1 de agosto de 2014

10 Mecânicas que poderiam ser melhor aproveitadas - Parte 2/2

Top10Pt2

Parte 2 do artigo em que eu cito e comento sobre 10 mecânicas de jogo que poderiam ser melhor aproveitadas, já deixando ideias para a Konami caso ela esteja interessada em trazer Variedade para o público. Sigam-me os bons!



5. Counters:
BreakertheMagicalWarrior

O maior problema dos counters é que eles não fazem nada por si só, dependem do efeito de outras cartas para determinar o que eles fazem. Ice Counters podem tanto diminuir o ATK e DEF de um monstro no campo quanto impedir que monstros ataquem ou mudem suas posições de batalha, dependendo se você controla Snowdust Dragon ou Snowdust Giant. Venom Counters só funcionam se você controla Venom Swamp. Spell Counters tem mil e uma utilidades e A-Counters também fazem a festa.

O que os Counters fazem em Yu-Gi-Oh! são determinados por efeitos e não por regras. Em outros jogos, cada contador faz uma coisa, por exemplo: Enrage Counters sempre vão aumentar o status de um monstro, e Weakness Counter fará o oposto, enquanto Paralysis e Poison Counters também tem suas próprias utilidades, limitadas.

Não estou dizendo que os contadores de Yu-Gi-Oh! são ruins, apenas que na maioria das vezes ficam no campo sem utilização alguma, caso você não controle as cartas que diz o que fazer com eles. A solução seria criar cartas que usassem mais os counters, incluindo algumas genéricas para tirar proveito de um número grande de contadores em alguma carta, por exemplo, ou alguma que removeria os contadores já existentes (independente do nome dele) para algo.

Claro que um novo archetype envolvendo Counters também seria legal, já que só temos Venom, Aliens e Cloudians por enquanto. Acredito que não vá demorar muito para um archetype focado em contadores, ou pelo menos com alguma mecânica envolvendo eles, apareça por aí.

Assim como os efeitos Gamble, que precisam de dados e moedas, é necessário alguma coisa para determinar o número de contadores em alguma carta. A regra diz que pode ser desde moedas de um centavo até pedrinhas achadas na rua, mas os jogadores também podem marcar mentalmente caso seja um número simples (como no caso do Breaker the Magican Warrior). Logo, criar um archetype que envolva muitos contadores podem fazer os jogadores se perderem na contagem, acabarem os objetos e tendo que colocar a mãe em cima da mesa, enfim. E o chat do Dueling Network ficaria lotado de avisos dizendo que o jogador colocou e tirou contadores do campo.

4. Ritual:
DjinnReleaserofRituals

Único tipo de invocação que vou colocar aqui porque eles tão excluídos até no ARC-V!

Também é provável de acontecer em breve, e já vimos indícios nos últimos boosters. Os monstros Djinn são ótimos suportes para Ritual, e em decks Gishki e Herald, também se vê vantagem em fazer esse tipo de invocação com os membros do próprio archetype.

A minha idéia para aproveitar mais os rituais, ou pelo menos fazer eles ganharem algum destaque no metagame, é criar um archetype que faça o ritual diretamente do deck, o mesmo que fizeram com os Shaddoll e já existia com a Advanced Ritual Art para decks que usassem monstros normais. Nessa aposta, os materiais seriam enviados do deck ao cemitério e o monstro invocado da mão, ou o oposto, enviando os materiais normalmente do campo ou mão ao cemitério para invocar o ritual diretamente do deck.

Nisso, os tributos do deck deveriam ser de determinado tipo/atributo/archetype para não ficar bizarro, e os monstros invocados deveriam honrar o sacrifício que o jogador fez para colocá-lo em campo (ou seja, nada de efeitos inúteis para o deck). Não tenho muitoas ideias para isso, só espero que eles ganhem um archetype novo e legal.

Outra ideia que eu tive enquanto escrevia esse post é um efeito que lhe dê vantagem caso você faça um ritual usando um monstro ritual ou um monstro que foi Ritual Summoned no campo, semelhante ao que acontece com os Mega Monarchs que podem ser invocados com 1 tributo por tributar um monstro que foi Tribute Summoned.

Enfim, há bastante coisas que podem ser exploradas nessa região, Konami!

3. Monstros Union:
MachinaGearframe

São monstros com a habilidade de poderem ser equipados em outros monstros no campo, ou serem desequipados e invocados especialmente em posição de ataque no campo, uma vez por turno. A regra é que você não pode usar os dois efeitos no mesmo turno. A maioria dos monstros Union são Machine-type, e também foram feitos para serem equipados nesse tipo. Os primeiros Union foram os da série VWXYZ, mas também podemos citar os Machina como um archetype parcialmente Union.

