22 de março de 2014

Carta da Semana #106: Cardcar D


 Eae pessoal, blzinha? De volta com o Carta da Semana, desta vez eu resolvi explorar um pouquinho mais o jogo e as celebridades do mesmo onde, até então, eu desconheço muita coisa. Ocorreu semana passada o Yugioh Championship Series (YCS) Brasil, a mais famosa série de torneios de yugioh do mundo. Eu procurei por vídeos, desde entrevista com os jogadores até as Deck Profiles do Top 4.

 A conclusão que eu cheguei é que uma das cartas que mais precisam de informação a ser transmitida é o carinha abaixo. O jogo cresce tanto, as techs vão e vem e chegamos na "era da draw", um termo que eu vou remodelar mais pra frente. Até lá, coloquem os cintos que a corrida pelo Deck Thinning já vai começar.


Cardcar D
★ 2 / EARTH
ATK: 800 / DEF: 400
Máquina / Efeito
Não pode ser Invocada Especialmente. Durante a sua Main Phase 1, caso esta carta foi Invocada Normalmente neste turno: Você pode tributar esta carta; Puxe 2 cartas, então se torna a End Phase deste turno. Você não pode fazer Invocação Especial durante o turno em que você ativa este efeito.


  Esse aqui tem história, assim como a sua base criativa, o Ford Thunderbird. O design do Cardcard lembra demais a sexta, a sétima e a oitava geração do modelo e que é bem fiel ao original: carros largos, quadrados e com detalhes típicos da época (1971, 1977 e 1980 respectivamente para as gerações citadas); faróis  e vidros pequenos, capô enfeitado ou com um decal ("pintura") ou com um aerofólio pequeno.

 Mas por que a escolha de um carro tão velho? Cardcar, mesmo que eu odeie o seu trocadilho eu ainda tiro o chapéu pra alma da ideia por traz dele. Começamos pelo nome para depois respondermos a pergunta acima, ao pronunciar o nome da carta, temos a leve sensação de estarmos pronunciando Card (do inglês, Carta) duas vezes, esse jogo de palavras só funciona no Inglês. O seu efeito pode se resumir em puxar 2 cartas do baralho, e então voltamos ao trocadilho da carta, a mensagem do nome é carta duas vezes, justificando o seu efeito. O formato do Cardcar foi baseado no, já citado, Ford Thunderbird, que possui um formato achatado, deixaram ainda mais achatado a arte da carta de propósito, para realmente parecer um retângulo, mesmo quando visto de diversos ângulos (o anime mostra perfeitamente isso), e o retângulo é o formato de uma carta de Yugioh. Mind Fuck! 

 Mas a carta não é só um trocadilho inútil, a carta é uma homenagem ao mangá Initial D do escritor e desenhista Shuichi Shigeno. Initial D é um mangá sobre corrida de carros, publicado de 1995 até 2013 na Young Magazine contando com 48 volumes. O mangá recebeu várias adaptações para anime, cada uma cobrindo uma parte da obra e uma delas veio a ser exibida no Brasil pelo canal Animax Brasil. O anime que veio para o Brasil possui 26 episódios.



 Cardcar deu as caras no Galactic Overlord (Maio de 2012) como uma Secreta Rara, motivo de tanta euforia com a carta era bem óbvio, carta que produzia +1 em praticamente qualquer deck, mas principalmente em Hieratic, também do GAOV, que pra formar o OTK precisava de um campo sem monstros, Cardcar caiu perfeitamente.

 O preço da carta continua salgado mesmo hoje. A carta recebeu duas reprints: uma no Battle Pack 2 (Junho de 2013), sendo uma carta Rara, num set de 5 cartas por pack e que possui uma monstruosidade de 215 cartas! O preço caiu um pouco com isso. Mas recentemente saiu o Star Pack 2014 (Fevereiro de 2014) e o Cardcar foi o garoto propaganda pra fazer o pack vender (realmente não tem nada de forte pro jogo no pack, exceto pra quem precisa de cartas básicas pro Extra Deck), agora ele sendo mais fácil de ser encontrado nas box por aí.

 O preço atual do carrinho gira em torno de 30 Reais, mas caso o Star Pack venha a ter sua edição brasileira, o preço pode cair ainda mais.

 Eu fui descobrir sobre Patrick Hoban no YCS Brasil. Pros leigos, como eu, Patrick Hoban é citado em inúmeros sites de yugioh ou entre os yugitubes como o criador da Trinca de Upstart Goblin e/ou Reckless Greed. Até então eu não tinha pensado sobre o impacto dessa tech pro jogo e eu devo tirar o chapéu, porque em certos decks isso cai como uma luva.

