10 de setembro de 2014

Here Comes a New Card #53: Dark Rebellion Xyz Dragon


Number 96: Dark Mist como você nunca viu.

 Eae pessoal, blzinha? Alguma hora eu teria que falar do The New Challengers, ah... Escolher uma carta de lá para comentar foi meio complicado (levando em conta tantas regrinhas que eu sigo à risca), a coleção do NECH me decepcionou em algumas coisas: acho que a konami deveria parar um pouco com os 3 arquétipos principais por coleção, tá sobrecarregando e muito a diversidade, uma vez que mais da metade das cartas são de um nicho fechadinho.

 Pro HCNC eu preciso de cartas que se destaquem por si só, a que mais se adequou foi o Dark Rebellion Xyz Dragon: capa da coleção, Xyz genérico de bons status e com um efeito chamativo. A síndrome dos Xyz Rank 4 continua rondando o jogo desde o Legacy of the Valiant (10 meses já) e ao mesmo tempo que vem limitando muitos decks, vem nos presenteando com boas cartas. Mais pra frente no post darei uma melhor ambientação do "problema", se é que pode se chamar assim. Sem mais, à review:

Dark Rebellion Xyz Dragon
Rank 4 / DARK / 2500 ATK / 2000 DEF*
Dragão / Xyz / Efeito
2 Level 4 monsters.
You can detach 2 Xyz Material from this card, then target 1 face-up monster your opponent controls: halve that monster's ATK, and if you do, this card gains the same amount of ATK.







* Na proxy ao lado os pontos de DEF estão errados.


Referências: um tipo de Fã Service.

 Dark Rebellion Xyz Dragon é o monstro ás do Duelista Negro, Yuto, um dos personagens do anime do Yu-Gi-Oh Arc-V. Não se sabe muito sobre seu passado ou objetivo na trama, o que se sabe é que sua aparência lembra e muito o protagonista, Yuya Sakaki, tanto que seu monstro ás tem quase os mesmos atributos que o ás de Yuya, o Odd-Eyes Pendulum Dragon (Atributo/Tipo/ATK/DEF), tornando ambos os monstros praticamente rivais. Yuto deve agir como um anti-herói na história (Zane Trusdale [GX], Kalin Kesler [5D's] e Shark [Zexal], por exemplo.), já que o verdadeiro rival do Yuya na trama é o duelista Reiji Akaba e também por ele não ter a atitude de um possível vilão.

 Mas o que os fãs da série mais gostaram na criatura é a sua semelhança com o Number 96: Dark Mist, um monstro chave na trama do Yu-Gi-Oh Zexal, finalizada recentemente, e agora ele tem um sucessor espiritual no novo anime. Não precisa de mais nada para começarem as teorias, mas na verdade tem mais: o rugido do dragão no anime é o mesmo do Number 107: Galaxy-Eyes Tachyon Dragon que foi apresentado no Zexal. Pode muito bem haver um motivo especial para isso, mas eu acredito que isso é problema da direção do anime (sempre existe o reuso de sons entre os animes, isso reduz o custo da produção e ajuda a manter a série por mais tempo. Fazer o que, né?).


Ainda falta algo pro Pêndulo, talvez um empurrão.

 Faz tempo que eu não comentava sobre a coleção em que as cartas vinham, não com tanta enfase. No post do Odd-Eyes Pendulum Dragon eu havia comentado sobre o Duelist Alliance, dos principais problemas que eu listei o que mais incomoda é em relação aos pêndulos: a mecânica não recebeu o 'começo com o pé direito' que merecia, no NECH não mudou muita coisa. Comparado ao DUEA o NECH apresentou bem mais significância pros Pêndulos, até receberam um arquétipo Pêndulo e com potencial competitivo, mas não é o suficiente. Comparando com os Sincros e os Xyzs em seus primórdios, a Konami arriscava de todos os lados criar algo que de fato incentivasse o jogador a utilizar da nova mecânica, seja direta ou indiretamente. Com os Pêndulos a empresa está muito na defensiva, talvez seja um cuidado para a mecânica não ficar fora de controle, mas isso não chega a ser um motivo porque, querendo ou não, para o novo substituir o velho ele tem que ser mais convincente e consistente, uma hora as coisas vão ter que ir a loucura assim como foi o final da Era Sincro (Tengu Plant e Six Samurai) e a metade da Era Xyz (Dragon Rulers da época de ouro). Não é mistério que futuramente Pêndulos vão ser um estouro, se é que já não são, Qliphort caíram no gosto do pessoal fácil. 

