4 de fevereiro de 2013

Especulações Banlist Março/2013 [Parte 1]

cartaantiga

Falta menos de um mês para a nova banlist e eu não poderia deixar de dar meus palpites, baseado nos comentários de vocês neste post, a respeito do que entra e do que sai nas mudanças impostas pela Konami. Para isso, farei uma série de artigos no decorrer do mês para mantê-los atentos e preparados para as futuras mudanças. Também tentarei trazer diferentes banlist feitas por aí e rumores.

Acompanhe a primeira parte, com o tema: Cartas Atualmente BANIDAS Que Podem Voltar;



 

Se eu falasse de apenas algumas com certeza iriam surgir comentários do tipo “Você esqueceu dessa, você esqueceu daquela”. Para isso não acontecer, vou falar de todas as cartas atualmente banidas, dando destaques às mais importantes:

 

  • Brain Control: A versão menos apelona de Change of Heart tem pouco tempo que esta como banida, mas acredito que não volte tão cedo, isso porque temos Mind Control e também Mind Pollutant que cumprem com o propósito e são mais justas;
  • Brionac, Dragon of the Ice Barrier: R.I.P Brionac, ainda sentiremos a falta dele como representando dos monstros Synchros de Level 6. Konami só vai pensar nele quando acabar a era Xyz. Mesmo assim é capaz que continue na tumba, já que proporciona vários combos;
  • Butterfly Dagger – Elma: O problema dela é a engine Exodia, junto com Gearfried the Iron King, e não falem que é só banir o Gearfried que tudo resolve, pois não resolve;
  • Card of Safe Return: Comprar 1 carta cada vez que um monstro é revivido (lê-se: zumbis). Que piada!;
  • Change of Heart: Menos chances de voltar do que Brain Control;
  • Chaos Emperor Dragon – Envoy of the End: Chaos Dragon é o que há, não precisamos de mais um membro. Ou melhor, não precisamos jamais desse cara liberado, é muito apelão. Eu preferiria BLS a 2 do que esse cara a 1;
  • Cold Wave: Andei pensando a respeito dessa carta. Se ficasse limitada a um poderia causar muitos problemas, ao mesmo tempo em que não já que ambos os jogadores ficam prejudicados. Sempre foi uma carta que ficou na mão para ser ativada no momento certo do jogo, no último turno, para impedir que o oponente ativasse cartas armadilhas. Com tantas cartas armadilhas fortes saindo da banlist (2 Mirror Force, 3 Magic Cylinder, 2 Torrential, 2 Bottomless e o c****** a 4), ela seria até que interessante. Por mim deixava ela a um de novo, se der problema, bane ela em setembro;
  • Confiscation: Tem um custo até que alto para hoje em dia, mas pelo fato de olhar toda a carta na mão do oponente e descartar 1 carta a sua escolha, já me deixa com medo (Do mesmo jeito que tenho medo de Dragged Down into the Grave);
  • Crush Card Virus: Se você não gosta da presença de Deck Devastation Virus em um deck Dark World, essa aqui consegue ser pior; Absurdamente apelona. Temos tantas armadilhas que não precisamos dela;
  • Cyber Jar: Destrói todos os monstros no campo, então cada jogador pode invocar até 5 monstros de Level 4 ou menor do topo do deck e ainda adicionar as cartas não monstros a mão. Possibilitaria combos, combos e combos, com Synchros, Xyz e toda a espécie de combos possíveis, além de se tornar praticamente staple em qualquer deck. Não, ninguém quer isso;
  • Cyber-Stein: É uma possibilidade. Pode invocar monstros fusão do Extra Deck com um custo absurdo de 5000LPs. O problema seria os combos com os monstros Psychic, mas creio que nada que pudesse ser contornado fácil pelo oponente, já que quem usasse seu efeito ficaria com só 3000LPs (E a invocação dos monstros podem ser negadas com facilidade, ou destruídos com a mesma facilidade). Confesso que seria interessante ver ele a solta por aí, pelo menos só em um formato;
  • Dark Magician of Chaos: Muito se fala do DMOC. Para muitos ele tem chances de voltar em março, para outros isso pode demorar mais ou pouco ou nunca acontecer. O maior medo do público é o combo com os Prophecy, mas já que acabaram de lançar Divine Judgment of Spellbooks, seria muita apelação por parte desse archetype. Fora isso, seria um monstro legal para combinar com cartas limitadas como Monster Reborn, Dark Hole e Heavy Storm, o que para alguns seria um problema, mas ao meu ver nada demais quanto a isso. Minha maior preocupação seria os Prophecy mesmo, mas acho que por enquanto não estão precisando;