 O efeito da Upstart é bem direto, você puxa uma carta e seu oponente ganha 1000 pontos de vida. O que tem demais nisso é que toda vez que você pegar ela em suas mãos, você vai ativar, puxando outra carta do deck. Colocando isso em números, você estaria trocando uma carta da mão pela do topo do deck, dando um -1 no mesmo. 3 Upstart Goblins seria -3 num deck de 40 cartas, ou seja, é como duelar usando 37 cartas no baralho.

 Toda carta que lhe dê cartas sem custo possuem uma condição ou algo de vantagem ao oponente. Mas nem todas tem algo que iguala ao preço do emagrecimento de deck. Temos 3 que fazem o serviço sem muitos pontos negativos: Cardcar D, Reckless Greed e Upstart Goblin, fazendo a continha anterior, constando que um deck consiga rodar 3 cópias de cada uma sem problemas, é quase duelar com um deck de 25 cartas, mas com o oponente com 11000 pontos de vida e você sem poder fazer invocações especiais por 3 turnos. Parece vantajoso pra ele, mas não é caso o seu deck possua jogadas fortes que tornem o jogo ao seu favor. Nesse caso, vou usar o exemplo do próprio Patrick Hoban, que ganhou o ARG Circuit Series  de Charlotte com Mermails.

 Pra saber qual das três cartas usar depende do deck e agora eu vou citar boas formas de saber se o Cardcar D é o certo pro seu. A primeira coisa a se ter em mente é o efeito negativo da carta em questão: ele rouba um turno útil seu. Agora você precisa ver como amenizar isso ou colocar ao seu favor. Todos pensam direto em Scarecrow ou Fader, pela falta de monstros pra segurar o campo, mas não são somente Hand Traps que fazem o serviço.

 Se o seu campo está vazio, você tenta ou reduzir o dano, ou colocar algo de peso nele. Cartas de invocação, como Call of the Haunted e Powerful Rebirth, também amenizam o problema relacionado a abertura pro oponente.

Até mesmo o dano que você tomou pelo turno do campo vazio pode se tornar numa vantagem. O jogo abrange boas cartas onde ter menos pontos de vida que o oponente é a chave para o sucesso em seu efeito. Desde decks chatos, como Exodia e a sua Hope for Escape, até decks que tem um Utopia Ray guardado para danos massivos. Com a baixa de Utopias no Extra Deck, talvez a jogada com Mind Control e o Ray não seja mais a mesma, mas será de muito bom uso caso apareça a oportunidade.

 Entre Cardcar e Reckless existe uma grande diferença na hora de cada uma atuar e onde atuar. Cardcar não para o fluxo do baralho, mas somente o de um turno, sendo versátil até mesmo em decks lentos que só precisam de um empurrãozinho pras jogadas saírem (ele era e continua até hoje sendo usado assim por vários jogadores). Para optar por Reckless você deve escolher um deck onde o search impede que a parada do fluxo interfira no seu jogo, e principalmente, um deck que tenha um monstro bem defensivo ou ofensivo. E ambas as cartas podem ser usadas num mesmo deck quando ele possui um OTK eminente e de fácil uso, veremos isso na decklist da semana.

 Decks que também tem acesso caso o processo falhe ganham destaque com o Cardcar. Enquanto você não declarar a ativação do efeito dele, você pode fazer futuras invocações especiais. Caso ele receba uma Solemn Warning (por algum motivo), você ainda pode chamar um Thrasher da mão, por exemplo.

 Cardcar tem 2 momentos distintos onde você vai querer ativar seu efeito:
1 - O mais rápido possível pra pressionar o oponente com o número de cartas na mão.
2 - Buscar algo num momento de necessidade.
 O problema dele não é só a falta do turno útil, como as chances dele falharem são maiores que a da Reckless ou Upstart, porém na situação 2, raramente qualquer uma das 3 cartas poderia fazer muito. "Golpes de Sorte" acontecem.

 Cardcar é uma carta que dá uma boa vantagem pro usuário, mas o valor dessa vantagem varia bastante de deck pra deck e de momento do jogo. Procure entender a situação em que você está o jogo, para não errar na escolha de usar o Cardcar ou jogar com o que já tem na mão, já cometi esse erro inúmeras vezes.



