28 de junho de 2013

DesCarta #2 - Resenhando sobre o Meta.


Eai Galera o/

Vamos a segunda edição do quadro DesCarta, que conta sobre assuntos interessantes nessa semana, e é claro, tudo baseado em 10 cartas...



Antes de começar, devo dizer que esse artigo será um pouco mais teórico, nada de decklists ou vídeos. O estilo que abordarei agora é um estilo mais uma conversa qualquer do que uma postagem teórica ensinando algo, então não me alongarei em detalhes. Pois bem...


E hoje, em pleno meio do ano, chegada dos WCQ, daqui a pouco teremos o mundial, e estamos no meio para o final de um formato digno de ser lembrado. Interprete como quiser, mas não vou me esquecer desse formato, do confronto histórico entre Spellcasters e Dragons, de um confronto excepcional entre decks dos 4 Elementos da Natureza (Earth - Machine e Variantes; Water - Mermail; Fire - Fire Fist; Wind - Dragunity/Harpie) contra monstros de seus próprios elementos que juntos fazem jus ao nome que tem. Estou sendo otimista, não é ? Fico otimista pela herança que esse formato vai deixar para nós. Temos no mínimo 3 decks competitivos em cada Elemento Natural, e mais os decks comuns que vem se formando no lado negro e luminoso da força. Se a Konami fizer o trabalho que deve ser feito, os dragões vão ser limitados, Sb of Judgment será banida e vamos voltar nossas atenções para o próximo metagame, que deve ser melhor que esse, com certeza.

Não vamos nos alongar sobre o futuro, porque este pertence a Konami. Falando em lado negro e luminoso da força, o confronto Spellcaster vs. Dragons tem sido bastante ofuscado por duelos... terminais. Evilswarm tem uma Match-up ótima contra esses dois decks, principalmente o segundo, pelo fator "Ophion", sendo o Anti-Meta "Meta", porém ele tem uma fraqueza grande contra decks que não tem monstros de nível 5 para cima, então chegamos até sua contraparte, Constellar.



Eu jogo de Constellar desde que a buscadora mais conhecida desse formato chegou: Fire Formation - Tenki. Ele acelerou os jogos desse deck e agora com uma porcentagem maior de chance, você pode colocar Pleiades em campo mais 1/2 Set Card e garantir um controle excelente de duelo. Digo que para aqueles que conhecem bem o deck, sabem que ele pode bater de frente com os topdecks desse formato com uma boa escolha de cartas no main e no Side, principalmente. Uma coisa que eu tenho reparado é que nesse tempo usando Constellar, uma carta se mostrou importante no jogo deles e que antes muitas pessoas não valorizavam: Constellar Sheratan. Antes opcional ou usado no máximo a 2 cópias, ele foi elevado ao Status de Stratos (Sintam o termo) do deck, agora sendo fundamental 3 cópias do mesmo. Até porque o deck abusa de um jogo de traps novo chamado Vanity's Emptiness e Safe Zone que podem segurar o duelo por no mínimo um turno, fazendo-o ser usado no próximo turno, e outro fator que parei para perceber: É muito mais lucrativo para você que seu oponente gaste a Effect Veiler/Skill/Fiendish dele  no seu Sheratan, com medo de pegar um Pollux ou um Sombre que é Rank 5 com somente 1 carta que não é o único cara que começa o Search do deck do que gastar no seu Kaus que é a Key Card do deck, ou nos Rank 5 que o próprio Kaus trás que são a força do deck, porém, claro, depende das circunstâncias de cada duelo.

Contudo, Constellar e todo deck que não tenha facilidade para ativar E.E.Virus ou 4 Dragões que se reciclam, tem dificuldade contra Prophecy, pelo estilo de jogo que Sb of Judgment deu ao deck. Judgment faz você buscar qualquer carta do seu deck, que pode decidir um duelo criar uma vantagem de Mão + Campo quase imbatível e ainda coloca em campo um cara que nega Special Summons, principal arma dos seus adversários. É triste. Um dos fatores que fez esse deck ser temido nas previsões e no combate é as variações que as suas Builds podem ter. Pela facilidade de Search e Hand Advantage, qualquer tech que pegue de surpresa seu oponente e te dê vantagem é algo monstruoso. Percebam que no começo de seu uso, High Priestess of Prophecy era obrigatório e o número de monstros era maior, assim como o número de armadilhas era bem reduzido. Agora, fugindo de Ophion e caindo as possibilidades de Dead Hand sem High Priestess of Prophecy, o Kycoo Beatdown como eu chamo é a variante mais consistente deles já feita, com número de monstros no máximo a 10 e armadilhas no máximo a 5, o resto de Spell Cards.