 Apenas para situar, de 44 monstros de Main Deck do NECH, somente 8 deles são Pêndulos, sendo 5 deles de um arquétipo fechado. Pior, das 90 cartas da coleção, somente 12 relacionam com  Pêndulos diretamente, isso contando os 8 pêndulos listados anteriormente. Talvez o problema seja falta de espaço, a ideia de 3 arquétipos (em foco) por coleção deve ser o motivo, mas essa ideia vem dando certo, eles não vão mudar o padrão tão cedo, como maioria dos arquétipos novos são de fato consistentes isso acrescenta valor no produto, o DUEA, por exemplo, foi um sucesso de vendas com os Satellarknight, Shaddoll e Yang Zing. As TCG exclusivas não vão salvar a coleção para os Pêndulos também, ela caiu no mesmo gosto, das 11 cartas TCG exclusivas só 2 foram genéricas, as demais são de um arquétipo fechado.

Chega até ser engraçado o slogan do NECH: "Power-up a dozen of decks!/Eleve o poder de uma dezena de baralhos!"

Síndrome dos Xyzs Rank 4.

 O nível 4 é, de fato, o nível mais privilegiado no jogo, motivos não faltam: por natureza eles tendem a ter maiores status que monstros de níveis inferiores (tome Gene-Warped Warwolf como exemplo) e os monstros de níveis superiores precisam do tributo para poder vir pro campo, tudo isso se tratando de Invocação Normal. Por causa dessa tendência a tudo se resumir ao nível 4 na devastadora maioria das vezes que a Konami optou por este ser o Rank mais importante dos Xyzs, é algo tentador e que muito deck vai poder usar, isso faz vender o produto.

 O "problema" desse detalhe não é necessariamente o fato da Konami não fugir do Rank 4, explorar o sistema de invocação dos Xyz, os diversos Ranks e possibilidades para deixa-los mais acessíveis, mas sim no fato de desnivelar completamente os Ranks entre si. Legacy of the Valiant marcou essa diferença à ferro e fogo. Number 101: Silent Honor ARK e Evilswarm Exciton Knight são as cartas que mais aparecem em Extra Decks  em torneios e pela internet à fora, seguidos de vários Xyzs Rank 4 que só não estão melhores posicionados nessa comparação por causa de preferências pessoais entre os jogadores. O ponto é que os Xyzs Rank 4 são genuinamente melhores, isso sem levar em conta que eles são mais fáceis de serem invocados, além de sempre focarem em cartas de acelerar ainda mais o processo (Goblindbergh é só um exemplo de muitos), esse detalhe deixa decks focados na invocação dessas criaturas mais consistentes justamente porque eles são monstros mais confiáveis. 

 Em suma, Decks no geral estão buscando ter acesso ao Rank 4 para adquirir mais relevância no jogo (motivo do sucesso da tech de Star Seraph no OCG) porque os monstros desse Rank ajudam a você se impor no jogo. Essa limitação (sim, isso é uma limitação e é tosco) dita o jogo já tem 10 meses e acompanhado dela os jogadores tem a opção de escolha pelos monstros do Rank que mais lhe agradam pra completar o Extra Deck e é a partir daí que o post vai de fato começar. Terminada a ambientação, vamos lá!


O que a Rebelião tem a nos oferecer?

