dessa maneira, o deck não só pode abusar de jogadas com Xyz como Fusão também. Outra coisa que eu acrescentei para deixar as coisas mais divertidas foi Swamp Mirrorrer, uma das cartas novas subestimadas do Battle Pack 3, ele têm sua utilidade que se mostra presente nesse deck, quado existir um monstro forte com restrições de Tipo e/ou Atributo e não for tão simples de chamar ele substitui o material muito fácil, mesmo sendo lento dependendo do que ele é usado vale muito a pena, Beast-Eyes mesmo sendo um bicho duvidoso não é diferente ele compensa muita coisa com força bruta. Você vão notar as duas cópias de Draconnection no deck, outra carta muito subestimada mas que funciona no lugar certo.

Decklist: Oldschool-Eyes Hipster Dragon.

Main Deck
Extra/Side Deck
Monsters [20]:
[3] Wilmee
[3] Sleeping Lion
[3] Dragard
[3] White Dragon Wyverbuster
[3] Black Dragon Collapserpent
[3] Mathematician
[1] Felis, Lightsworm Archer
[1] Rescue Rabbit

Spells [8]:
[3] Mystical Space Typhoon
[2] Draconnection
[1] Foolish Burial
[1] Soul Charge
[1] Raigeki

Traps [12]:
[3] Swamp Mirrorer
[3] Dimensional Prison
[3] Breakthrough Skill
[1] Solemn Warning
[1] Bottomless Trap Hole
[1] Compulsory Evacuation Device
Extra Deck [15]:
[2] Beast-Eyes Pendulum Dragon
[1] Dark Rebellion Xyz Dragon
[1] Number 101: Silent Honor ARK
[1] Evilswarm Exciton Knight
[1] Number 103: Ragnazero
[1] Castel, the Skyblaster Musketeer
[1] Diamond Dire Wolf
[1]Abyss Dweller
[1] Cairngorgon, Antiluminescent Knight
[1] Lavalval Chain
[1] Gagaga Cowboy
[1] Number 50: Blackship of Corn
[1] Black Rose Dragon
[1] Moonlight Rose Dragon

Autor: Subonito

 A próxima decklist é uma variante que eu busquei a todo custo que o Beast-Eyes use seu efeito com poder de fogo em seu máximo, tanto que o deck usa monstros FIRE para isso. Essa versão é uma variação da tech clássica de Hazy com Hieratic, só que voltada ao turbo unicamente. O único e grande problema dos Hazy com Hieratic é que eles só invocam 1 monstro Xyz por turno, qualquer resposta a isso é um problema grave, quando eu reparei na completa passividade do deck nos testes (ele não impunha jogo nem querendo) eu troquei bastante coisa de lugar e o resultado foi que só uso o Cerberus de Hazy no deck. Por se tratar de Hieratic quem cumpre o papel de Dragão DARK é o bom e velho Labradorite (feat. Dragard), outro que abre invocações não só Xyz e Fusão como também Sincro pro deck, temos que aproveitar o furo que fizeram com o Beast-Eyes pelo menos um pouco. Outro destaque do deck é o Flamvell Firedog que não só ajuda o Cerberus chegar em campo como é um monstro de bom ATK e junto de Forbidden Lance pode complicar para o oponente.

Decklist: Hell Drive Burst!!

Main DeckExtra/Side Deck
Monsters [19]:
[3] Hieratic Dragon of Tefnuit
[3] Hieratic Dragon of Su
[3] Hazy Flame Cerberus
[3] Flamvell Firedog
[3] Dragard
[3] Labradorite Dragon
[1] Flame Tiger

Spells [13]:
[3] Onslaught of the Fire Kings
[3] Dragon Shrine
[2] Forbidden Lance
[2] Hieratic Seal of Convocation
[1] Soul Charge
[1] Rekindling
[1] Foolish Burial

Traps [8]:
[3] Dimensional Prison
[2] Breakthrough Skill
[1] Solemn Warning
[1] Bottomless Trap Hole
[1] Compulsory Evacuation Device
Extra Deck [15]:
[2] Beast-Eyes Pendulum Dragon
[2] Leo, the Keeper of the Sacred Tree
[1] Dark Rebellion Xyz Dragon
[1] Number 101: Silent Honor ARK
[1] Evilswarm Exciton Knight
[1] Number 103: Ragnazero
[1] Castel, the Skyblaster Musketeer
[1] Gagaga Cowboy
[1] Number 50: Blackship of Corn
[1] Number 39: Beyond the Hope
[1] Gauntlet Shooter
[1] Constellar Ptolemys M7
[1] Photon Strike Bounzer

Autor: Subonito

 Terceira e ultima lista é um Heraldic Beast, com algumas coisinhas diferentes aqui e ali. O deck deles sempre foi conhecido pelo desenvolvimento de cemitério bruto e o poder de usar isso a seu favor muito facilmente, uma das maneiras de acelerar o baralho é pelo Heraldic Beast Leo, o buscador do deck, que funciona mesmo se for tributado para a invocação do Beast-Eyes e pra completar a sinergia, seu ATK é 2000! É muito fácil colocar dano na mesa com esse baralho, mas, claro, essa versão não chega perto da original, é apenas uma variante mais divertida.