  • Dark Strike Fighter: Outro Synchro banido. Seu efeito parecia não ser muita coisa quando lançado, mas logo começaram a abusar dele para criar OTKs. Já temos a complicação de poder tributar ele mesmo para inflgiir 1400 de dano ao oponente, e ter 2600 de ATK que supera muitos monstros por aí. Não acredito que volte tão cedo;
  • Delinquent Duo: É o mesmo caso de Confiscation, porém ao invés de olhar a mão do oponente e descartar 2 cartas, o oponente descarta 2 cartas. Temos Moulinglacia the Elemental Lord para cumprir com a falta dele em nossos decks;
  • Destiny HERO – Disk Commander: Todas as cartas com draw abusivo do deck merecem ficar na banlist. No caso do Disk Commander, ele pode descansar em paz por mais um longo tempo;
  • Dimension Fusion: O custo é o mesmo de uma Solemn Warning porém você pode invocar qualquer quantidade de monstros banidos. em vou falar dos combos dela em decks Chaos Dragon, D.D., Suppressor Dragons e Macro Rabbit;
  • Exchange of the Spirit: O que esta carta faz é matar o oponente de deck-out, enquanto que você pode ter um deck com mais de 15 cartas garantido. Não pense num retorno desta carta;
  • Fiber Jar: A coisa ficou feia? Recomece o duelo com os LPs atuais dos jogadores. E o legal é que você pode recomeçar o duelo toda vez que puxa esta carta, e mesmo que ela seja limitada, nunca daria sossego;
  • Fishborg Blaster: Limitar esta carta seria a mesma coisa que limitar DMOC para os Prophecy, porém para os Atlantean/Mermail, onde eles ganhariam uma plataforma Synchro cheia de descartes e comida para os seres das profundezas. A Konami tenta suprir a falta desse Fishborg com outros Fishborgs, um dia ela encontra a fórmula certa;
  • Future Fusion: Tudo bem se ela fosse digna de decks Fusioin e Five-Headed Dragon e Worm Zero não existissem. O que ela faz é mandar até 5 dragões do deck ao cemitério num picar de olhos, ativando seus efeitos, e depois de dois turnos você tem um monstro com 5k no campo. Descanse em paz eternamente, FF!
  • Giant Trunade: Combos antes feitos com ela ficaram sendo feitos com Brionac, agora com os dois banidos, não pensem em um retorno para essa. Heavy Storm pode ser negada, e é mais justa que essa.
  • Glow-Up Bulb: Tem o direito de retornar ao campo uma vez no duelo enquanto no cemitério. É um tuner de Level 1 e combina com praticamente qualquer coisa. Acredito que se ficasse limitada não causaria problemas muito grandes, já que os monstros Plant não estão muito bem ultimamente, mas o problema são os outros combos com ela e a facilidade de marcar presença no cemitério, o que me leva a crer que não voltará por enquanto.
  • Goyo Guardian: Outro Synchro de Level 6 clássico. Com 2800 de ataque e o poder de roubar monstros do oponente, não espero tão cedo um retorno desse para nossos decks. Penso na possibilidade, em um futuro não muito próximo.
  • Graceful Charity: Como eu disse, toda a carta com draw abusivo do deck merece ficar banida. Graceful Charity combina muito com os Dark Worlds e seria um staple caso viesse, para descartar aquelas cartas inúteis em sua mão e ganhar mais 3 de presente.
  • Harpie’s Feather Duster: O espanador de penas das harpias já é um monstro ambulante que a substitui nos decks Harpies, ele se chama Windrose the Elemental Lord;
  • Imperial Order: Decks que não sejam Spellcasters não tem o direito de receber uma negadora de magias assim, é por isso que existe Secret Village of the Spellcasters. Além disso, todo deck depende de Spell Cards, o custo de manutenção dela é muito pequeno e não teria como destruí-la com MSTs convencionais;
  • Last Turn: Quer acabar com o duelo em 1 turno? Use esta carta, se certificando que o oponente não possui nenhum monstro com ATK maior que um monstro que você controla (Use decks Malefic para isso). Vitória garantida, pode ter certeza; E isso chega a ser mais apelona que Exodia e Final Coundown;
  • Last Will: Seria mais justa se não pudesse invocar monstros de Level alto, mas como pode, sem chance. Não acredito que ela possa voltar algum dia;
  • Magical Scientist: O custo é menor que o do Cyber-Stein, mas o monstro retorna ao Extra Deck no final do turno. Até lá poderíamos tributá-lo ou usá-lo como material Synchro/Xyz. E Xyz poderosos, já que o efeito não se restringe a uma vez por turno. Pagando 2000 ou 3000LPs teríamos um Xyz RANK 6 ou menor no campo com 3 materiais. Por isso que não, esse não tem chances de voltar;
  • Magician of Faith: Menos chances que o DMOC, já que pode ser buscada por Apprentice Magician e reciclar Spellbooks e outras cartas limitadas do cemitério. Eu sei que vocês gostavam da Téa Gardner, mas posso afirmar que a carta favorita dela não só faz milagres como também causa turbulências ao jogo;