  Xyz Dragon possui um único efeito: simples e direto. Ele é uma criatura puramente focada na brutalidade, ampliando os danos do turno e com isso pode-se facilmente acabar com o jogo. O detalhe é que ele é um monstro que no mano-a-mano jamais vai perder e sempre vai infligir 2500 de dano no fim da batalha, talvez seja esse o motivo do boom que a carta teve quando foi previamente revelada. Mas o boom perdeu força e a carta perdeu todos aqueles olhares minuciosos sobre sua utilidade (as vezes é bom esperar a poeira abaixar para ver mesmo do que se trata as coisas), motivo pra isso é simples: é raro acontecer um mano-a-mano no Yu-Gi-Oh, e isso é um ponto positivo do jogo, ele não se resume somente em uma carta contra outra, o jogador tem uma estratégia (ou até mais) e muitas formas de conduzi-la tornando o jogo mais divertido e competitivo. 

 Usando desse mesmo motivo em uma nova forma de ver as coisas, nada diz que a utilidade do dragão acabou por completo. Focar nele é exagerado demais, mas usar as cartas que focam na sua estratégia principal para ele ter ainda melhor desempenho, isso é o que eu estou falando. A carta possui um potencial invejável, não é qualquer carta que faz algo similar, e esse potencial pode muito bem ser decisivo num jogo, principalmente considerando que 2500 pontos de dano são garantidos quando ele batalha, é muita coisa (ainda mais com Soul Charge deixando os jogos ainda mais curtos). Aproveitando a leva de Forbidden Lance, carta que vem se tornando comum (como sempre foi, aliás) e o poder bruto de ATK do Xyz Dragon, você pode pressionar de forma muito forte o oponente. Algo mais tentador que isso é que o dragão é um alvo das cartas armadilhas Virus, cartas assustadores que destroem um deck inteiro se ele for muito descuidado, estas cartas também compensam o fato do Xyz Dragon ser frágil, uma vez que ele for ameaçado, você pode não só tornar inútil a resposta do oponente como ainda por cima estragar futuras jogadas.



Imprudência não leva a nada, seja astuto.

 Se tratando de monstros de Extra Deck (que é limitado), somente mostrar motivos de utilidade em conjunto  com outras cartas não vão convencer ninguém, ainda mais se tratando de monstros Xyz Rank 4, em que qualidade é o que não falta. Tem quem diga que o Xyz Dragon vai ser um sucesso absoluto sendo comum em qualquer deck, tem quem diga que ele é genérico demais e por isso pode ser facilmente substituído e tem quem diga que a carta pode ser excelente se usada corretamente. Eu estou com a terceira opção. Para uma carta entrar no tão disputado Extra Deck ela tem que ser uma carta que te convença de forma avulsa, sozinha, algo que te dê confiança e que você possa contar a qualquer hora e que os materiais usados vão ser trocados de forma equivalente. Cartas automáticas são o que não faltam nesse tópico, a Konami tem feito muitas cartas "completinhas" que dispensam o ato de pensar para serem usadas, cartas que ignoram a  lei de causa e consequência (coisa que eu abomino, mas sempre acabo usando) e por causa disso, ao aparecer uma carta "incompleta"  muitos tendem a substitui-las pelas cartas "perfeitinhas". O grande trunfo das cartas "incompletas" é que dependendo de como, quando e porque a ação é feita, existe uma consequência totalmente diferente caso algo seja mal calculado (ou caso seja apenas má sorte), esse tipo de carta para se completar depende do jogador, aquele que irá ditar o momento ideal para que a ação seja perfeitamente executada tendo uma consequência positiva em cima disso (diferente das cartas completas, as incompletas não te tratam como um idiota e te fazem pensar um pouco).