Eles não são os únicos monstros que podem ser equipados em outros monstros no campo, então por isso cairam em desuso. Os ZW, por exemplo, não são monstros Union, mas deveriam ser. A ideia para aproveitar mais esse tipo de efeito seria a mesma que eu citei para os monstros Toon e Gemini no post anterior, ou seja, criar uma nova classe de monstros Union, que não precisam seguir o padrão dos primeiros.

Todo monstro que tem um efeito de poder ser equipado em um monstro específico ganharia o título de monstro Union, e nisso receberiam os mesmos suportes e anti-suportes, mas seus efeitos não mudariam para ficar igual aos Union atuais, o que tornaria interessante para novas cartas com esse sub-tipo serem lançadas nos próximos boosters.

É provável que isso não aconteça, então temos que pensar em outra forma deles serem melhor aproveitados. Archetype sempre funciona. Seria um archetype com todos os monstros Union, um podendo ser equipado no outro igual acontece com os Inzektors, mas podendo ser invocados especialmente uma vez equipados graças ao padrão dos efeitos. Teriam também efeitos antes do padrão Union, que poderia incluir efeitos para invocar outros monstros, buscar cartas de suporte do deck, etc.

Seria tipo uns Megazords que se combinariam entre si, mas caso precisasse de uma combinação tripla, quadrupla ou quíntupla, seria por meio de Fusão, igual com os VWXYZ, mas com efeitos melhores.

2. Monstros Spirit:
Tsukuyomi

Monstros como Tsukuyomi que não podem ser invocados especialmente e retornam para a mão do jogador no fim do turno que são invocados normalmente ou virados para cima. O estilo de jogo deles é lento e não possuem muitas cartas de suporte.

A princípio eram monstros baseados no folclore japonês, mas já teve suas exceções para membros Ice Barrier e Gishki (ambos archetype WATER do Duel Terminal), então a primeira ideia que eu tive para aproveitarem melhor ele seria um archetype total ou parcialmente Spirit. Os efeitos compensariam a parte que impede que eles sejam invocados especialmente e ao invés teriam efeitos que permitiriam mais invocações normais no turno. Dessa vez poderia ser um archetype com monstros Xyz, mas que também tivesse monstros Spirit de Level 5 pra cima e com efeitos de mini-bosses, e cartas que deixassem eles no campo ao invés de retornarem para a mão na End Phase.

Se o archetype não vale, então que criem uma classe B de monstros Spirit, com eles podendo ser invocados especialmente (ou com invocação especial limitada). Suportes que os invoquem especialmente, ignorando as condições de Summon, também valem. Ah, e também cartas que impedem que a invocação normal deles seja negada também valeria a pena.

Mas um archetype Spirit é o meu sonho mesmo, então espero que algum dia exista.

1. Banir face-down:
GhostrickSkeleton

A mecânica mais nova do jogo. Banir cartas viradas para baixo pode ser um problema para os dois jogadores. Ghostrick Skeleton bane cartas do topo do deck dessa maneira, impedindo que as cartas sejam vistas pelos dois jogadores. Esper Girl bane a carta do topo do seu deck, mas pode adicionar ela para a mão mais tarde. Então se banir cartas viradas para baixo é apelão, existe uma solução.

Uma série de monstros parecidos com os Dark Scorpions iriam banir virada para baixo uma carta do topo do deck do oponente toda vez que infligissem dano de batalha nele. Outro iria banir virado para baixo os monstros destruídos por ele em batalha. E alguma ainda iria banir virada para baixo uma carta aleatória da mão do oponente (Lightforce Sword já faz isso), restando uma para banir virada para baixo cartas do cemitério do oponente.

Ou então isso pode ser usado para custo de alguma coisa. Por exemplo, banir virados para baixo 2 monstros que você controla para invocar um monstro da sua mão, ou banir viradas para baixo cartas do seu cemitério e evitando combos como o dos Dragon Rulers. Banir viradas para baixo cartas do topo do próprio deck também seria um custo grande para algo maior. A ideia é fazer com que o custo ou consequência de algo não tenha mais volta, já que cartas banidas viradas para baixo não podem ativar seus efeitos ou serem selecionadas como alvo de efeitos de cartas.

E caso isso virasse modinha, Necroface seria recomendada para Side Decks, já que retornam mesmo as cartas banidas viradas para baixo ao deck dos jogadores. Novas cartas também iriam surgir, com efeitos que virassem cartas banidas para cima e outras que as virassem para baixo.

