21 de maio de 2014

Random Card #25: Guarded Treasure

 
Hey Brothers! \o

Aqui é o Eric Hood e esse é o meu primeiro post  aqui no blog, onde eu pretendo toda semana (ou mais de uma vez por semana) fazer um post sobre alguma carta do jogo, seja ela lançada recentemente ou que seu uso vem ganhando novas dimensões na medida que o jogo vai crescendo. Sendo assim, a primeira carta a ser comentada aqui é a Guarded Treasure!

Guarded Treasure
Continuous Spell Card
Activate this card by discarding 5 cards: draw 2 cards. While this card is on the field, draw 2 cards instead of 1 for your normal draw during your Draw Phase.


Lembrando que os meus serão rápidos e objetivos, tentarei ser bem breve em colocar o meu ponto de vista. Antes de começar, o LG me pediu para avisar que os posts da categoria Random Cards agora só vão falar de cartas já lançadas no TCG e os da categoria Here Comes A New Card vão falar de cartas que ainda não demorar para chegar no TCG. Dito isso, podemos prosseguir...

Guarded Treasure é uma ótima carta que veio direto do primeiro anime de Yu-Gi-Oh! Para quem não lembra, ela foi usada pelo gostoso (e muito macho) do Raphael. Entretanto, muitas pessoas começaram a dizer que ela foi lançada na época errada, o que para mim é meio óbvio, já que o Dragons of Legend é um booster que traz cartas que não foram lançadas nas épocas certas, ou seja, junto com os seus respectivos animes.

O efeito resumido: Descarte 5 cartas, compre 2 cartas. Compre 2 cartas durante cada Draw Phase ao invés da compra normal do turno.

Mas vamos tentar entender o porque dela ter sido lançada fora de época:

Primeiro porque seria uma carta alvo fácil da banlist, já que naquela época os decks não eram montados com tantas cartas que destroem S/T (apesar de já existir MST e afins). Provavelmente iria acontecer a mesma coisa que mais tarde aconteceu com Mirage of Nightmare, que para quem não sabe, também tem um efeito de compra e descarte absurdo.

Segundo porque ela tem um efeito BROKEN. O que é um efeito Broken, você me pergunta, e eu respondo:

“Efeito Broken é um efeito que quebra com o jogo, literalmente muda as regras padrões dele. No caso da Guarded Treasure, ela é Broken porque permite que o jogador que controle ela virada para cima vá contra as regras padrões e compre 2 cartas durante cada Draw Phase dele”.

Outras cartas banidas com efeito broken incluem Yata-Garasu, que faz justamente o contrário e impede que o oponente compre na Draw Phase, e Makyura the Destructor, que permite o jogador ativar Trap Cards da própria mão.

 

Então porque ninguém tá usando a Guarded Treasure se ela é tudo isso? Simples, não existe um deck específico que se beneficie muito com ela. O máximo é um deck Fabled, mas ainda não vi nenhuma build com ela.
  • NÃO, os Dark Worlds não ativam seus efeitos quando descartados pela Guarded Treasure, uma vez que descartar 5 cartas da mão é um custo.
Para entender melhor, leia o efeito do The Fabled Cerburrel e o do Beiige, Vanguard of Dark World que são praticamente os mesmos.

O problema dos Fabled, nesse caso, é que eles jogam com poucas cartas na mão, então se você for azarado e não puxar a Guarded Treasure logo no começo do jogo, tem grandes chances de futuramente ter um DEAD DRAW. Também é sempre bom explicar o que esse termo significa:

“Dead Draw acontece quando você depende de puxar uma boa carta do deck para poder virar o jogo e ao invés disso vem uma carta que você não pode ativar na hora, fazendo com que geralmente passe o turno e perca o duelo”.

Outro motivo da Guarded Treasure ficar de fora dos decks atuais é que, como já mencionado antes, os decks estão muito rápidos, buscando vários meios para destruir e limpar a S/T Zones do campo para evitar cartas chatas como Compulsory Evacuation Device e Dimensional Prison. Tenho uma previsão que nesse formato, ou no próximo, essa tendência diminuirá ao mesmo tempo que essas mesmas traps começarem a ficar de fora dos decks.

O que vocês acham? Comentem abaixo, espalhem o post por aí e vivam a vida adoidado (mentira, não fumem drogas). Flw Brothers o/

Comentários
16 Comentários

16 Comentários:

Aldair Hatake disse:
21 de maio de 2014 09:22

Ótimo post!!! Explicação muito bem resumida! Concordo que ela foi lançada fora de época, por causa da velocidade dos decks atuais, mas não deixa de ser uma excelente carta!

Guilherme Lerry dos Santos disse:
21 de maio de 2014 10:40

Hoje em dia destrui S/T é muito facil, o que torna a carta um custo muito alto pra um beneficio incerto.