 Dark Rebellion Xyz Dragon é uma dessas cartas e o que principalmente define o mal uso do mesmo é a imprudência: ele não é uma carta para se usar a todo momento, além de ter uma data de validade em campo. O momento ideal de invocar a criatura é durante o Late Game, parte final do jogo em que os jogadores já usaram boa parte de suas cartas, principalmente as cartas de pararem as jogadas do oponente (armadilhas, geralmente), e nessa parte do jogo as jogadas mais simples são mais requisitadas por falta de material para fazer jogadas maiores, também é nessa parte do jogo onde ambos os jogadores tem poucos pontos de vida (estourando uns 3000, no máximo). Poucas cartas armadilhas, necessidade de usar jogadas simples e poucos pontos de vida, acho que isso é mais que o suficiente pro Xyz Dragon entrar em campo no seu 100%.

 A grande qualidade da criatura é a arte de finalizar os duelos e isso ele faz com maestria, com um pouquinho mais do uso do cérebro e uma boa administração do duelo qualquer carta de Extra Deck pode ser mais útil que um Number 101 ou um Exciton Knight, pensem bem.


Dedução & Lógica.

 Continuando o tópico acima, hora de falar sobre como contornar os problemas do Xyz Dragon usando apenas ele e o cérebro. Habilidade de dedução e lógica todos temos e é a partir desse método que chegamos as respostas mais simples e triviais, mas essa habilidade pode ir mais além e desse modo podemos chegar ao mais próximo possível de respostas complexas, algo que num jogo como o Yu-Gi-Oh  em que você não tem todas as informações para tal se torna de grande importância. Muitos para supor uma possível carta virada pra baixo do oponente usa cálculos de probabilidade e outros usam pura intuição, ambos os métodos estão muito relacionados a ideia de dedução: enquanto a probabilidade contribui com a informação a respeito das possibilidades do oponente ter tal carta, a intuição contribui com uma experiência prévia a respeito do deck do oponente e o que ele possivelmente queria colocar virado pra baixo. Essa análise crítica do jogo é muito importante para evitar ser ou muito exagerado ou muito passivo no duelo e podemos usa-la de inúmeras formas para garantir a vantagem de certas jogadas.

 Levando em conta esse método, pode se fazer um bom uso do Xyz Dragon mesmo fora do Late Game (claro, na medida do possível). Para aplicar isso com o Xyz Dragon primeiro é preciso enxergar os pontos negativos da carta, o que realmente vai estragar a sua jogada: no caso do dragão é qualquer coisa relacionada a parar o ato do ataque, negação de efeitos e que retiraria a criatura de campo. Não se deve levar em conta cartas realmente desconhecidas quando for fazer a sua analise, baseie-se apenas em cartas comuns e procure conhecer o deck do oponente e um mínimo de sua estrutura, para ter uma noção básica do que pode ter nele (Yu-Gi-Oh é um jogo que experiência, se bem usada, faz muita diferença). Feito essa parte da analise começa o jogo de probabilidades analisando o momento do duelo: procure saber das cartas que mais te preocupam quais já foram ativadas e quais você sabe que seu oponente possui, após isso procure saber a quantidade de cartas no baralho e no campo/mão do oponente, a partir disso você já consegue supor a probabilidade de ele ter alguma dessas cartas, o resto fico a cargo do seu senso crítico: valer ou não a pena.

 Um Dark Rebellion Xyz Dragon (assim como qualquer outra jogada) se bem jogado pode mudar o rumo do jogo ou simplesmente acabar estimulando o oponente ao erro, mas isso vai depender muito de situação e do quão bom foi a sua dedução, para aprimorar essa habilidade procure conhecer o jogo, os decks, as jogadas. Como já foi dito antes Yu-Gi-Oh é um jogo onde a experiência vale muito.

-----------------------------------------------

 Encerrando mais um post por aqui, alias, só para concluir: Dark Rebellion Xyz Dragon é uma carta muito boa que deve ser pensada quanto a entrar num deck que seja agressivo, nada agressivo (ele é bom em adicionar mais danos à mesa) ou que tenha cartas que dão uma segunda utilidade pro dragão. Ele é um Xyz Rank 4 genérico muito bom, mas de longe um que não trata o usuário como um dependente.