No momento, a prioridade é garantir que Sb of Judgment ou/e Sb of Secrets estejam na sua Open Hand para que a primeira parte, e mais importante, da condition win esteja garantida. Algumas pessoas ainda usam a tech com Toon Table para emagrecer o deck, e também, caso consiga uma Open Hand com Judgment, aumentar o número de cartas adicionadas no fim do turno e colocar um monstro de 1900 pontos de ataque no campo. Pegando pelo lado mais atual, dizem que jogadores estão divididos entre 2 estilos de deck: Trinca de Upstart Goblin e Trinca de Sb Library of the Crescent ? Ou só Upstart Goblin ?



Como disse já outras vezes, não sou um Prophecy Player, por isso irei me apegar aos números e ao que leio, sim, estatísticas de Yu-Gi-Oh: Um deck só com Upstart Goblin, que emagreceria seu deck de 40 para 37 na teoria, tendo ainda o Magician para buscar uma dessas duas cartas, você tem 23,4% de chance de abrir com essas duas cartas em 3 duelos (Match). Com Crescents e Upstarts, suas chances aumentam em pouco mais de 10%, que é muito, se considerar que você pode mandar as outras cópias da Crescent que vierem no Midgame para o cemitério como custo de ativação de alguma carta, ou por causa do Hand Size Limit, sendo food para Fate, evitando dead draw.

O grande problema dela é justamente o fato de você pegá-la no tempo errado. Não vai ser toda hora que você poderá gastar 1 Search da Secrets ou da Judgment só para mandar ela para o cemitério ao invés de puxar uma Life, Star Hall ou Power, cartas que dão poder ao Kycoo para que a segunda parte da condition win se estabeleça, sem contar o fato de sua restrição de ativação de Spell Cards. Jogadores que defendem seu uso dizem que ela te dá duas chances de você puxar essas duas cartas, considerando que você quando for separar as 3 Sb de nomes diferentes, coloque Judgment, Secrets e Sb of Masters. Caso não venha nenhuma das 2 primeiras, use Master para copiar seu efeito, mesmo se tiver Sb no cemitério, e tente novamente a sorte com seu oponente.

Ainda falando de Prophecy, graças ao SD 25, nossa quinta carta do quadro é destacada: Blue-Eyed Maiden. As chances de você abrir com uma mão Full Spell Card é muito alta devido ao alto número de mágicas no deck. Então, uma carta chamada Eradicator Epidemic Virus que é a principal carta contra o deck e que realmente o para, fazendo perde toda a mão se usada com sucesso. Uma alternativa a essa perda e que faça o deck se segurar em jogo mesmo com a desvantagem é o uso da Blue-Eyed Maiden e do seu parceiro, Blue-Eyes White Dragon. A sinergia entre eles é excelente, Maiden pode ser buscada facilmente pela Judgment, que usando a ativação de Spells do oponente, já que é uma Quick-Spell, pode buscar Maiden com apenas a ativação de uma simples Typhoon dele, já que ela é Nível 1. Daí para frente, é segurar o jogo com ela até que você consiga diminuir a desvantagem. Conheço casos de pessoas que conseguiram virar jogos graças ao Fator Maiden. Não somente usada para isso, Maiden também vem sendo uma Tech mais Aggro do deck, tirando o foco do Kycoo/Shining Elf/Magician + Star Hall + Power, colocando um monstro de 3000 de ataque no campo, sem contar a possibilidade Synchro, já que a Maiden é tuner.

Vemos Prophecy se preparando e diversificando quanto aos seus adversários, e seu principal concorrente no meta, Dragon Ruler, não poderia ficar para trás. Uma das mudanças que venho percebendo, além da Tsukuyomis, Rykos, LADDs... vejo que o número de Gold Sarcophagus vem caindo no deck. Antes insubstituível e necessária, agora vejo poucas Builds a usarem devido ao Fator Jowgen dos Prophecy, o número desse tipo de deck também e a rapidez que eles constroem sua vantagem, mesmo demorando a vencer seus duelos, a criação da relativamente normal vantagem de mão e campo deles sobre os adversários é fatal para Dragon Ruler. Por isso, demorar 2 turnos para adicionar uma carta, mesmo pegando outra no momento da ativação é "lento" e pode custar caro. Por isso, cartas como Sacred Swords of Seven Stars e Droll & Lock Bird tem sido mais usadas, uma por dar +1 na sua mão e outra por parar o deck feiticeiro por um turno. Claro, isso é um tendência do OCG que vem acontecendo e que pode se confirmar aqui ou não, depende do jogador e de seu deck, se tem dificuldade ou não com Prophecy e do número de Prophecies em torneios daqui.