Decklist: O Dragão-Leão da Heráldica

Main DeckExtra/Side Deck
Monsters [14]:
[3] Heraldic Beast Leo
[3] Heraldic Beast Unicorn
[3] Heraldic Beast Aberconway
[3] Heraldic Beast Amphisbaena
[2] Heraldic Beast Basilisk

Spells [12]:
[3] Advanced Heraldry Art
[3] Heraldry Reborn
[3] Mystical Space Typhoon
[1] Foolish Burial
[1] Soul Charge
[1] Raigeki

Traps [14]:
[3] Swamp Mirrorer
[3] Dimensional Prison
[3] Breakthrough Skill
[1] Mind Over Matter
[1] Solemn Warning
[1] Bottomless Trap Hole
[1] Compulsory Evacuation Device
[1] Torrential Tribute
Extra Deck [15]:
[1] Beast-Eyes Pendulum Dragon
[2] Number 18: Heraldic Progenitor Plain-Coat
[1] Number 8: Heraldic King Genom-Heritage
[1] Dark Rebellion Xyz Dragon
[1] Number 101: Silent Honor ARK
[1] Evilswarm Exciton Knight
[1] Number 103: Ragnazero
[1] Castel, the Skyblaster Musketeer
[1] Diamond Dire Wolf
[1] Lavalval Chain
[1] Gagaga Cowboy
[1] Number 50: Blackship of Corn
[1] Number 80: Raphsody in Berserk
[1] Lightning Chidori

Autor: Subonito

------------------------------------------------
 Encerrando mais um post por aqui, esse foi mais fraquinho mesmo, estou começando a ver que posts sobre cartas mais competitivas rendem mais assunto e tem muito mais corda pra poder ficar enrolando. Mas mesmo assim, de vez em quando, é sempre bom reduzir o ritmo e dar uma olhada no que está mais próximo. 
 Semana que vem vai sair no OCG o Booster SP: Tribe Force, e este é o momento ideal para começar um post especial sobre algum arquétipo dele, já que todos os suportes devem estar a disposição até essa data. Hora de brincarmos um pouco voltando com a boa e velha enquete, vamos botar a prova os fã clubes de cada um desses arquétipos e o vencedor vai receber um post especial (3 cartas). Já adianto que estou com Hermit Youkai. E você?

Qual o arquétipo que você mais gostou do Booster SP: Tribe Force?
Hermit Youkai
Necloth
Spirit Beast
O limite da enquete é até este Domingo (12/10/2014). Se quiser comentar em qual e porque votou, a área dos comentários é livre, sinta-se em casa. Avisos dados, talvez o post especial vá demorar um pouco para sair, mas até o final da semana que vem estará no Nexus. Até lá, tenham uma boa semana e falous!

Comentários
13 Comentários

13 Comentários:

Guilherme Lerry dos Santos disse:
7 de outubro de 2014 16:22

Necloth claro ashsuahuashusa

Sobre o Beast-Eyes, ainda falta fazer fusão com monstros fusão do Extra Deck. Imagina fazer esse bicho usando nosso famigerado Mestre de Oz? 4200 só de burn.

-Alguém precisa fazer esse deck, meldels hahahah.-



Ponponko disse:
7 de outubro de 2014 17:25

Beast Euea Raccoon e massa, eu testei rs

Cyberblu disse:
7 de outubro de 2014 19:09

Muito bom o post subo. Esse negócio que você falou de um Collapserpent e um cavalo Nordic dar para fazer 3 monstros de cores diferentes do Extra Deck (3 monstros ás de protagonista ainda) é foda, mas não digo que seja tosco, pois até um pouco tempo atrás todo mundo dizia que o jogo precisava de diversidade. Bom, agora temos, e o Tribe Force está chegando para provar isso (pelo menos no Japão por enquanto), e mesmo que as invocações tenham perdido a sua essência, talvez fosse a única forma de Konami trazer essa diversidade já que Fusion e Ritual estavam ficando para trás no tempo e precisavam desse reborn.

Emerson Martins de Deus disse:
7 de outubro de 2014 22:02

Como sempre de parabéns, Subo.