 O post teve alguns pontos onde eu tive que puxar pro pessoal (nenhum redator é uma "Wikia" para ser sempre imparcial), acho válido levantar certas discussões, ainda mais aquelas presentes no jogo atualmente, teve algumas que eu nem me aprofundei tanto para não fugir muito do assunto, mas ainda assim esse foi o HCNC mais "sem compromisso" que eu já fiz, no bom sentido da palavra. Sintam se livres para comentar sobre a carta ou mesmo as discussões levantadas (novo padrão de coleções; domínio dos Rank 4; cartas automáticas; dedução e lógica no jogo), expressem suas opiniões ou defenda seus pontos de vista com argumentos e aproveitem a área de comentários que é um ótimo meio de trocar informações.

  Espero que tenham gostado e aleluia eu consegui voltar à regularidade, ultimamente tem ficado mais fácil escrever posts, o hiato me foi muito útil no final das contas. Muito obrigado por terem lido até aqui, tenham um bom dia e até semana que vem, falous!

Comentários
17 Comentários

17 Comentários:

Yugioh disse:
10 de setembro de 2014 12:45

acho que a konami tinha que investir mais nos outros ranks, não só focar em 4 isso já está sem graça vai perder muitos jogadores com isso, vai acabar quebrando a impresa.

E isso que vc voce disse que nivel 5 ou maior precisa de tributo não é desculpa é só fazer eles com efeito especial tipo cyber dragon, solar wind jamer.

Outra coisa que eu não entendo é que os rank 4 tem tudo efeito quebrado, já os ranks 5 ou maior fica tudo com efeito restrito.

Por isso que eu não compro cards originais não dou dinheiro pra essa empresa.

Kirito Norris disse:
10 de setembro de 2014 12:51

Otimo post continuem assim!

Cyberblu disse:
10 de setembro de 2014 16:05

Ótimo post filósofo Arthur! Só não entendi a imagem do "Clear Vice Dragon" no meio do post xD Continue assim ;)

Guilherme Lerry dos Santos disse:
10 de setembro de 2014 17:07

Não acho que a Konami tá com medo de investir no Pendulo. É que nem dá pra comparar com Synchro/Xyz já que Pendulo tem um impacto endêmico muito maior que eles se for feito de qualquer jeito. O simples fato de pertencerem ao Main Deck os coloca noutro patamar e, diferente de Ritual, não de manda um custo de pelo menos 2 cartas em sua ativação/utilização.

Se a Konami der a louca e fizer Pendulos igual faz Synchro/Xyz, vai dar merda. Por isso tenho certeza que essas cartas vão ficar em sua maioria "archtype"-oriented ou bem limitadas nos usos como os magos.

Obviamente vai ter uma hora que vai estourar, mas ai tem que torcer pra banlist agir rápido em cima deles.

Já a hegemonia Rank 4 é mais culpa dos jogadores, ou os clientes primários, são eles que ditam as regras no surgimento das novas cartas. Riscos por migalhas não é o que uma empresa com metas quer correr. Por isso expansão para o que não é o foco só vai acontecendo aos poucos ou se der a louca nos jogadores e começarem a cotar mais outro estilo de jogo.

Já as cartas auto-play, posso dizer que sempre estiveram presentes no jogo e sempre vão estar presentes no jogo, mas conforme o tempo passa essas cartas vão se tornando incompletas e, consequentemente, deixam de ser assim. Se esse não for o caso a F&L list tá ai pra resolver o problema.

Mas a utopia de jogar livre dessas correntes ainda existe no micro-universo do Yu-Gi-Oh, nos duelos regionais e nos amistosos. Uma dualidade principalmente ligada ao custo evidentemente alto das cartas auto-play.

Obviamente existe o lado que presa a perfeição e somente a força universal e é nisso que a Konami ganha. Mas vamos fazer o que? É uma mentalidade difícil de eliminar.

Não tenho muito o que falar sobre o Dark Xyz Rebellion, é mais uma carta que veio pra acrescentar Ryrioku no Extra Deck. Tem utilidade e quem sabe um dia se torne uma carta importantíssima para algum deck.