Eu acho que não vai demorar muito para a tia Konami fazer isso, até porque é uma mecânica interessante e todo um universo a ser explorado, seja por cartas individuais ou por uma série/archetype. Não sei quanto a vocês, mas também é a mecânica que eu mais quero ver sendo aproveitada algum dia, por isso deixei para falar por último.


Então é isso galerinha, essa foi a segunda parte. Vale lembrar que isso não foi um TOP 10

Comentários
11 Comentários

11 Comentários:

Marcio disse:
1 de agosto de 2014 13:01

Os Sub-tipos são muito esquecidos mesmo... >.>

Mas não acho que Spirit deva estar ai nessa lista, os últimos suportes deram uma boa animada neles, o que realmente falta é um meio decente pra eles ficarem no campo, ou não né, já que muitos deles usam esse retorno como vantagem, disparando os efeitos sempre que invocados :v

Unknown disse:
1 de agosto de 2014 13:03
Este comentário foi removido pelo autor.
Marlone Santana disse:
1 de agosto de 2014 13:07

Gostei bastante do texto.

Gostaria que também fosse lançado uns suportes para zombies, principalmente XYZ Rank 4 e Synchro Lvl 8. Como Zombie Player, sinto muita dificuldade com isso, principalmente pra escapar de uma Rivalry of Warlords que acaba que metade da estratégia, fora os Dimensional Fissure e Macro Cosmos da vida.

Geass b. disse:
1 de agosto de 2014 14:43

O texto ficou ótimo e eu curti demais as duas partes do post! Mas na minha opinião as colocações ficaram "invertidas", tipo, os cinco que vc colocou na primeira parte poderiam ser mais aproveitados que o dessa metade e deveriam ter ficado com o top 5, mas enfim, isso é só minha opinião. Novamente, parabéns pelo post!

Labyrinth Wall disse:
1 de agosto de 2014 14:44

bom post sir Blu, eu pensei em comentar dos Unions e dos Spirits no outro post, mas pensei que até estavam bem aproveitados, agora eu vi que não !! D=

Cyberblu disse:
1 de agosto de 2014 15:30

@Marcio, sim, mas eu coloquei os Spirits até porque acho que dos sub-tipos de efeitos eles são os que mais podem ser aproveitados, conforme visto quando eles receberam esses suportes, então eu ainda espero que eles não esqueçam desses monstros e lancem um archetype para ele.

@Marlone, realmente. Os Zumbis só tem um archetype (Vampire) grande, então espero que lancem mais algum em breve.

Cyberblu disse:
1 de agosto de 2014 15:31

@Geass, o post originalmente seria um Top 10, mas depois eu pensei que se eu organizasse eles assim um monte de gente iria descordar, então por mais que eu tenha colocado na categoria Top, não tem isso no título e as colocações (10º lugar, 9º lugar).

@Lawall, depende do que você comparar eles xD

Carlos Alberto Alberto disse:
1 de agosto de 2014 15:42

Ritual summon melhorado seria bom mesmo...uma coisa que poderia melhorar elas seria colocar os monstros de ritual no extra deck em vez do main deck. Mas acho que ficaria meio apelo isso. Porém quando algo fica apelão é pq é bom kkk. Mas caso isso acontece-se poderia ser limitado similar a pendulum, tipo somente poderia fazer um ritual por turno por exemplo sei la...fica a sugestão ae...

Cyberblu disse:
1 de agosto de 2014 17:53

@Carlos, Eu pensei em colocar isso do Ritual no Extra Deck no post, mas aí eles teriam que mudar o texto de todas as Ritual Spell Card e cartas como o Senju lá ficariam inúteis, então preferi dizer que seria melhor se eles fossem invocados do extra (alguns no futuro) do que isso.

Odd Eyes Dragon disse:
2 de agosto de 2014 15:46

Outra mecânica que poderia ser bem aproveitada é a da Scrap-Iron Scarecrow, que é virada para baixo depois de ser ativada. Esqueceu dessa e das Traps do cemitério, mas pode falar delas em outra oportunidade xD

Cyberblu disse:
3 de agosto de 2014 15:11

Pô @Odd, bem lembrado também! Se eu for fazer mais um post desse com certeza vou colocar as Trap Cards que são viradas para baixo depois de ativadas! Só não sei o que poderia render de novos efeitos assim, mas a ideia é realmente boa! Quando as Traps que ativam do cemitério, já temos algumas e como a Konami viu que a mecânica funciona acho que vai continuar lançando.

Valeu pelos comentários galera! :)