Sinceramente a parte que você mais me chamou a atenção no post não foi sobre o tema principal em si, mas sim sobre o assunto que você introduziu aproveitando o gancho dado pela carta. Eu concordo com você que se deixarem a essência de cada invocação, as coisas vão ficar um pouco(de forma modesta) esquisitas, mas acho que o Collapserpent e o Guldfaxe poderem fazer juntos até três tipos de invocação diferentes sem precisar de nenhum outro tipo de carta especifica seja algo errado, pode ser até interessante essa pegada imprevisível, tipo quando você duela contra Hunder e pinga do nada um Tuner LV4 e um Hunder LV4, e ao mesmo tempo que isso acontece você avalia que tipo de jogada o seu oponente pretende fazer com ambos(e logicamente você mesmo avalia por ele, o que faria nesse momento se tivesse aquelas cartas), a decisão dele vai depender de fatores de jogo que mesmo avaliando com precisão, você não terá a percepção do que ele esta pensando, porque a jogada a seguir também refletira nas backrows que ele tem viradas para baixo(se tiver) e na mão que ele possui no momento(duas coisas que você não pode avaliar por ele), sinceramente eu acho isso algo charmoso para o jogo. Entretanto, eu também acharia decepcionante se a partir de agora os monstros fusão saíssem como o Beast-Eyes Pendulum Dragon, eu sou fã de contato de fusão quando ele faz sentido, unir dois Gladiator Beast é legal, para formar um Gladiador mais forte(e que ainda tem coerência com a mecânica, como quando você invoca o Gyzarus que é a forma evoluída do Bestiari que você usou como material), acho que Ritual seria a mecânica menos afetada por essa "evolução", esses novos Necloths não são muito diferentes dos Gishki(fora semelhanças como o Exomirror e o Aquamirror :v), o que fizeram? Criaram uma Ritual Spell Card genérica dentro do archetype, ao invés de criar uma Ritual Spell Card para cada Ritual Monster, acho que isso não fugiu da mecânica dos rituais, indo para um aprofundamento talvez um pouco macabro, aquele Ritual Spell Card é o símbolo que representa as criaturas que seriam invocadas, pense como se ao invés de ser o pentagrama de um demônio, fosse o hexagrama de uma legião da mesma tribo de demônios(agora entendo as mães brasileiras ;-;), o que faz sentido com a mecânica. Acho que se for confirmada essa tendência da Konami, a invocação de fusão será a mecânica que terá sua essência mais afetada, exemplo disso são os Shaddoll, em que você une um dragão com um artefato mágico e o resultado dessa combinação é a filha de um homem e um anjo '-'

(Chaos Warrior)Utopia disse:
7 de outubro de 2014 22:55

eu tinha escrito um puta texto... mas minha internet bugou e não foi então... resumindo, blábláblá eu gosto das fusões evoluindo, blábláblá rituais são um tipo de invocação limitado e eh por isso que eles não vão muito além do que já estão e de suas origens blábláblá com os novos decks de fusão que estão saindo também serem independentes da Poly (lê-se Sacred Spirit) pode ser que apareçam muito mais decks fusões nesse estilo, e eh isso

lucasmon disse:
7 de outubro de 2014 22:59

Essa carta, apesar de que iria ser "atropelada" num duelo mais competitivo, vai ser engraçada de usar, Pendulum Odd-eye + Silver Claw= este Bicho, quando pensa que é só isso, Pendulum summon e ganhe outro Beast-Eyes XD. Só queria que o Beast fosse LV9, pq é bem chatinho querer fazer Xyz summon de Rank9, sem precisar de Rank-up ou de efeitos que alteram LVs.

Espero que o Odd-eyes ganhe um Xyz Rank 7 DARK dragon, pq, mesmo sendo 4fun, vai ser divertido usar Rank-up Astral Force nele e fazer number 92 ^^.(Isso é, se na época que for lançado, a Konami do TCG não for doida o suficiente para achar que jogar o Rank-up Astral na lista vai dar uma diminuída significativa na força dos Burning Abyss)

Kamishiro Ryoga disse:
7 de outubro de 2014 23:17

A Konami está focalizando bastante na fusão. Jah tem 3 Main Char usando no anime. Será que é fusão a evolução do pendulum mesmo?

subonito disse:
7 de outubro de 2014 23:44

O meu ponto não era o fato de 2 bichos fazerem 3 invocações diferentes (pro jogo isso é bem positivo), o que eu queria me expressar naquela parte é que estavam desconstruindo a mecânica das Fusões de uma forma tosca (por isso a frase: "Acho que tem algo errado aqui"), tornando ela quase que igual as outras. Materiais especificos e a carta mágica de fusão é o que separam as Fusões do Extra Deck Cotidiano (Sincro e Xyz), o Beast-Eyes não tem nada disso. (Spirit Beast também não)

Existe uma outra forma de promove-los sem precisar quebrar a tradição que conquistou e ainda conquista muitos jogadores, como eu tinha dito, uma Shaddoll Fusion deixaria um deck relativamente competitivo, mesmo que este tivesse fusões de materiais especificos (e nesse caso não estaria quebrando tradições). Mas o que realmente iria ajudar é materiais de fusões uteis sozinhos. Ao invés de optar por uma saída mais completa e dar as Fusões um ar no Meta a Konami pegou um atalho e quebrou alguns pilares do que tornou a mecânica tão querida. Esse é meu grande problema com tudo isso. Eles ainda contornaram a definição de Contato Fusão (outra que já tinha se consagrado com o publico) da parte de voltar para o baralho só pra deixar a carta mais forte, isso é mais tosco ainda. (Preciso nem citar Spirit Beast aqui, né?)