Carlos Alberto Alberto disse:
10 de setembro de 2014 20:25

Primeiramente parabens pelo post subo. Bom, eu concordo com a ideia de que os outros ranks além de rank 4 são totalmente mal explorados. Talves quando os xyz deixarem de ser prioridade a konami comece a elevar outros ranks no jogo. Por hora vai ficar nessa mesmo. Quanto ao rebelion, ele é uma boa carta mas facil de para-lo ou de se livrar dele. Tenho um deck focado em rank 4 e nem uso ele por haver opções melhores. Abraço

Eric Luiz disse:
10 de setembro de 2014 20:28

eu estou esperando dá uma louca na konami e criarem logo um pendulum tuner

Muito Legal o Post :)

Jason disse:
10 de setembro de 2014 23:58

Post muito legal, concordo que cartas assim com um efeito genérico são boas, mas são mt dependentes da habilidade do duelista, concordo tb que o ygo se aprende com a experiência!

Tb quero comentar sobre o investimento da Konami em relação aos pendulum monster. Sim ela ainda não conseguiu um espaço, mas os xyz tb demoraram um pouco para aparecerem de maneira realmente visivel e competitivamente acredito eu que tiveram a explosão msm na época dos Dinno Rabbit, so o que podemos fazer eh esperar xD

subonito disse:
11 de setembro de 2014 00:03

• Rodrigo L Candido (Face): a imagem eu peguei do site Ygoproxy (créditos na própria imagem), acho que fica mais bonito as cartas feitas pelo Photoshop, questão de estética mesmo. Mesmo sendo feito pelo cardmaker entraria na definição de proxy, uma "réplica".

• Yugioh: Quanto a parte de fazer os monstros que naturalmente precisam de tributo ficarem mais jogáveis acho que a saída seja cartas ao estilo da Monarchs Stormforth que lhe dá uma certa vantagem que geralmente esses monstros não tem, não ignorar uma regra interessante e que era muito utilizada nos primórdios do jogo (a Tribute Summon).

Já ao detalhe de Rank 4 ter efeitos mais jogáveis, de fato, eles tem, ainda assim mesmo que todos os ranks tivessem criaturas com os mesmos efeitos, por causa do nível, o nível 4 ainda sairia em vantagem.

• Guilherme Lerry: Os clientes primários também tem uma certa parte da culpa quanto aos Rank 4, mas isso é devido as próprias regras do jogo (é o nível mais alto para se invocar sem tributo e por isso tem status (ATK/DEF/Efeito) maiores que os inferiores). Mas eu adoro usar esse exemplo pra mostrar o outro lado da história: Spellbook of Judgment; se a konami quiser que qualquer deck fique competitivo, ela faz, infelizmente ela consegue (essa atitude é tão forçada que chega a ser feio). Mas pra que se esforçar se os jogadores já tem um prato principal na cabeça.

Cartas auto-play sempre vão ter no jogo mesmo (assim como um deck superior ao outro) e eu gostei bastante da sua ideia de que elas são pré-datadas (sem a banlista), não percebi isso.

Quanto aos pêndulos, realmente é mais dificil de mexer na mecanica, mas eu não vi tanto esforço (fora os Qliphort). Recentemente eu vi as novas cartas do novo pacote (aquele do Rune-Eyes), pela primeira carta revelada talvez eles inovem em mais algumas coisas pelo bem da mecânica.

• Carlos Alberto: realmente, quando o Xyz sair do hype, talvez a konami tenha que fazer algo mais inusitado pra traze-los de volta a fama (algo que aconteceu com os Sincros). Mas Xyz é uma mecânica bem consistente (por ela ser bem mais simples que as outras), vai ser dificil do hype deles cairem.

• Blu: O Clear é pra representar um outro monstro que se garante no mano-a-mano. Os efeitos tem quase uma mesma pegada.