Jogador: Carlos Henrique
Deck: Harpie
Primeiro lugar no Yugioh Championship Series Brasil 2014
Formato: TCG de Janeiro de 2014

Monstros:
1x Harpie's Pet Dragon
3x Harpie Queen
2x Cyber Harpie Lady
3x Harpie Dancer
3x Harpie Channeller
2x Cardcar D
1x Harpie Lady #1

Magias:
3x Upstart Goblin
3x Pot of Duality
3x Hysteric Sign
3x Harpie's Hunting Ground
1x Elegant Egotist

Armadilhas:
3x Reckless Greed
3x Hysteric Party
2x Fiendish Chain
1x Torrential Tribute
1x Solemn Warning
2x Icarus Attack

Side Deck:
1x Thunder King Rai-Oh
1x Traptrix Myrmeleo
2x Maxx "C"
2x Mystical Space Typhoon
1x Dimensional Fissure
1x Trap Hole
1x Traptrix Trap Hole Nightmare
1x Full House
1x Trap Stun
2x Overworked
2x Black Horn of Heavens

Extra Deck:
2x Ice Beast Zerofyne
2x Lightning Chidori
1x Mecha Phantom Beast Dracossack
1x Number 74: Master of Blades
1x Number 11: Big Eye
1x Evilswarm Ouroboros
1x Number 101: Silent Honor ARK
1x Harpie's Pet Phantasmal Dragon
1x Evilswarm Exciton Knight
1x Gagaga Cowboy
1x Abyss Dweller
1x Diamond Dire Wolf

Para mais informações sobre o deck, consultem o próprio usuário dele neste video AQUI.



Terminando o post por aqui, espero que tenham gostado, demais sugestões para futuros posts podem ser deixadas na área de comentários. Até semana que vem com mais um Carta da Semana e falous!

Comentários
9 Comentários

9 Comentários:

Guilherme Lerry dos Santos disse:
22 de março de 2014 22:25

Adoro esse hotwheels.

Cyberblu disse:
22 de março de 2014 23:08

Sempre quis colecionar Hotwheels xD

Quanto a esse cara, já salvou a vida de muita gente, e em um deck com outras cartas de Draw como no cado do Hoban, você não precisa ficar dependendo só dele para aumentar a mão. Lembro que quando lançou todo mundo usava xD

Ótima análise Subonito

Anônimo disse:
22 de março de 2014 23:11

muito bom, mas prefiro reckless greed porque diferente do que muitos pensam, ela não é uma carta suicida, a menos que você saia usando sem sabedoria as cartas novas

Rodrigo Silva Escobar disse:
22 de março de 2014 23:33

Quando vc começa com Cardcar D e Duality, é um turno que o contra efeito de uma carta compensa o da outra, já que não haverá Special neste turno. E a melhor vantagem do Reckless Greed é quando vem mais de 1 na mão, o que significa que vc vai comprar mais cartas e ficar menos turnos sem Draw Phase. Acho que chegou a hora de restringir essas cartas, Tá muito apelão, XD

subonito disse:
23 de março de 2014 00:14

E pensar que antes a Upstart e a Reckless não tinham vez, tudo leva seu tempo pra ser lapidado. Isso porque antigamente nada tinha tanta restrição.

As 3 podem rodar extremamente bem em qualquer deck, dando a impressão de rodar menas cartas no baralho. Mas acho que decks com muita força bruta são os que usam melhor o "Estilo Hoban".

Lembro bem da epoca do Cardcar, voando baixo em quase todo deck que eu via xD

Kimer disse:
23 de março de 2014 00:20

Detesto essa carta. Uso somente se outras cartas de draw power não se encaixarem no deck. O problema não é nem as restrições que a carta possui, e sim a maldita ruling que a Konami botou na carta que diz que Breaktrough Skill e Effect Veiller podem negar o efeito de Cardcar D, sendo que o tributo é um custo e o efeito, em tese, resolveria no cemitério. Mas não, resolve NO CAMPO. Se não fosse essa ruling, a carta seria muito melhor.

Porthos disse:
23 de março de 2014 00:25

Kimer, não fale sobre o que você não compreende... Leia mais sobre resolução de efeitos, antes de falar que a Konami "botou" uma regra.

subonito disse:
23 de março de 2014 00:27

Ele veio pro TCG depois do fim da Prioridade, aquilo sim era ridículo, você mal tinha direito a resposta à um monstro com efeito.

Achei bem sutil da parte da konami sobre o Cardcar penar pra cartas que negam seu efeito durante a sua invocação, mesmo que isso chegue a contrariar algumas coisinhas (não cheguei a ver a regra a fundo, mas deve haver um pingo de lógica)

Exceder os limites de velocidade puxando 2 cartas sendo parado apenas por armadilhas tipo Compulsory não seria legal. O jogo fica mais disputado com isso também, ao meu ver.

Anônimo disse:
23 de março de 2014 16:23

carta muito boa, apesar de as vezes ser uma droga ter na mão