Continuando no assunto Dragon Ruler, Amanda Le Palme, em seu belíssimo artigo no blog Coretcg, destacou uma opção viável demais para jogadores que tem dificuldade em encontrar Break. Skill em um preço acessível: Forbidden Chalice. Skill saiu no Battle Pack 2, mas ainda podemos ter uma supervalorização dela, já que quem faz o preço é o jogador e não a Konami, então Amanda mostrou a todos um combo simples, mas que resultam em vitória em um turno para você e seu Dragon Ruler.

Tudo que precisas é uma Forbidden Chalice na mão, um dragão de nível 7 e um Tuner nível 1 e um Colossal Fighter e seu oponente ter um monstro de mais de 2400 pontos de ataque em campo e ele usar Maxx C naquele turno:

1. Invoque Especialmente o Dragão de Nível 7.
2. Invoque Normalmente o tuner nível 1.
3. Faça o Synchro do Colossal Fighter.
4. Use Forbidden Chalice no monstro do oponente de 2400 ATK ou mais.
5. Ataque com o Colossal Fighter.
6. Ela será destruído, você usará seu efeito, revivendo-o e ele tendo outro ataque para declarar.
7. Repita o passo 5 e 6.

Faça isso até seu oponente não ter cartas para puxar no próximo turno. Lembrando que você tem que assegurar que não tem nenhum outro Warrior em ambos cemitérios para o ataque do guerreiro não aumentar por conta do seu efeito, e prejudicar seu combo.

O Guerreiro também tem sido muito usado em Extra Decks não só por esse combo, mas também pela versatilidade que possui contra Mirror Matches e Prophecy Match, pois ele é um alvo fácil de EEV, devastando Prophecy, e em Mirror Match e outras Matches de decks que usem Synchro, ele tem economizado espaço nos Extra Decks já que ele pode reviver o Crimson Blader do oponente e usá-lo contra ele mesmo, matando o deck do oponente.

Sem contar que Chalice pode reciclar seu LADD: Use uma carta qualquer para ativar o efeito de negação dele (CL1), depois ele tentará negar, é obrigatório (CL2), ai você usa Forbidden Chalice como CL3 para negar o efeito do LADD, ele voltar aos pontos de ataque originais, podendo negar mais coisas do oponente.

Bem, depois desse resumo atualizando quem precisa saber sobre as novidades que podem surgir nos dois principais decks do formato, eu fiquei atento esses dias e tem um deck, ou uma carta mais especificamente, que está se aproveitando para voltar a aparecer no jogo novamente, o velho campo mágico, Necrovalley!

O campo dos Gravekeepers tem aparecido como alternativa ao Banimento dos dragões, junto com a já falada Imperial Iron Wall, e também evitando a movimentação de cartas de Prophecy no cemitério, onde Fate é o principal alvo, ficando inutilizada, sem contar a Sb of Life, que também não pode ser usada. Esta carta é uma ótima opção de side contra esses decks, mesmo sendo vulnerável a MSTs, Heavy e Blaster.

O Archtype dessa carta, os Gravekeepers, atualmente no Tier 2 do jogo, não vem aparecendo tanto no Meta, pegando altos Tops em campeonatos, mas ainda é um deck usado pelos jogadores para surpreender em torneios com sua imunidade a Necrovalley e a Semi-Limitada Royal Tribute, que faz estragos em decks que usam muitos monstros.

Nessa onda de decks que estão se aproveitando do atual formato, Mermail é um caso curioso. Com a chegada dos Dragon Ruler, ela conseguiu achar uma Build ideal no formato, mesmo perdendo espaço no Meta. Engraçado é que no formato pré-Tachyon no TCG, o deck dominava, mas foi ofuscado no começo por Macro Rabbit, já que a maioria dos decks, como Mermail, se aproveitava de efeitos no cemitério. Essa Build ideal tem como principal protagonista Tidal, Dragon Ruler of Waterfalls. Com a chegada dele, o deck focou seu estilo em fazer Rank 7 mais rapidamente, para combater Aggro contra Aggro dos Dragon Ruler, além do fator Dweller: Com a mão certa, Mermail pode colocar Abyssgaios e Dweller no campo, formando um Lockdown para Dragão Ruler. Sem contar a presença de cartas como Imperion Iron Wall que conseguiram seu espaço no deck e redução de Spells, que faz Anti-Spell Fragrance ser a carta de side que pode fazer Mermail combater Prophecy.