• Eric Luiz: calma, a hora vai chegar, acho que a ideia ja passou na cabeça do pessoal da empresa (não tem como não ter passado), eles devem estar esperando a hora certa para soltar o ás.
----------------

Eu estava com medo de essa ideia de post "sem compromisso" ficar voado demais e eu não conseguir transmitir algumas coisas ou que as discussões ficassem meio desfocadas. Mas pelos elogios e pelas ideias levantadas acho que deu certo, valeu!

Adson disse:
11 de setembro de 2014 02:20

Ótimo post, sempre gosto desses pensamentos sobre o meta, muitas vezes abrem meus olhos para coisas que passam despercebidas ^^

Quanto ao rank 4: Eu acho triste que outros ranks nao tenham tanto suporte "OP", ou mesmo os synchros que mesmo tendo genéricos, varios decks não suportam carregar tuners e por isso apelam aos Rank 4. Espero que eventualmente outros monstros que nao sejam rank4 tenham mais espaço nos decks, percebe-se que a Konami ta tentando fazer os extra ficarem com monstros Staples, tanto que ultimamente só saem Fusions genericas(com tipos/archtypes/atributos requeridos, e nao como antigamente com monstros específicos).
Tenho esperança do synchros poderem competir de frente com Xyz como Staples em diversos decks.

Cesar Longhi disse:
11 de setembro de 2014 12:50

Devo manifestar-me diante dos pêndulos a respeito de serem monstros com ampla consequência nos duelos. Imagino meu caso, tudo que eu quero são pêndulos compatíveis com meu Photon/Galaxy Deck, porque diante disto o deck se tornará muito mais dinâmico. Agora pensemos de maneira geral, pêndulos genéricos irão alterar toda a jogabilidade, criando um enorme risco, diferente dos Synchros e Xyz, os pêndulos podem proporcionar um enxame de monstros poderosos em campo de uma única vez.

Jason disse:
11 de setembro de 2014 22:55

Seria realmente admirável ver mts decks 4fun que poderiam virar bem competitivos com o auxílio dos Pendulum Monsters xD

Emerson Martins de Deus disse:
12 de setembro de 2014 10:38

Fazia tempo que não comentava em um post seu jovem Subo, mas é que eu voltei a jogar a pouco tempo também, então vamos lá :v

Achei seu post bem completinho, você renovou umas coisas que você já vinha falando a muito tempo, mas que não deixaram de ser as verdades sobre o jogo, Rank 4 são os Rank predominante e os queridinhos da Konami(a menina dos olhos de ouro), mas acho que os jogadores não interferem nisso, afinal quem jogo no IRL não pode sair gastando dinheiro a toa por aí com Xyz que podem não ser tão seguros e como a maioria dos decks tem acesso ao Rank 4, é uma compra mais segura, pois eles vão servir para a maior parte dos decks atuais e para muitos que ainda viram, enfim é uma compra segura, não é a toa que a procura por um 101 faz com que seu preço seja tão elevado, ele e outros Rank 4 que existem no jogo.