  • Makyura the Destructor: Ativar cartas da mão como Jar of Greed e Legacy of Yata-Garasu é tão legal com esse cara que chega a dar medo. Fácil de entrar no cemitério, fácil de ser reciclado, e com um efeito surreal. Sem chances para esse cara;
  • Mass Driver: Tributar monstros é legal, principalmente com ajuda dos Frogs e dos Hieratics. O dano pode ser pouco, mas é significativo e pode causar um FTK após uns 20 usos;
  • Metamorphosis: Seria legal se o uso fosse restrito apenas aos monstros HERO e suas fusões, mas como abrange tudo, sempre será um problema mesmo se for limitada. Essa carta não podia existir;
  • Mind Master: O rei dos monstros Psychics é um problema. Se fosse limitado hoje poderíamos invocar vários monstros Xyz de RANK 4 ou menor livremente, com um custo baixo, e ainda fazer show de Synchros Summons com os slots que sobram. Desista dessa carta, não veremos ela nunca em nossos decks;
  • Mirage of Nightmare: O sonho de consumo para os Dark World e Fabled monsters. Pode encher o cemitério rapidamente do que você quiser e manter só as preciosidades na mão. Tem um draw abusivo, com certeza, e merece ficar na banlist por mais tempo;
  • Painful Choice: É o mesmo caso que Future Fusion, porém para todos os decks. Envia 4 cartas do seu deck ao cemitério e adiciona 1 para a mão, sem custo ou restrição alguma. Não volta nem que a vaca tussa.
  • Pot of Greed: Andei pensando nele por longos e longos tempos, mas acabei chegando a conclusão que não merece voltar, por enquanto. Mesmo que os decks de hoje tenham a mão inicial esgotada facilmente e ela seria uma solução para evitar Dead Draws e prosseguir com a jogada de seu turno, PoG seria essencial em todos os decks, sem excessão, assim como era no anime. Ela pode voltar sim, só que quando for realmente necessária, se por exemplo inventarem um tipo de invocação novo que exige mais cartas na mão. Além disso temos Upstart Goblin, One Day of Peace, Pot of Avarice e Pot of Duality que auxiliam na draw power, para Greed entrar alguma teria que sair (voto em Avarice);
  • Premature Burial: Alguns acham mais justo que Monster Reborn por ter como alvo apenas um cemitério, outros já acham absurdo por permitir combos quando ela é retornada para a mão (Trunade e Brionac faziam isso), mas agora só temos Blackwing Zephyros the Elite como principal reciclador de mágicas/armadilhas para decks normais e em decks Mist Valley ela reinaria (Mist Valley Executor, Mist Valley Falcon e Mist Valley Thunder Lord combinam com ela), por isso acho que não volta tão cedo;
  • Raigeki: Se Dark Hole já chega a ser chato, imagina Raigeki em todos os decks around fuckin globe. E isso que eu já cheguei a dar Rage Quit em um cara que usou Lightning Vortex!
  • Rescue Cat: O responsável por muita zona e decks fantásticos de monstros Beast em certa era dos duelos, o gato de resgate prova que não volta desde o lançamento de seu primo Rescue Rabbit. Com a era Xyz ele pode se tornar mais perigoso ainda, e a utilização dele diversas vezes num mesmo turno é algo a se temer mais; Mais fácil o Rabbit se juntar a ele do que ele se juntar ao Rabbit;
  • Ring of Destruction: Essa carta já tem forma de monstro também, chamado Pyrorex the Elemental Lord, usável apenas pelas plataformas de fogo, por isso não volta para todos os decks;
  • Royal Oppression: Impedir Special Summons era legal, até que ela se tornou fundamental em todos os decks que se preze. Synchros, Fusion, Ritual e Xyz Summons são exemplos de Special Summons, e Royal Oppression pode negar todas elas. Por isso eu digo que não precisamos dela por um bom tempo (ou para sempre);
  • Sinister Serpent: Já pensei nela, mas com os recentes lançamentos de monstros chamados Mermail, desisti seriamente da possibilidade. Só quem é das antigas sabe o que essa carta é capaz de fazer, por isso ela não volta!
  • Sixth Sense: Uma carta que lhe permite comprar até 6 cartas do deck ou então enviar até 6 cartas do topo do deck ao cemitério, dependendo do número de um dado lançado pelo oponente. Os dois efeitos fazem dessa carta tão temida quanto a minha mãe! (Mentira, a minha mãe não é tão brava assim);
  • Stach Steal: Rouba um monstro do oponente e ainda pode combinar com os odiados decks Anti-Heal. Mesmo que seja fácil tirá-la de campo hoje em dia, seria um problema. Ninguém gosta de ver seu monstro sendo roubado e depois atacando a si próprio por 1000 pontos de vida todo o turno;