Labyrinth Wall disse:
21 de maio de 2014 14:10

o efeito dela é muito bom, mas seria tenso ativar ela e na End Phase o oponente lhe acertar uma MST!! D=

Cyberblu disse:
21 de maio de 2014 16:32

Muito bom o post Eric, seja bem-vindo

BRZEXAL disse:
21 de maio de 2014 19:07

Eu uso Guarded Treasure (x2) em meu Deck Fabled, no YGOPRO. Claro que, quando conseguimos fazê-la, é extramente útil, mas é difícil efetivar sua ativação. Abraços!

White Knight disse:
21 de maio de 2014 23:39

Ótimo post, bem-vindo!

Eric disse:
22 de maio de 2014 00:02

Obrigado pelos comentários galera :)

Carlos Alberto Alberto disse:
22 de maio de 2014 01:07

Arriscado...mas se funcionar e nao vir tufao pro oponente é gg.

Anônimo disse:
22 de maio de 2014 08:08

Falou muito e não disse nada. Deveria ter mencionado sua utilidade em deck ojama que usam fabled e ayers rock e deixar de preguiça e aparecer com uma decklist.

Emerson Martins de Deus disse:
22 de maio de 2014 08:31

@Anônimo, suponho que você desconheça o objetivo do Random Cards, mas mesmo que conheça, acho melhor você rever o que diz, pois "falou pouco e não disse nada", Guarded Treasure não é uma carta que constrói decks, as utilidades de uma decklist neste post seriam quase nulas, afinal, querer uma decklist de uma carta como Guarded Treasure é o mesmo que querer uma decklist da Soul Charge... Logo, sua insinuação contra ele sobre ser preguiçoso não é mais do que pura ignorância da sua parte, pois nós sabemos que Guarded Treasure não é uma carta genérica do tipo que monta ou remonta decks, como a carta armadilha recém lançada Tri-And-Guess, por exemplo. É quase o mesmo que querer em um post sobre MST uma decklist da mesma, ou uma decklist da Pot Of Greed. Enfim, decklists dessas cartas são super desnecessárias, e serviriam meramente de enfeite, pois não acrescentariam nada ao post.

@Eric, seja bem vindo cara, gostei muito de como você falou da carta, não deixou pontos com nó, e deixou claro o que você pensa sobre a carta e alguns fatos que fazem com que ela não ganhe espaço no jogo. Achei interessante também que você deixou bem claro o significado do termo "Broken", isso acrescenta conhecimento aos jogadores que estão começando agora, ou mesmo aos que desconhecem a maioria dos termos por algum motivo a parte.

Continue assim ^^

Guilherme Lerry dos Santos disse:
22 de maio de 2014 09:32

Se bem que o significado de "broken" é muito controverso Emerson. Os próprios jogadores usam para varias definições diferentes sem realmente seguir uma lógica. Eu prefiro reservar esse termo para uma carta que "tem que ser jogada, ou você tem que usar cartas para para-la" de forma que faz você ter que se focar demais nessa bosta de carta deixando o jogo chato.

Anônimo disse:
22 de maio de 2014 10:44

Deck Fabled ta até ficando forte. Umas duas cópias de Obedience Schooled, mais uma de Mound of the Bound Creator para as Synchros nível 10 ou maior e mais umas duas dessa Guarded Treasure. Meu Deck agradece! *--*

Anônimo disse:
23 de maio de 2014 17:02

lol, carta lixo

Anônimo disse:
23 de maio de 2014 20:32

Essa carta é um lixo, o custo a torna completamente inviável e inútil. Os redatores desse blog precisam urgentemente começar a pensar e pesquisar mais antes de sair escrevendo qualquer coisa.

E Emerson, comparar essa carta a MST ou Soul Charge em termos de ser genérica e não construir decks foi uma piada. Um post como esse pedia SIM uma decklist.

Emerson Martins de Deus disse:
23 de maio de 2014 20:39

@Anônimo, você pensou antes de escrever esse comentário? Acho que quem precisar dar uma pesquisada é você, primeiro que o cara não escreveu nada do tipo "Olha o poder e estrago que essa carta vai fazer", o que torná complemente dispensável seu comentário sobre os redatores, e faz pensar se você realmente leu esse post.

Segundo que é uma comparação totalmente viável, cartas como essa não precisam de decklist, nem em Fabled essa carta se torná realmente necessária, e se torná mais inútil ainda uma decklist por simplesmente ser uma carta auto-explicativa, dispensa totalmente decklists, igual os exemplos que eu citei.

Uma coisa interessante é a sua incoerência, se você acha a carta tão lixo assim, por que a necessidade de dizer que era necessário uma decklist? Reveja seus conceitos amigos, pois eles são bem controversos.

Anônimo disse:
23 de maio de 2014 20:58

Eu acho que esse card caberia perfeitamente no deck gimmick