Com os Rituais ela fez um trabalho mais que excelente, Gishki já deu um upgrade perfeito para os Rituais, atualizou algumas tradições como o Ritual para todos, por exemplo (sem precisar cortar tradições, como vem acontecendo com as fusões). Nos Necloth a Konami uniu Rituais com o Extra Deck, algo que nunca aconteceu antes, mais uma mudança positiva pra mecânica. Pra terminar ela deu ao Necloth algo que Gishki não tinha: forte consistencia e poder de fogo contra o Meta de suas épocas, pode parecer muito forte, mas Necloth também tem seus furos, mas num conjunto ele é mais completinho e gera jogadas fortes de forma mais rápida. Gishki foi o protótipo do que é Necloth hoje, e é exatamente por isso que eu tenho um carinho especial pelo deck. Isso sim é a evolução de uma mecânica.

• Lucasmon: nem brinca com o meu coração, sou fã do Heart-eartH desde que ele saiu, já tentei de várias formas deixar ele "levemente" competitivo. Espero que a Konami não tenha ele num Caderninho de "Tomar Cuidado" e acabem soltando sem querer algo que ajude na invocação dele, eu iria adorar pelo menos. ;=;

OBS: Só não vamos confundir desconstrução de mecânica com consistência, eu não gosto do que estão fazendo com as fusões (Spirit Beast, Beast-Eyes e até mesmo Shaddoll) pelo primeiro motivo.

Isaias Junior disse:
8 de outubro de 2014 10:22

Se pendulum realmente for evoluindo de acordo com as antigas invocações pode ser que tenhamos algum dia um monstro pendulum/tuner que vai cair no gosto do povo(ou não por ser muito broken).

ABCD disse:
8 de outubro de 2014 12:08

Essa fusão Contact poderia ser na verdade uma nova forma de invocação com aquela cartinha com uma cor (marrom) vindo do extra. Voce invoca do extra o monstro X usando por ex, Warrior Light + Fish Water.

Não seria fusão, pois estes não dependeriam de cartas com o poder de Poly. Seria tipo um misto de XYZ com Fusion.... Até mesmo daria para implementar 1x Lv 3 or less 'Warrior monster' + 1x lv 7 or more 'Spelcaster monster'

Ian Adson Pinto disse:
8 de outubro de 2014 17:02

Quanto aos rituais, eu particularmente amei às inovaçoes a mecânica de jogo era muito parada por não iteragirem com os demais tipos de invocação, e concordo em dizer q a konami foi preguiçosa quanto a evolução da fusao ao dispensar sua principal característica q são os materiais q são usados para realização da mesma, isso pode ser bastante ultil para o meta mais para o 4fun isso é realmente decepcionante pois tira o gostinho épico de quando se faz esse tipo de invocação como por exemplo quando surgiu o primeiro dessa classe (rei caveira negro), e quanto fusion ser a evolução da pedulum discordo totalmente , acho q é só o começo , pois até agora tivemos animes totalmente focados em seu próprio tipo de invocação acredito q isso nn vá mudar , introduzir as outras summons é pra min a cereja no bolo q ainda estar por vir, e como disse fusion é só o começo pode esperar mais evoluções circulando a pendunlum incluindo synchros e xyz

Maicon disse:
9 de outubro de 2014 19:56

Subo para de brigar com as contact fusion menino.

Adson disse:
12 de outubro de 2014 12:23

Eu sempre pensei isso, as fusões estão ficando genéricas, e isso na minha opinião tira a essencia da fusão.

Acho que 1 2 fusões genericas é aceitavel, mas quando chegar o momento em que 2 monstros conseguirem ir pra 3 fusões diferentes e sem relação, com certeza eu vou começar a odiar fusões.

Quando você fundi monstros, você está literalmente unindo seus poderes, e dependendo ataques, e deveria resultar em um monstro com características deles, as novas fusões estão ficando sem qualquer relação com seus materiais(exceto por tipos/atributos).

Eu não me importaria com um archtype de fusões com um search monstro, mas que seus materiais tivessem relação direta com suas fusões específicas.