  • Substitoad: Não, esse não volta. Já começo a pensar em uma build Hieratic Frog com esse cara, o que não seria legal. Além disso, enquanto ele esta em campo, seus sapos-do-satangôs não são destruídos em batalha. Alguma dúvida restante?
  • Temple of the Kings: Além de facilmente invocar qualquer monstro da mão, deck ou Extra Deck, você pode ativar cartas armadilhas no turno em que elas são colocadas no campo, o que chega a ser pior que Makyura the Destructor em alguns casos. É uma fusão do Makyura e do Cyber-Stein, em minha opinião;
  • The Forceful Sentry: Uma counterpart de Confiscation, só que consegue ser pior, pois embaralha uma carta de sua escolha na mão do oponente ao deck, enquanto que se fosse enviada ao cemitério poderia ser reutilizada por certas cartas mais tarde;
  • Thousand-Eyes Restrict: Alguns tópicos foram levantados a respeito desse cara a sair da banlist, porém a minha opinião é ainda não. Invocado fácil por Instant Fusion, ele seria um engulidor instantâneo de monstros fortes do oponente, e se permanecesse no campo por fazer a sua invocação normal (um dos materiais poderiam ser substituídos por Beast of the Swamp), a pior parte é aquela que diz que outros monstros não podem atacar ou mudar a posição de batalha, ou seja, é praticamente impossível destruir essa carta. Claro que os decks que hoje estão preparados para deter ameaças como essa, mas até estar pronto para isso Thousand-Eyes Restrict poderia causar problemas. Nada que um Side Deck ou decks mais preparados não resolvam o pequeno probleminha, negando o efeito, virando-o para baixo, destruindo-o por efeito de cartas ou usando Prohibition. Mesmo com minha opinião dada, confesso que seria interessante ele ficar limitado, mas aí o Cyber-Stein teria que permanecer banido;
  • Time Seal: Tem duas substitutas mais justas: Drastic Drop Off e Drop Off que atuam na Battle Phase por descartar a carta que o oponente comprou, por isso Time Seal não volta;
  • Trap Dustshoot: Uma versão “mais fraca” de The Forceful Sentry, mas como vocês já sabem, era um problema até quando foi banida ano passado. Se for retornar que seja daqui a muito tempo, ou lancem uma carta ainda mais justa e útil com um propósito semelhante;
  • Tribe-Infecting Virus: Muito também tem se falado desse. Por descartar 1 carta, podemos declarar um tipo de monstro e destruir todos os monstros no campo com o tipo declarado. Com a variedade de tipos em decks hoje em dia, como os Wind-UPs que são diversificados, seria uma ajuda ter essa carta, e não causaria tanto impacto quanto antes quando todos os archetypes eram com tipos padronizados. Entretanto é possível fazer um Dark Hole ou Raigeki com esta carta por usar DNA Surgery. Ta que não é nada demais, só que também acho que não será em Março que ela se livra das algemas da banlist. Talvez sim em um futuro quando os archetypes estiverem ainda mais diversificado, talvez não.
  • Trishula, Dragon of the Ice Barrier: Seu banimento surgiu logo com a chegada dos monstros Xyz. A Konami quis dar uma enfraquecida nos monstros Synchro e focar totalmente na nova arma de ganhar dinheiro dela. Cá entre nós que o Trishula era um monstro chato, e Evilswarm Ouroboros esta substituindo ele bem até agora;
  • Victory Dragon: Muitos não entendem o que esse monstro é capaz de fazer, mas é bastante simples: Se você vencer o oponente atacando com ele, você ganhar o próximo duelo da Melhor de 3, sem duelar. Assim como todos os Match Winners, esse também deveria permanecer somente como prêmio de campeonatos grandes e ganhar a descrição “Esta carta não pode ser usada em um duelo” (Oficial, pois pode usar em duelos forfun contra seus amigos da vila);
  • Witch of the Black Forest: Counterpart de Sangan, só que com um diferencial: Pode buscar monstros com ataque alto e defesa baixa do deck quando é enviada do campo ao cemitério. Já ouvi alguns dizer que seria legal se ela voltasse, mas aí era o mesmo que dizer em buscar Lightpulsar Dragon, Monarchs e companhia com ataque e level alto e defesa pequena;
  • Yata-Garasu: Tsukuyomi saiu da banlist, mas esse pássaro-do-satangôs não sai. É um Time-Seal tunado, com chances de fracassar e de fazer sucesso. Mais de fazer sucesso do que de fracassar. Caso o oponente não controla cartas, você invoca ela e tem vitória garantida, impedindo que o oponente compre novas cartas, eternamente.