A Konami por enquanto não tem dando o apoio devido aos Pendulum, é evidente que poderiam fazer um esforço maior, mas acho que isso é devido ao clima que a nova série de TV esta querendo dar ao jogo, querem "colocar na moda" os outros tipos de invocação, acho que finalmente notaram que existem muitas mecânicas que poderiam ser bem melhor exploradas, o resultado de uma delas foi Shaddoll, desde 2013 onde baniram Stratos, não se via um deck Fusion tão ativo no metagame, e também estão tentando deixar os Synchro mais ativos no jogo, coisa que não se vê desde o final da época de ouro deles, então vem Yang Zing tentando mostrar o poder da invocação branca, mas claro a menina deles precisa de joias, por isso investir também no que vem dando certo, archetypes que tem acesso a Rank 4, daí Tellarknight, só nisso temos archetypes Fusion, Synchro e Xyz, essa aposta que na minha opinião vem dando certo e que é de meu extremo agrado acaba lotando os espaços dos boosters, de tal modo fica difícil introduzir algo novo com maior eficácia, que é o caso dos Pendulum, mas acho que a partir do New Challengers para frente, eles vão ganhar mais atênção, pois finalmente temos o primeiro archetype Pendulum(que por enquanto só faz parte do OCG :/), e como o The Secret Of Evolution é o último booster para suportes diretos para Shaddoll, Yang Zing e Tellarknight, eles vão poder fazer novas apostas daí em diante, mas claro que para não perder esse clima de renovação de mecânicas de invocação mais antiga, eles tiveram a boa ideia de criar boosters especiais para não lotar os boosters principais do jogo, tivemos o que trouxe várias cartas anime e agora o Tribe Force, que traz um archetype totalmente novo baseado em Ritual, outro em Contact Fusion e um que tem efeitos que parecem de spirits, mas não são '-', é uma ótima ideia, mas quem perde mais nela somos nós jogadores de TCG, pois esse tipo de booster demora muito tempo para chegar aqui, nem temos data ainda do booster com os DDD, quem dirá do Tribe Force.

A eficácia dos Pendulum vai ser provada com o New Challengers e os Qliphorth, que para mim não precisam provar muita coisa, o archetype tem futuro no jogo, embora eu observando no OCG, Shaddoll ainda parece ter mais domínio no jogo(acho que se deve principalmente a manutenção perfeita que é dada a eles, "vamos fazer um archetype OP de Xyz com atributo light", então eles fazem Nephilim, "vamos fazer um archetype pendulum earth", então eles fazem Shekisláoque, eles apostam em novos archetypes promissores, mas dão a Shaddoll um modo de counterar eles, por isso se mantem fortes lá, e também será assim aqui).

Sobre o Dark Rebellion Xyz Dragon(que apesar de indiretamente, comentei sobre ele no começo :v), eu usaria mais pelo anime do que pela jogabilidade(Dark Yuya fodão :v), mas ele tem um efeito bem legal, quem sabe não ganha mais que um status de fodão dos animes, mas seria legal se ele negasse os efeitos dos monstros que ele cortasse o ataque.

Não lembro se disse antes, mas grande post jovem Subo!

(Acho que com o que eu escrevi aí da para fazer o velho e o novo testamento '-')

ABCD disse:
12 de setembro de 2014 21:01

Sem contar qeu Ritual pode voltar ao meta com os Necloths.

Saiu o efeito adivinhem de quem?

Merlin

DARK Spellcaster-Type / Level 3 / 1400 ATK / 500 DEF

You can only use each effect of "Merlin" once per turn.

-You can Tribute this card; Special Summon 1 "Noble Knight" monster from your Deck. You cannot Special Summon monsters the turn you activate this effect, except "Noble Knight" monsters.

-During either player's turn: You can banish this card from your
Graveyard; immediately after this effect resolves, Synchro Summon 1 "Noble Knight" Synchro Monster using monsters you control.

-During either player's turn: You can banish this card from your
Graveyard; immediately after this effect resolves, Xyz Summon 1 "Noble Knight" Xyz Monster using monsters you control.

Guilherme Lerry dos Santos disse:
13 de setembro de 2014 13:51

@ABCD, GG esse Merlin.

@Emerson, Essa diversidade se dá toda por que Pendulum ainda é supporte e main deck para todos os tipos de suporte.

Guilherme Lerry dos Santos disse:
13 de setembro de 2014 13:51

tipos de deck*

Alexandre Neri disse:
13 de setembro de 2014 15:50

Enquanto isso aguardo pacientemente o game Yu-Gi-Oh WDC) sair na eshop do 3DS. Dia 25 tá chegando e só tô me coçando aqui. =)

Guilherme Lerry dos Santos disse:
14 de setembro de 2014 13:13

Não perca tempo cara, nerfaram o jogo todinho inteiro absoluto que de 42 personagem jogáveis foi pra fodendo 15 *se não me engano*. Vai tudo vir por DLC, fica vendo.