4 de janeiro de 2014

Carta da Semana #97: Kaiser Colosseum


 Eae pessoal, blzinha? Carta da semana de hoje de uma carta adorada por muitos, venerada por muitos e também odiada por muitos. Dos confins do tempo ela veio pro jogo para mexer bastante com a estrutura do mesmo.
 Kaiser Colosseum com um efeito control ao extremo se adaptou e entrou na maioria dos decks atuais. Com vocês a bendita:


Kaiser Colosseum

Magia Continua
Se existir 1 ou mais monstros no campo do controlador desta carta, seu/sua oponente não pode por monstros em campo caso o numero de monstros do campo dele/dela vá exceder o numero de monstros no campo do controlador desta carta. Cartas que já estavam em campo antes da ativação desta carta não são afetados por este efeito.


 Kaiser Colosseum deu as caras no ocidente em Outubro de 2003 no pack Magician's Force, mas desde aquela época não se esperava nada da carta, ela era apagada, sua raridade era comum. Kaiser era algo acima de sua época, no mal sentido, o jogo era lento, ela não tinha impacto algum. 

  Até mesmo na era Synchro eu não me lembro dela aparecer em decks. O motivo de ela surgir somente agora em decks é bem simples: monstros andam mais auto-suficientes que antigamente. Na era Synchro Tuner sozinhos não faziam quase nada, não tuners também, e Synchros raramente se protegiam sozinhos. Na era atual, meio mundo de monstros fazem o deck rodar sozinhos e de quebra o próprio deck dele já tem o necessário para segurar ele em campo o tempo que for, fora os Xyzs que na grande maioria são um pé no saco para se retirar do campo. Parabéns ao cara que lembrou de Kaiser nessa época, foi muito bem pensado.

Começando mais uma vez pelo óbvio: Bujins. Falou em proteção, falou neles. Um deck realmente forte devido a um único monstro, Bujin Yamato. Como eu já havia citado, hoje em dia existem mais monstros sozinhos que fazem o deck rodar de forma extrema, um deles é o Yamato. Com o seu efeito de fazer setup de cemitério e buscar quaisquer carta que vai ser útil do deck pra mão, ele fica em campo por turnos, e o jogador nem sequer precisa ter o prazer de usar ele pra nada, ele sozinho consegue bater pra garantir o jogo, desde que seja bem protegido.

 Mas tudo isso só vale pois ele tem suportes de qualidade, Bujingi Crane, Bujingi Turtle, Bujingi Hare e Bujin Mikazuchi. Com todos esses juntos, você mantem a Colosseum impedindo 2 ou mais monstros pro oponente por bastante tempo. Mesmo eu tendo citado que temos muitos monstros que rodam o deck sozinhos, Bujins e Heraldic Beast são os únicos decks que eu conheço onde um monstro só faz o jogo.

Seguindo a lista, os recém-citados Heraldic Beasts são os próximos que fazem um grande uso da Colosseum. Unicorn é quem faz a Colosseum ter seu efeito ativo por vários e vários turnos junto ao seu efeito de reviver um Xyz. Esse Xyz é Number 18 que quando é retirado de campo envia 2 Heraldic Beasts do deck para o cemitério, um setup perfeito pra ele voltar ao campo com Unicorn de novo e impedir que o oponente possua mais de 2 monstros junto a Colosseum.

 Pra piorar, Heraldic Beast tem um swarm bruto e um control forte, onde não só o campo é afetado, mas o baralho também devido ao Lightning Chidori, destruindo o próximo turno do oponente mandando cartas de volta pro topo. No momento certo, Heraldic pode parar de usar a Colosseum como control e bater no oponente de forma forte, consistente e ainda deixar ele em sérios problemas pelo resto do duelo. Lembrando que Colosseum não é a única carta que faz Heraldic um deck control, a base do deck também pode apresentar Skill Drain, Creature Swap e Vanity's Emptiness.

Falando em controlar jogo com um monstro e protege-lo, temos Evils e seu Ophion, monstro que passa mais da metade do jogo sozinho no campo enquanto neutraliza as jogadas do oponente enquanto se protege. Um outro deck com potencial para a Colosseum fazer estrago.

 Ophion tem uma única fraqueza: monstros. Se você conseguir impedir que o oponente invoque monstros com potencial para retira-lo de campo, é algo extremamente útil pro jogo control que os Evils fazem. Mas nem todo monstro tem o potencial pra tirar o Ophion de campo fácil, a maioria deles são Xyz ou Synchros, que necessitam de 2 ou mais materiais, já viu onde isso vai dar, né? Colosseum faz o papel de baba pro Ophion nesse meio tempo, enquanto ele bate e busca defesas.

 Em resumo, Colosseum é uma carta 100% control e anti-meta, uma carta que diminui o ritmo do jogo do seu oponente apenas, algo realmente forte, mas não é para todos. Eu partircularmente odeio esse estilo de jogo, mas ele pra esse formato vai bater de frente com muita coisa, as vezes eu sinto falta dos formatos passados com decks brutos extremamente fortes por que não era qualquer control que passava por cima deles.
 Acredito que muitos jogadores vão optar por um deck mais control pra esse formato e Kaiser Colosseum pode ajudar, aproveita enquanto ela ainda está barata.

 De novo, pra não deixar o post cru, achei um video bem humorado do estilo de jogo de Bujin Control, o video não cita a Kaiser, mas dá pra se ter uma noção do numero de cartas que protegem eles e como a Colosseum pode entrar ali no meio e deixar tudo ainda mais forte.



 Só uma curiosidadezinha bem legal agora: Kaiser em Alemão significa Imperador (Emperor) e o nome dos Bujinteis traduzidos do japonês são Bujin Emperor. Pensem sobre isso...



Terminando o post por aqui, espero que tenham gostado. Comentem o que acham da Kaiser Colosseum e o que vocês acreditam que ela possa afetar no próximo formato. Semana que vem Carta da Semana vai ser de Chronomaly, que também estão chegando junto pro próximo formato. E não, eu não vou falar do Nebra Disk no post, pensem melhor.
Enfim, saindo aqui, espero que tenham tido um bom começo de ano e falous!

Comentários
7 Comentários

7 Comentários:

Anônimo disse:
4 de janeiro de 2014 19:35

Por conta dos Bujins, esta carta vai entrar na banlist.

Cyberblu disse:
4 de janeiro de 2014 22:01

Por conta dos Bujins, esta carta vai entrar na banlist [2]

Eu achava ela bem chata, depois dos Bujins comecei a achar ela mais ainda, mas confesso que é legal colocar ela no campo e ver o oponente setando monstros desesperadamente até vir uma MST.

Labyrinth Wall disse:
5 de janeiro de 2014 04:33

não entendi o efeito dessa carta!! '-'

mentira, entendi sim...agora estamos ferrados mpb

Emerson Martins de Deus disse:
5 de janeiro de 2014 12:38

Esta situação esta me lembrando a da Super Rejuvenation, archetype novo abusando de uma carta antiga. Bom post subo o/

Cyberblu disse:
5 de janeiro de 2014 13:42

E nem vamos mencionar Ghostrick usando Swords of Concealing Light, Needle Celing e Des Lacooda. Acho que os novos archetypes daqui pra frente vão ser só um update de jogabilidades que já existem (Falta lançar um update para Senet, aí seria dahora).

Anônimo disse:
5 de janeiro de 2014 15:21

Os Taptrix com os holes da vida.

Apocalipse disse:
5 de janeiro de 2014 22:07

Gx - Isso é carta de passivo.