 

Então é isso galerinha, desculpem pelo post enorme. Não pretendo em toda a banlist falar de todos os monstros atualmente banidos como estou fazendo nessa, mas das atualizações de uma para a outra. Demorei mais de 2 horas para terminar, então vale o seu comentário!

Até mais!

Comentários
22 Comentários

22 Comentários:

Anônimo disse:
4 de fevereiro de 2013 10:12

ótimo post blu, que bom que o blog continua vivo

dragonlord disse:
4 de fevereiro de 2013 10:34

aguardando a parte 2

Seto kaiba disse:
4 de fevereiro de 2013 12:24

Ótimo post
o/

Greed disse:
4 de fevereiro de 2013 12:55

Só um adendo: Victory Dragon nem foi banido por causa de seu efeito. Convenhamos que juntar três dragões em campo pra invocar esse cara e poder atacar direto com ele não era tão simples assim (na época dele, eu digo, e sem certeza, porque só sei que não existia Chaos Dragon naquele tempo XD).

O verdadeiro motivo para o banimento dele era justamente o fato de NÃO se conseguir usar o efeito dele. Desenvolveu-se uma estratégia infalível contra o efeito do Victory Dragon. DESISTIR do duelo assim que ele entrava em campo pra matar. Assim, o duelista desistente só perderia o duelo, e não a partida. E isso estava deixando muita gente (leia-se Victory Dragon users) um tanto irritados. Pra não causar confusão, a Konami mandou o dragão pro limbo.

CyberBlu disse:
4 de fevereiro de 2013 13:00

Tem razão Greed, eu já tinha ouvido falar disso, mas por algum motivo esqueci de mencionar no post. Valeu por me lembrar

Anônimo disse:
4 de fevereiro de 2013 13:01

O lance do Victory Dragon é fato. Eu mesmo ja "surrender" quando ele entrava em campo e eu sem ação.

Eu só acho um pouco desperdício da KONAMI criar cartas "Match Wins", por ex, voces viram o XYZ do Dark Magician e do Olhos Azuis?

Cartas super maneiras, bonitas... poderiam ter criados efeitos bacanas para que estes pudessem ser utilizaveis. Ou seja, criar estas cartas para ficar em pasta beira ao ridículo.

CyberBlu disse:
4 de fevereiro de 2013 13:07

Concordo, anônimo, a única coisa que da para aproveitar desses Match Winners são as artworks mesmo. E quanto ao preço absurdo de quando algum campeão resolve vendê-las, nem se compara.