Se chegou até aqui, você realmente merece meus parabéns. haha. Então, chegamos a 10 Cartas, e um resumão do que está sendo especulado e falado sobre os decks de cima do jogo, algumas jogadas e assuntos, observações e abordagens, vocês já devem conhecer e outros ainda não, espero que fique do agrado de vocês, e não se esqueçam que agora vocês podem comentar não só pelo Blogger! Facebook, conta do Yahoo, do Vlog... ou seja, muitas opções. o/

Comentários
12 Comentários

12 Comentários:

Potter disse:
28 de junho de 2013 19:29

muito bom, LG!! =D

"...estamos no meio para o final de um formato digno de ser lembrado"

uAHSuA, mas a minha visão disso é diferente!! xD

nem preciso falar de novo!! =D

Sir. Porthos Fitz-Questitor disse:
28 de junho de 2013 22:35

Maravilha de Post

Bjks no seu S2, LG

Só tenho uma ressalva: É ridículo comparar Break com Chalice, pelo simples motivo que além de Break dar 2 tiros, existem tantas chances do meu opp tem um monstro de 2400/2500 ATK como ele ter um de 2800 e.e

Guilherme Lerry dos Santos disse:
28 de junho de 2013 22:37

Pobres Mermails, não conseguiram nem ter seu momento de glória sahusauhahsuhuas.

Lucas Gaspar disse:
28 de junho de 2013 23:47

@Porthos: Foi o que eu citei, Break hoje tá em um preço muito elevado e só alguns lugares que a tem, eu por exemplo, não tenho condições de comprar nenhuma cópia dela. Vai que o cara tá na mesma situação que eu, e precisa de algo no lugar XD

Mas, realmente concordo que não há comparação, apenas aumentei o leque de opções.

Sir. Porthos Fitz-Questitor disse:
28 de junho de 2013 23:53

@Lucas: Explique isso para os nego que acha qu eo que aparece na Core, ARG etc. é lei e.e

@Blu: Por favor Blu, tire a poha do "Prova que você não é um robo" D:

Adriano disse:
29 de junho de 2013 00:06

Porthos...

Mas e se o monstro em questão for um Big-Eye/Shi En/Dracossack?

wagner Illanez disse:
29 de junho de 2013 00:30

Necrovalley n vai funcionar contra prophecy pq eles buscam o field mt fácil.

Dragon rulers n usam mais ladd por causa da BKS na mirror match sendo usada no grave roubando o ladd e selando o destino do azarado q o invocou. Incrível como uma carta q lançou por 10 reais agora ta essa fortuna.

Qt ao chalice, prefiro usar compulsory. Sem prioridade ela agora ta mt boa e ainda ta barata.

Não sei se é só comigo, mas n vejo ninguém usar starlight road tem algum tempo. Isso incluindo FF. Eu andei testando Imperial iron wall no main junto com battlin boxer e ao invés de starlight usei 2 cópias de fake trap. A carta funciona bem tanto contra heavy como qualquer coisa q destrua minhas traps. E como é preferivel usar typhoon e blaster em cartas face-up, eu quase nunca revelo minhas traps.

Boa matéria. eu queria q discussem um pouco sobre algumas techs q podem ser encaixadas perfeitamente no main deck de alguns decks. Sair ganhando o primeiro duelo antes de entrar em side traz uma grande vantagem.

Guilherme Lerry dos Santos disse:
29 de junho de 2013 02:32

Sabia que iam perceber como BK é foda XD consegui Breakthrough no Pack quando ela ainda não valia bosta e guardei sauhsahuhasuhuashuas

Sir. Porthos Fitz-Questitor disse:
29 de junho de 2013 04:07

@Adriano: Não entendi sua pergunta...

@Wagner, eu não vejo necessidade de Starlight simplesmente porque muitos decks nem usam trap removals de Main Deck... E o que viria a ser essa BKS? D:

@Larry: Bora rachar os lucros? Haha

@blu: É sério, tire essa poha de "Prove que você não é um robo", eu devo ser robo (ou retardado) porque nunca acerto de primeira T_T

wagner Illanez disse:
29 de junho de 2013 13:03

Foi mal porthos. quis dizer BTS= Breaktrough skill.

Sir. Porthos Fitz-Questitor disse:
30 de junho de 2013 17:51

@Wargner: Ah sim, eu ainda utilizo LaDD por causa da matchup alta contra Prophecy (que está cada vez com menos Priestress...)e mesmo o fator Break ainda é relativamente difícil que ocorrer, afinal são duas cartas em meio a 40...

@Blu: Tanky you, Sir!

Anônimo disse:
8 de julho de 2013 17:04

resenhando o caralho