Anônimo disse:
4 de fevereiro de 2013 16:19

parabens blu, soh uma correçao da pra comprar 12 cartas com o sexto sentido!!!!!!DOZE DE UMA VEZ!!!!
eh soh escolher o 6 duas vezes e torcer pra dar certo, duvidas consulte o tag force

Potter disse:
4 de fevereiro de 2013 17:21

excelente post Blu-senpai!!
derramaste muit suor para escrever tudo!! (já tinha lido ontem na programação xD)

se o Greed of Pot voltasse, eu não usaria Avarice, nunca tive sorte com ele!! xD

"Metamorphosis - Essa carta não devia existir" dei pala de rir!! =D

na Painful Choice faltou vc dizer do combo com Backup Soldier para buscar as partes do Exodia, que eu acho que foi o motivo do 1º banimento dela. (nem sei se ela saiu algum dia)

sinto saudades de muitas cartas apelonas que ainda eram limitadas no meu tempo, mas muitas não vão nem voltar mais! =,(

Man El disse:
4 de fevereiro de 2013 18:07

Ótimo post :O
E essa parada dos Match WInners [e interessante, desistir para não perde ro Match inteiro. Provavelmente se o cara n~]ao desistir é porque tem um Fader, Scarecrow ou Veiler na mão ashuahsuash

Anônimo disse:
4 de fevereiro de 2013 18:43

vai cachorra, vai cachorra vem aki com seu leão

Emerson Martins de Deus disse:
4 de fevereiro de 2013 20:08

Por mim que soltassem o Chaos Emperor Dragon – Envoy of the End, ia ser interessante destruir um desses.

Potter disse:
5 de fevereiro de 2013 00:39

@Emerson Martins
poxa, fala assim não!!
quase dou rage quit (na vida real) quando enfrento um Envoy of the Black Luster Soldier =,(

Bruno Navas disse:
5 de fevereiro de 2013 10:27

pro chaos emeperor voltar, 500 vão ser banidas, q

Bruno Navas disse:
5 de fevereiro de 2013 10:27

ENTENDERAM O TROCADILHO, HEHEHEHEHEHEHE
sou fods

Anônimo disse:
5 de fevereiro de 2013 12:15

Eu só dou rage quit quando enfrento Dark Worlds. Tirando isso, qualquer deck pode vir....

Espero que eles sofrem com a banlist. Acho eles mais chatos que os WindUPs e etc e etc.

Tsoko disse:
5 de fevereiro de 2013 12:52

Maneiro, acho que o DMOC não volta nem a pau

Man El disse:
5 de fevereiro de 2013 14:04

Eu geralmente dou Rage Quit quando ativam Gateway of the Six. :D

Man El disse:
5 de fevereiro de 2013 14:13

@Anon

Ei não da para comprar 12 cartas com Sixth Sense, o máximo é 6. Sei disso porque no Tag Force eu uso ela como a carta proibida liberada após zerar com os principais; uso no meu deck Lightsworn. Quanto eu já tenho o Jumento na mão e os 4 Lightsworn no grave, escolho 5 e 6, para puxar o máximo. Quando não, escolho 1 e 2 e torço para cair no maior número pra millar mais.

O efeito dela é: "Escolha dois números distintos entre 1 e 6 EXEMPLO: 5 e 6). O seu oponente então joga um dado de seis lados 1 vez. Se o resultado do dado coincidir com um dos 2 números que você declarou (SUPONHAMOS QUE TENHA SIDO 6), puxe uma quantidade de cartas igual ao resultado do dado (PUXEI 6,não 12). Se não(SUPONDO 4), envie uma quantidade de caras do topo do seu deck ao cemitério igual ao resultado do dado (Millar 4)."

Anônimo disse:
5 de fevereiro de 2013 20:09

man el, no tag force 1(do ps2) da pra escolher o msm numero, e se cair o numero vc compra o numero de cartas duas vezes, eu ja fiz isso, declarando 6 e comprando 12,
o testo'Choose two numbers from 1 to 6' isso faz-me ficar na duvida,pq 6 naum eh dois numeros, entao naum ficaria surpresso de ser um errinho do jogo.

rullings for everybody plissssssssssss

Potter disse:
6 de fevereiro de 2013 00:47

Man El disse...

Eu geralmente dou Rage Quit quando ativam Gateway of the Six. :D

já quase passei por isso!!
mas descobri que meu deck tem potencial para derrotar os Six Samurais! =D

CyberBlu disse:
9 de fevereiro de 2013 10:49

Eu também, Six Samurais tem um fraco que é de acabar as cartas logo na primeira. Se você sobreviver a primeira investida deles tem altas chances de ganhar. E claro, se você negar a Summon do Legendary Shi En.